Tarantino fala sobre acidente de Uma Thurman em 'Kill bill 2'

Na última semana, a atriz concedeu uma entrevista ao 'The New York Times' revelando um abuso cometido por Harvey Weinstein

por Estado de Minas 06/02/2018 13:27
AFP
Quentin Tarantino ao lado da atriz Uma Thurman. (foto: AFP)
O cineasta Quentin Tarantino foi a público na segunda-feira (5) para dar a sua versão das acusações feitas pela atriz Uma Thurman, principalmente sobre o acidente de carro que ela sofreu durante as gravações de Kill bill 2. Em entrevista ao site Deadline, o diretor caracterizou o caso como ''um de seus maiores erros''. 

No último final de semana, Thurman revelou que sofreu lesões graves em um acidente de carro na gravação do filme, após Tarantino dispensar dublês e colocá-la em risco. Segundo a atriz, a atitude do diretor teria sido sob as ordens de Harvey Weinstein, que a teria assediado anteriormente. 

Na entrevista, Tarantino disse que Thurman pediu o vídeo para poder divulgá-lo. ''Eu tinha de achar, 15 anos depois. Tivemos de ir a armazéns, abrir caixas. Eu não consegui acreditar. Não achei que encontraríamos. Estava limpa e mostrava o acidente e o que aconteceu depois. Fiquei muito feliz de entregar para ela''. 

Tarantido afirmou que sabia que o vídeo seria divulgado, mas não imaginou que seria visto como antagosnista da situação. ''Eu comecei a ouvir do gerente de produção, Bennett Walsh, que Uma estava insegura em filmar a cena dirigindo. Nenhum de nós havia considerado um dublê. Era só dirigir. Talvez a gente devesse ter pensado nisso, mas não foi o que aconteceu. Tenho certeza de que quando me falaram isso eu rolei meus olhos. Não estava cegado pela raiva. Não fui ao trailer de Uma, gritando para ela entrar no carro''. 

''Eu pensei, uma estrada reta é uma estrada reta, não achei que precisaria passar por ela de novo para ver se tinha alguma diferença. É um dos maiores arrependimentos da minha vida. Como diretor, você aprende coisas e algumas vezes você aprende com esses erros horríveis. Ela apareceu de bom humor, fez a cena, e então bateu. No início, ninguém entendeu o que aconteceu. Depois do acidente, ela foi para o hospital e me senti totalmente em agonia com o que ocorreu'', afirmou. 

No último final de semana, Uma Thurman concedeu uma entrevista ao jornal The New York Times para contar a agressão que sofreu de Harvey Weinstein, após o lançamento de Pulp ficton, em 1994. Depois de uma reunião de trabalho em Paris, o magnata teria convidado a atriz para seu quarto e depois para uma sauna no hotel em que estava hospedado. Ele me empurrou, tentou se esfregar em mim. Ele tentou se mostrar, tentou todas as coisas mais nojentas. Mas ele não conseguiu nada e me forçou. Você fica como um animal tentando fugir", relatou na entrevista.

Pouco depois, Uma Thurman foi ao hotel do abusador para encará-lo. Ela explicou tê-lo advertido: "Se você fizer o que fez com outras pessoas, vai arruinar sua carreira, sua reputação e perder sua família, eu garanto". 

"O Sr. Weinstein admite ter tentando avanços contra a Sra. Thurman depois de interpretar mal a sua atitude em Paris. Ele imediatamente se desculpou", mas se pergunta por que Uma Thurman "esperou 25 anos para tornar pública essas alegações", reagiu em um comunicado uma porta-voz do ex-produtor, que atualmente está em terapia no Arizona.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS