Caio Blat defende José Mayer em caso de assédio: 'Brincadeira fora de tom'

Ator ainda afirmou achar 'errada' decisão da Globo de retirar Mayer de futuras produções: 'Ele não representa ameaça a ninguém'

por Diário de Pernambuco 05/04/2017 10:49

Globo/Divulgação
O ator ainda foi perguntado como se sentiria se o caso de assédio tivesse ocorrido contra a sua mulher, a apresentadora Maria Ribeiro (foto: Globo/Divulgação )
Em meio a uma série de protestos contra o caso de assédio envolvendo o ator José Mayer e uma figurinista da Globo, Susllem Meneguzzi Tonani, Caio Blat saiu em defesa do artista de 67 anos, já afastado de futuras produções da emissora por tempo indeterminado. Na noite desta terça-feira, 04, em entrevista ao site Glamurama durante a festa de lançamento da nova novela Os dias eram assim, Blat afirmou que Mayer "não representa ameaça" e disse acreditar que "não houve intimidação", sobre a declaração de Susllem de que ela teria sido hostilizada em um estúdio.

"Não estou sabendo dessa decisão de afastá-lo, mas não acho certa. José Mayer é uma pessoa que a gente conhece. A declaração que ele deu hoje foi brilhante. A forma como ele se colocou foi perfeita. Ele não representa ameaça a ninguém. Fez uma brincadeira fora de tom, e na presença de outras pessoas. Não houve intimidação", disse Caio ao site.

 

Na terça-feira, 04, Mayer divulgou uma carta aberta admitindo ter assediado a mulher e pedindo perdão. "Errei no que fiz, no que falei, e no que pensava. A atitude correta é pedir desculpas. Mas isso só não basta. É preciso um reconhecimento público que faço agora", lê-se em um trecho.

Blat ainda foi perguntado como se sentiria se o caso de assédio tivesse ocorrido contra a sua mulher, a apresentadora Maria Ribeiro. "A Maria passa por isso diversas vezes, me conta. Ainda faz parte da nossa cultura. Ainda mais quando existe uma relação hierárquica. Existe essa tomada de consciência e a mobilização de hoje foi importante. Uma brincadeira que talvez as pessoas estejam acostumadas porque sempre foi assim. A campanha foi muito legal, todo mundo se engajando. Existe essa questão de outras gerações", respondeu.

Susana Vieira, que também estava no evento, preferiu não se pronunciar sobre o caso. "Estou aqui para falar da minha personagem. Essa palavra [assédio] não vai sair da minha boca hoje. Sim, eu comecei em uma época mais machista, de preconceito. Achavam que TV era ambiente imoral, de prostituição. Minha carteira de trabalho era concedida pela polícia, como a das prostitutas. Mas não aconteceu nada de triste comigo. Namorei só quem eu quis e não vou falar sobre isso", disse.

PROTESTO Diversas funcionárias da Globo - dentre figurinistas e atrizes - aderiram à uma campanha nacional contra o assédio. Elas vestiram camisas com a frase Mexeu com uma, mexeu com todas. Monica Iozzi, Taís Araújo, Fernanda Lima, Gloria Pires, Cleo Pires, Drica Moraes, Camila Pitanga, Tainá Muller, Alice Wegmann, Sophie Charlotte, Camila Queiroz, Rafa Brites, Cissa Guimarães e Mariana Ximenes foram algumas das que se pronunciaram.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MEXERICO