Irã protesta contra prêmio para cineasta dissidente na Berlinale

Diretor Jafar Pahani cumpre prisão domiciliar e filmou seu longa ilegalmente, para mostrar seu cotidiano

por AFP - Agence France-Presse 19/02/2013 16:50

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
(AFP / ATTA KENARE)
Longa de Panahi exibido no festival teria sido produzido ilegalmente, informaram autoridades iranianas em comunicado (foto: (AFP / ATTA KENARE))
O Irã protestou nea segunda-feira, 18, contra o prêmio atribuído pelo Festival de Cinema de Berlim ao cineasta dissidente Jafar Panahi, que recebeu o Urso de Prata de melhor roteiro pelo filme 'Pardé' ('Cortinas fechadas', no português), noticiou a agência Isna. O diretor de cinema iraniano, que cumpre prisão domiciliar, filmou a fita ilegalmente, com ajuda do amigo Kamboziya Partovi, para mostrar como vive em seu dia a dia. "Protestamos junto aos organizadores do festival de cinema de Berlim", declarou o vice-ministro da Cultura Javad Shamaqdari, citado pela Isna. "Todo mundo sabe que fazer um filme e enviá-lo ao exterior exige uma autorização", acrescentou o alto funcionário. "Rodar tais filmes é ilegal, mas até agora a República Islâmica demonstrou ter paciência", emendou. Panahi, detido quando tentava gravar um documentário sobre as manifestações de protesto suscitadas pela polêmica reeleição do presidente Mahmud Ahmadinejad em 2009, foi condenado a uma proibição de fazer filmes por 20 anos. Ele também foi condenado a seis anos de prisão, pena que cumpre em seu domicílio.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA