Roteiro do filme 'Uma família feliz' decepciona com história frágil

Animação alemã, baseada no livro homônimo de David Safier, tenta transmitir a mensagem sobre a importância da família, mas fica só na promessa

por Ana Clara Brant 17/08/2017 08:51

Paris Filmes/Divulgação
A versão brasileira de Uma família feliz traz Juliana Paes dublando a voz de Emma, a mãe (foto: Paris Filmes/Divulgação)

Qual será o segredo da felicidade de uma família? Um casal que vive entre beijos e abraços e raramente briga? Um filho que é o destaque na escola e é cheio de amigos? Uma filha que, mesmo adolescente, não tem crise e mantém uma ótima relação com os pais? Para os Wishbones, de Nova York, o que importa mesmo é estarem juntos. No entanto, nem sempre isso é possível. Esse é o mote da animação alemã Uma família feliz, que estreia nesta quinta (17/8) nos cinemas.

A mãe, Emma, possui uma loja de livros e está profundamente endividada. Papai Frank trabalha demais e sofre sob o comando de seu chefe tirano. A filha, Fay, é uma adolescente autoconsciente e apaixonada pelo primeiro garoto por quem se interessou no ensino médio. Já o garotinho Max está sendo intimidado na escola. E não termina por aí – em uma festa a fantasia, uma bruxa malvada, Baba Yaga, transforma toda a família em monstros. Emma se torna um vampiro, Frank se transforma no monstro Frankenstein, Fay em uma múmia e Max em um lobisomem. Juntos, esses monstros devem perseguir a bruxa para reverter a maldição. Durante esta aventura casual, os Wishbones entram em conflito com alguns monstros da vida real, e também com o encantador conde Drácula, que declara seu eterno amor por Emma.

Baseado no livro homônimo do escritor alemão David Safier, o longa é dirigido por Holger Tappe, da sequência Tô de férias, com roteiro do próprio Safier e de Catharina Junk. Como boa parte das animações estrangeiras, é muito benfeita esteticamente. A riqueza de detalhes dos cenários, sobretudo os lugares que de fato existem em Nova York, Londres e Egito, impressiona, ainda mais se você assistir a uma cópia 3D. A versão brasileira ganhou uma participação, digamos, de luxo. Juliana Paes fez uma pausa nas gravações de A força do querer, em que interpreta a polêmica Bibi Perigosa, para fazer sua terceira incursão pela dublagem. As anteriores foram em Kung Fu Panda (2008), como Tigresa, e na sequência, Kung Fu Panda 2 (2011).

Agora, a atriz fluminense empresta sua voz à protagonista Emma. No vídeo oficial divulgado pela distribuidora Paris Filmes, Juliana diz que aceitou o convite para fazer uma “surpresa” aos filhos – Pedro, de 6 anos, e Antônio de 4 – e que precisou fazer exercícios de voz para se livrar de Bibi durante o processo de dublagem de Uma família feliz. “Emma é mãezona, divertida, açucarada, que preza pelo marido, os filhos. Ela tem uma energia que me cativou. Acho tão importante esses valores de família. Quando soube do que tratava o filme, pensei: ‘Vou fazer pelos meus filhos’. Queria que eles escutassem de surpresa a minha voz. Então, não contei nada”, declarou.

Por mais que o desenho queira transmitir a mensagem sobre a importância da família e a força da união, o roteiro deixa a desejar, com uma historinha frágil.

 

 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA