O libertino, com direção de Jô Soares, discute ética, sexo, amor e relações de poder

Peça está em cartaz neste fim de semana no Teatro Sesiminas

por Mariana Peixoto 13/04/2012 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
JOÃO CALDAS/DIVULGAÇÃO
Luiza Lemmertz e Cássio Scapin dividem o palco em O libertino (foto: JOÃO CALDAS/DIVULGAÇÃO)
De férias em Paris, o ator Cássio Scapin, indicado por um amigo, foi assistir à leitura de um texto numa escola de teatro. Saiu de lá decidido a comprar os direitos para montá-lo no Brasil. Depois de cumprir temporada em São Paulo, o espetáculo O libertino, de Eric-Emmanuel Schmitt, chega a Belo Horizonte. Com direção de Jô Soares, a peça será apresentada amanhã e domingo no Teatro Sesiminas.
Um dos dramaturgos contemporâneos mais celebrados da atualidade, Schmitt levou para o centro da cena o escritor e filósofo francês Denis Diderot (1713/1784), autor da Enciclopédia, obra de 28 volumes, que ele levou 21 anos para concluir e que está na base do pensamento iluminista, que veio culminar na Revolução Francesa (1789). 
Pois a narrativa traz esse fato como pano de fundo. Na ficção, Diderot se retira para um castelo na área rural da capital francesa para se dedicar ao verbete Moral, da Enciclopédia. Isso é a penas o mote para uma trama que gira em torno de conduta moral, ética, sexo, amor e relações de poder. “Além de ser um grande autor de teatro, Eric é também filósofo. Na comédia, ele questiona a moral, já que o personagem distancia muito o pensamento da ação. Ele fala uma coisa e age de maneira diferente”, conta Scapin. 
No Brasil foram montados, do dramaturgo francês, os espetáculos Variações enigmáticas (com Paulo Autran e Cecil Thiré) e Pequenos crimes conjugais (com Maria Fernanda Cândido e Petrônio Gontijo).
Além de interpretar o papel-título, Scapin é produtor da montagem, que ainda traz no elenco Luciana Carnieli, Luiza Lemmertz (filha de Julia Lemmertz, estreando como atriz), Tânia Casttello, Erica Montanheiro e Daniel Warren. O nome de Jô Soares para dirigir a montagem foi uma opção do próprio Scapin. “É superadequado, pois além de muito inteligente, Jô tem um humor refinado, culto e é um grande comediante”, conclui ele. 
 
O LIBERTINO
sábado, às 21h, e domingo, às 19h, no Teatro Sesiminas, Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, (31) 3241-7181. Ingressos antecipados: R$ 40 e R$ 20 (meia). No dia: R$ 50 e R$ 25 (meia). 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS