Bailarinos vão mostrar improvisação em espetáculo em cartaz nesta terça-feira

Literalmente dançando conforme a música, profissionais se apresentam no Sesc Palladium

por Ailton Magioli 17/07/2012 10:24

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Ricardo Petracca/Divulgação
Marcos Souza e a irmã Karina Souza se juntaram à coreógrafa Angel Vianna, que será homenageada neste espetáculo de dança e música (foto: Ricardo Petracca/Divulgação)
 
Mexer com as mudanças de possibilidades que a música ao vivo pode provocar na dança. Em síntese, esse é o objetivo do Projeto Improvisos, que vai reunir nesta terça-feira à noite, no palco do Sesc Palladium, o pianista Marcos Souza, o baixista Yan Vasconcellos e o cantor e percussionista Maurício Tizumba às bailarinas Dudude Hermann, Karina Souza, Heloisa Domingues e, especialmente, Angel Vianna. Viúva do bailarino e coreógrafo Klauss Vianna, Angel ajudou o marido a promover uma verdadeira revolução na dança e no teatro brasileiros, graças aos métodos de ensino praticados na escola do casal, no Rio de Janeiro.
“O que vai ocorrer eu não sei. Só sei que adoro o improviso, o que acontece naquele momento!”, reage Angel Vianna, admitindo que a surpresa funciona tanto para o público quanto para os adeptos do improviso, o que atraiu o pianista Marcos Souza quando ele cursava mestrado no Conservatório de Roterdã, na Holanda. “Sempre me impressionou a falta de diálogo entre a música e a dança”, justifica Marcos Souza. Filho do violonista Francisco Mário, o Chico Mário (irmão de Henfil e Hebert de Souza, o Betinho), desde janeiro Marcos Souiza está à frente da diretoria de produção da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais. 
“Ando impressionado com o movimento cultural de Belo Horizonte e o que tenho encontrado de apoio para projetos como este”, emenda Marcos Souza, que diz ter encontrado em Angel Vianna uma aliada de peso para divulgar a música independente. “Marcos Souza é uma presença muito forte na minha vida. Não por ele, que era uma criança na época, mas pelo pai”, completa a bailarina e coreógrafa, que, arrebatada pela música de Chico Mário, acabou adotando-a em seu trabalho. “A música de Chico Mário me comovia não pela situação de vida dele (hemofílico, como os irmãos Henfil e Betinho e que também morreram vítimas da Aids), mas pela sonoridade e melodia. Pela força que ela me remete à vida mineira.”
Parcerias Nesta terça-feira à noite, acompanhada de Dudude Hermann, especialista em improvisos na dança, Heloisa Domingues e de Karina Souza (também filha de Chico Mário), Angel Vianna vai mostrar o quanto é possível incorporar de improviso à dança, ao som do piano de Marcos Sousa e do baixo de Yan Vasconcellos, além do potente vocal de Maurício Tizumba. Como lembra Marcos Souza, Tizumba foi convidado para a apresentação “não apenas pelo congo, mas também pelo gogó; além do jogo de corpo, ele tem uma voz poderosa”. O pianista ressalta ainda o fato de Tizumba e Yan Vasconcellos estarem formando um duo especializado em improviso musical para a dança.
Depois da experiência na Holanda, onde também colaborou com companhias de teatro, além de trabalhar o improviso com bailarinos e companhias de dança, Marcos Sousa trouxe o projeto para o Brasil e chegou a apresentá-lo no Rio de Janeiro, em companhia de Angel Vianna e de outros coreógrafos e bailarinos. Em Minas, ele fez a pré-estreia ao lado do Ballet Jovem do Cefar, no Palácio das Artes, e do Grupo Espanca!, no Instituto Inhotim. A estreia propriamente será na apresentação desta noite, no Sesc Palladium.
Marcos Souza já anuncia uma segunda edição do espetáculo pensando em promover encontros de artistas como Joyce Moreno e Márcia Milhazes, Paulinho Moska e Deborah Colker, e também Túlio Mourão, Toninho Ferragutti e integrantes do Grupo Galpão. “Com o CD tocando, bailarinos e atores inconscientemente já sabem que nada vai mudar durante a apresentação. Com a música ao vivo, a situação pode mudar completamente o rumo da coreografia”, salienta Marcos Sousa. “Daí o fato de o improviso mexer com a mudança de possibilidades”, conclui.
 
PROJETO IMPROVISOS
Nesta terça-feira, às 19h, no Teatro Sesc Palladium (Rua Rio de Janeiro, 1.046, Centro). Ingressos a R$ 40 (1ª plateia), R$ 30 
(2ª plateia) e R$ 20 (3ª plateia). Informações: (31) 3214-5350. 
 


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS