Nua, brasileira que destronou Ronda Rousey como "Musa dos Ringues" toma banho de lama

A bela morena, nascida no Paraná, revela que teve uma vida difícil: já catou lixo e fez faxina nos Estados Unidos, depois de ter sido molestada sexualmente na infância

por Estado de Minas 27/03/2017 12:31

A brasileira Gabi Castrovinci ficou nua para tomar um banho de lama de cinza vulcânica em um spa em Calistoga, na Califórnia, EUA.

Ela é famosa nos Estados Unidos não só pelo talento na luta livre, mas também pela beleza, já que destronou Ronda Rousey como a "Musa dos Ringues".

"O tratamento promete ajudar no rejuvenescimento. Depois do banho de lama de cinza vulcânica tomei um banho com água quente das termas. A água sai tão quente do solo que eles têm que esfriá-la para colocar nas piscinas e nas tubulações. É um tratamento novo", descreve a bela.

"Em seguida fui para uma sauna e depois me colocaram em uma caminha para dormir por 30 minutos. Foi uma delícia", conta a paranaense de 31 anos, que está percorrendo os Estados Unidos ao lado do marido em um motorhome.

Viajando pelos EUA

"Esse motorhome é melhor que muita casa e apartamento. E tem a praticidade e a conveniência também pois tenho que trabalhar em vários lugares dos Estados Unidos. Tenho várias lutas marcadas e começamos a turnê na semana passada no norte de Dakota, depois passei dois dias em San Francisco passeando. Pegamos esse motorhome em Sacramento e estamos passeando nos vinhedos que ficam na Califórnia. Nós vamos passar cinco dias degustando vinho, conhecendo a história, e daqui vamos para Los Angeles, onde tenho trabalho, entrevista, luta e aparição na cidade", explica a moça de cabelos atualmente roxos.

Gabi Castrovinci venceu o último combate na luta livre ao finalizar a americana Barbi Hayden no WWR Pro Wrestling Identity Crisis, em 4 de março passado, em Providence, no estado de Rhode Island, nos Estados Unidos.

Bumbum elogiado

A brasileira revela que seu bumbum é muito elogiado nos EUA e brinca: "Aqui ninguém tem né!?".

"Minha bunda é natural, claro! Para que vou colocar algo para ficar desproporcional? E outra coisa, imagina em 10 anos como vão ficar essas mulheres. Com a bunda apontando para o céu, totalmente desproporcional. Tem uma fitness famosa aí no Brasil que parece que alega que nunca colocou nada na bunda. Impossível né!? Nem tem como disfarçar, qualquer um com senso de percepção nota que é fora do normal", dispara ela com um jeitão brincalhão e espontâneo.

Lixo e faxina

A "Musa dos Ringues" já teve uma vida muito difícil. Atualmente mora em Orlando com o marido e já trabalhou como faxineira, chegou a catar lixo nos primeiros anos nos Estados Unidos. "Antes do meu primeiro casamento eu morava com meu pai, que era lixeiro. Pegávamos muita roupa no lixo. Televisão, sofá, microondas, torradeira... Foram poucas coisas que compramos no começo da nossa trajetória aqui. Tudo o que a gente tinha era dado de presente ou era do lixo. Eu e uma amigona minha, a Léia, minha madrinha de casamento, uma vez limpamos uma casa nojenta que não dava nem para ver o chão. Era um absurdo. Pegaram um container e jogaram tudo lá. A gente pegou nosso primeiro computador nesse lixo. Foi muito engraçado", ri a lutadora brasileira.


Assédio sexual

E o drama de Gabi Castrovinci é ainda maior. Ela revelou recentemente que foi molestada por um parente na infância: "Isso estourou faz pouco tempo pois nunca tinha contado para os meus pais. Foi uma discussão que desencadeou essa revelação. Falei para o meu pai: 'Nossa, você fica defendendo esse monstro e ele passava a mão em mim quando eu era criança'.

A lutadora aponta quem era o abusador: "Acho que tinha só uns seis anos quando mudamos para Curitiba e esse tio é casado com a irmã do meu pai. Acredito que não tenha sido a única criança com quem ele fez isso. Começou pois íamos muito para a praia e ele falava: 'Vamos para o mar com o tio'. Quando chegava no mar ele pegava meu pé e ficava passando no pênis dele. Era criança e depois de algumas vezes foi que entendi. Minha mãe nunca teve aquela historinha que foi a sementinha que germinou na barriga da mamãe, ela sempre me educou com esse negócio de sexo. Depois de algumas vezes me toquei que aquilo não era certo, que o que ele estava fazendo era errado", desabafa a morena.

"Éramos membros de um clube de piscina e ele falava assim: 'Vem com o tio, vamos ver se dá pé na piscina'. Ele me colocava na frente dele e ficava roçando o pênis nas minhas costas. Foram vários episódios. Quando fui crescendo, virando adolescente e ganhando corpo, eles tinham uma farmácia do lado da nossa padaria. Ele sempre fazia comentários maliciosos tipo: 'Nossa, e essa bundinha. Ai se eu te pego'. Sempre passava a mão na minha bunda ou dava um beliscão. Esse tipo de coisa típica do tio safado mesmo, pervertido. Pelo que lembro ele nunca tirou o pênis para fora. Hoje isso me dá muita raiva. Quantas crianças passam por isso e coisas piores e não sabem? Acontecem estupros e ninguém fica sabendo.

E relata o desgosto com os próprios parentes: "Família é uma das piores coisas. Não tenho relacionamento com a minha família. Só uma tia que é irmã do meu pai, que mora no interior do Paraná, que converso. E com esses primos. Da família da minha mãe não tenho muito contato", finaliza Gabi Castrovinci.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MEXERICO