Crowdfunding: cineasta mineiro premiado conta com ajuda para seu primeiro longa

Filme faz campanha de financiamento pelo Kickstarter, site que viabilizou um dos vencedores do Oscar 2013. Daniel Florêncio é de Belo Horizonte e editou produção premiada pelo prêmio britânico Bafta

por Letícia Orlandi 25/02/2013 11:08

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Divulgação
(foto: Divulgação)
Na noite deste domingo, entre algumas surpresas, a cerimônia do Oscar foi marcada por um fato inédito em uma indústria tão conhecida pelas produções milionárias: a premiação de um filme financiado por meio do site de crowdfunding (vaquinha virtual em que qualquer cidadão pode contribuir financeiramente para a realização do projeto). 'Inocente' – a história de uma menina de 15 anos que se recusa a abandonar o sonho de ser artista na Califórnia (EUA) – foi o grande vencedor na categoria Melhor Documentário/Curta-Metragem. Com a ajuda de 294 apoiadores, o filme levantou mais de 52 mil dólares em sua página de Kickstarter. Outras duas produções financiadas pelo sistema foram indicadas à estatueta em 2013 - 'Kings Point' e 'Buzkashi Boys'.

Pois um diretor de Belo Horizonte não pretende ir menos longe. Daniel Florêncio, mineiro radicado em Londres desde 2005, está prestes a começar seu primeiro longa de ficção, e para isso também conta com o financiamento coletivo (para saber mais, acesse: www.kickstarter.com). Inspirado no cenário criado pelo escândalo das escutas telefônicas no Reino Unido – entre 2007 e 2012, foram identificados vários casos em que os jornais do multimilionário Rupert Murdoch fizeram uso de escutas telefônicas ilegais de forma sistemática, para descobrir furos de reportagem desenvolver matérias – o filme 'Chasing Robert Barker' conta a história de um fotógrafo de celebridades.

Para saber mais sobre o filme e participar do crowdfunding, visite o Kickstarter e assista ao vídeo abaixo, legendado em Português:



O paparazzo é enviado pelo editor de um tablóide para conseguir fotos de uma estrela de cinema - o tal Robert Barker do título. No processo, ele é obrigado a encarar o fato de como uma história em um tablóide afetou sua própria vida. "O filme é inspirado em um documentário curta metragem que produzi para a extinta 'Current TV', do ex vice-presidente americano Al Gore, recentemente vendida nos EUA para a rede Al Jazeera, do Qatar. Com o escândalo das escutas telefônicas, percebi que havia mais potencial naquela história do que os 8 minutos iniciais”, explica Daniel.

Pela temática - um thriller psicológico que discute o processo de produção jornlística atual - e frescor do roteiro, o filme vem atraindo bastante interesse. Alguns nomes do cinema britânico já estão lendo o roteiro para o papel de Robert Barker, mas o nome não está definido. Confirmados estão os atores Patrick Baladi e Hilda Peter.

Reprodução/ unitedagents.co.uk
Patrick Baladi, escalado para 'Chasing Robert Baker', estrelou a série inglesa 'The Office' (foto: Reprodução/ unitedagents.co.uk)
Baladi ganhou fama como o antagonista do humorista Richard Gervais na série 'The Office'. Em 2013, além de interpretar o jornalista Olly em 'Chasing Robert Barker', ele também estrela o filme Rush, do diretor americano Ron Howard. Já Hilda, que no filme interpreta a garota de programa Suzie, ganhou notoriedade no papel-título do filme 'Katalin Varga', ganhador do Urso de Prata no Festival de Berlin em 2009 do prêmio de melhor atriz no Festival Europeu de Cinema.

Crowdfunding
Se conseguir os recursos, o filme começa a ser rodado em abril. O Kickstarter é um site pioneiro para financiamento de projetos criativos, seja de design, cinema, teatro ou música. Em contrapartida pela contribuição financeira, os internautas recebem produtos derivados. No caso de 'Chasing Robert Barker' a contrapartida varia desde o DVD ou Blu-Ray do filme, participação como extra (figurante), os originais do storyboard do filme, ou créditos na abertura como co-produtor. O prêmio varia de acordo com a quantia doada, que começa em 1 libra – cerca de três reais.

"Qualquer um pode entrar no site e contribuir. Há opções pra todos os bolsos. Mas o importante é a participação. É fazer o filme acontecer! Tem quem ache que precisa dar uma fortuna pro filme. Mas a idéia de crowdfunding é justamente que, se todo mundo der um pouco, o objetivo pode ser alcançado. Pelas regras do site, se o valor final não é atingido, não recebemos nada!", salienta o cineasta. Até agora, foram obtidos 20% da meta, e o prazo final é o dia 18 de março.


Belo Horizonte tem participado em peso. Aproximadamente 80% das £10.000 (R$30.000) que já foram captadas vieram da cidade. "Fico muito feliz de ver tanto apoio vindo de BH. Afinal, lá estão minhas raízes, minha família e meus amigos, e é bom ver que não estou realizando esse projeto sozinho. Filmes são projetos coletivos que necessitam de muita ajuda, e é muito bom ver que mesmo distante, minha cidade ainda caminha comigo". Por causa do apoio, a equipe já decidiu que haverá uma sessão especial na capital mineira.

Florêncio trabalhou no desenvolvimento e no lançamento da Current TV no Reino Unido, para quem produziu vários documentários. Ele também foi editor da serie 'O Show Secreto', ganhadora do Bafta – o Oscar do cinema britânico - de melhor animação. Ele produziu ainda comerciais para clientes como Google, CNN, Siemens, Beatles Rockband, entre outros. Seu último filme, 'Awfully Deep' foi pré-indicado para o Bafta de melhor curta-metragem e está sendo exibido no Canal Plus, da França.

Divulgação
Editor de série ganhadora do Bafta, Daniel mora em Londres desde 2005. "Há quem ache que é preciso contribuir com uma fortuna para fazer um filme longa-metragem. Mas o crowdfunding e até mesmo o Oscar 2013 mostram que não: todo mundo pode contribuir com um pouquinho", explica o cineasta (foto: Divulgação)

 

 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA