Chico Brant lança, na Livraria Mineiriana, o segundo volume da série Minas de ouro: Vilas da Estrada Real

Autor anuncia outros quatro publicaçõesdando sequência à história

por Carlos Herculano Lopes 27/11/2012 09:47

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Jair Amaral/EM/D.A press
Chico Brant estuda nossas origens para mostrar a importância dos mineiros no desenvolvimento do Brasil (foto: Jair Amaral/EM/D.A press)
 

Dando sequência à série Minas de ouro: Vilas da Estrada Real, iniciada em 2009, o jornalista Chico Brant lança nesta terça-feira, na Livraria Mineiriana, Cidades históricas que mudaram o Brasil. Numa edição bem cuidada, com ótimas fotos e escrita em linguagem jornalística, o livro relata a aventura da descoberta e da corrida do ouro que sacudiu as Minas Gerais no século 18, com a criação das chamadas vilas do ouro (as pioneiras foram Mariana, Ouro Preto e Sabará) além do Distrito Diamantino. Para cá, no sonho do enriquecimento fácil, vieram milhares de portugueses, brasileiros de todas as partes, e gente se outros países, que aqui se misturaram à massa escrava e aos nativos ameríndios, dando origem a uma população miscigenada étnica e culturalmente, que influiu na formação do povo mineiro. Para desenvolver o trabalho, que é basicamente bibliográfico, Chico Brant, além de ter feito várias viagens às localidades enfocadas, conta que pesquisou no Arquivo Público Mineiro, onde consultou os livros e relatos sobre o tema escritos no século 18, e também se valeu de obras referenciais de historiadores como Diogo de Vasconcelos, Adriana Romeiro, Carla Anastasia, Júnia Furtado, Charles Ralph Boxer, Luiz Carlos Villalta, José João Teixeira Coelho, Caio Boschi, Maria Efigênia Lages Resende, e outros.  “Não sou historiador, mas jornalista com a intenção de ajudar a divulgar a história de Minas, não só para saber das nossas origens, como para tentar mostrar como os mineiros contribuíram de maneira decisiva para a formação e desenvolvimento do Brasil, cuja história está muito ligada à nossa. Na corrida do outro, portugueses e brasileiros soltaram as amarras que os prendiam ao litoral do país, se estenderam na conquista e no povoamento definitivo do interior, e passaram a integrar o Sudeste e o Sul ao restante do território brasileiro, dando-lhe praticamente a feição que tem hoje”, disse o autor. Ainda segundo ele, foi aqui nas vilas do ouro que germinaram vários movimentos da afirmação política brasileira, que se malograram na tragédia da Conjuração Mineira, com a morte de Tiradentes e o degredo dos demais envolvidos, mas que renasceram 30 anos depois com a proclamação da independência. No decorrer dos cinco capítulos do livro, o autor, que contou com a colaboração dos pesquisadores Jô Drummond, Roberto Silveira e Soraya Coppola, descreve ainda como se deu a chamada corrida do ouro; a fundação e evolução das vilas pioneiras; a formação das irmandades e confrarias católicas, que tiveram grande poder na época; a urbanização, a arquitetura e as artes do barroco mineiro, além das consequências econômicas e sociais que derivaram disso tudo, com reflexos no restante do país. Além desse segundo volume, Chico Brant conta que pretende publicar ainda mais quatro livros: um sobre Mariana e Ouro Preto, outro sobre Congonhas do Campo e Tiradentes, um terceiro volume sobre Serro e Diamantina e, para finalizar a série, um quarto trabalho enfocando Sabará, Caeté e Pitangui. Cidades históricas que mudaram o Brasil Lançamento do livro de Chico Brant, nesta terça-feira, às 19h, na Livraria Mineiriana, Rua Paraíba, 1.419, Savassi. Entrada franca. Informações: (31) 3261-1501.



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS