Internautas 'resgatam' tuítes racistas de youtuber Cocielo, que os deleta

'Não comi nada hoje, me sinto um africano', diz uma das publicações do jovem, que, nesta Copa, disse que o jogador francês Mbappé faria 'uns arrastão top na praia'

por Estadão Conteúdo 01/07/2018 14:54
Youtube/Reprodução
(foto: Youtube/Reprodução)
Após Júlio Cocielo ter feito uma piada considerada racista em relação ao jogador francês Mbappé no último sábado, 31, internautas vasculharam postagens antigas feitas no perfil do youtuber no Twitter e constataram que não foi a primeira vez que ele fez comentários preconceituosos.



"O Brasil seria mais lindo se não houvesse frescura com piadas racistas. Mas já que é proibido, a única solução é exterminar os negros", publicou em 2013, por exemplo.

Na semana de 20 de novembro, também em 2013, fez diversas piadas envolvendo o feriado: "Acabou o Dia da Consciência Negra, já pode parar de 'negrisse', galera". "Eu queria ter gravado um vídeo sobre o Dia da Consciência Negra, só que aí eu deixei quieto porque na cela não tem wi-fi."

Entre 2011 e 2014, Cocielo também fez inúmeros comentários ofensivos contra africanos, chegando inclusive a tratar o continente como se fosse um país: "'Cara feia pra mim é fome'. África, o país [sic] mais feio do mundo". "Na África só existem seis pecados capitais porque cometer o pecado da gula é impossível". "Não comi nada hoje, me sinto um africano."

Assim como na Copa do Mundo, o youtuber já aproveitou outros momentos futebolísticos para fazer comentários ofensivos.

Em 11 de dezembro de 2013, dia da final da Copa Sul-Americana entre Ponte Preta e Lanús, comparou uma vizinha negra a uma macaca, em alusão ao apelido da equipe de Campinas: "Gritei 'Vai macaca' pela janela e a vizinha negra bateu no portão de casa pra me dar bronca".


Uma semana depois, quando o Atlético-MG perdeu para o clube marroquino Raja Casablanca no Mundial, escreveu: "Os africano tudo passando fome com AIDS e ainda jogam mais que o Galo [sic]".

"Negros, vocês se ofendem com piadas racistas? Só uma dúvida mesmo, e tal, sejam sinceros", questionou, em outra ocasião.

Cocielo deletou as postagens após elas serem trazidas à tona. Em sua defesa, admitiu ter publicado os comentários, dos quais afirmou sentir "vergonha", alegando que foram feitos em uma época que permitia uma "interpretação totalmente diferente de hoje, um momento delicado", e que estava sendo "irônico" ou "zoando entre amigos".



Em seguida, Júlio se disse arrependido: "Nunca mais se repetirá! Peço desculpas publicamente por ter ofendido inúmeras pessoas [...]. Quem conhece minha história ou convive comigo sabe como sou, e que jamais agiria desta forma! Vivendo e aprendendo! Não vou entrar em nenhuma discussão, assumo meu erro! Desculpa!"



Outros internautas ainda aproveitaram a situação para relembrar uma polêmica vivida pela mulher de Cocielo, a blogueira Tata Estaniecki. No Baile da Vogue, em fevereiro, ela havia usado um look em "homenagem aos escravos".

Veja prints de tuítes que Júlio Cocielo apagou:













['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']

MAIS SOBRE E-MAIS