MPB - Música Portuguesa Brasileira, de Pierre Aderne, terá pré-estreia no Festival do Rio

Filme tem destaque no festival pela associação da mostra com o Ano de Portugal no Brasil

05/10/2012 08:29

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Canal Brasil/Reprodução
(foto: Canal Brasil/Reprodução)
A edição 2012 do Festival do Rio, que segue até o dia 11 na capital carioca, terá nesta sexta-feira a pré-estreia do filme MPB – Música Portuguesa Brasileira, seguida de pocket show com Pierre Aderne, Fernanda Abreu e Cuca Roseta, entre outros convidados. Será a partir das 20h, na sede do festival, no Armazém da Utopia. No Ano de Portugal no Brasil, o cantor e compositor Pierre Aderne lança documentário sobre a nova safra de artistas portugueses. O longa foi filmado nos dois apartamentos de Pierre (um no Rio, outro em Lisboa) e no Conservatório Nacional de Lisboa. Com rico material em mãos, ele percebeu que havia conteúdo exclusivo para uma série de TV também, lançada pelo Canal Brasil. Fado, música brasileira e mornas de Cabo Verde misturam-se promovendo rica troca cultural luso-brasileira. Fernanda Abreu é uma das convidadas de Aderne. Como o festival se associou ao Ano de Portugal no Brasil, o cinema português tem destaque com a exibição de mais de 30 filmes, além de homenagem aos cineastas Manoel de Oliveira e João Pedro Rodrigues na mostra Imagens de Portugal. Para celebrar a parceria, produtores e diretores lusitanos participaram de encontro esta semana. Estiveram presentes João Botelho e Alexandre Oliveira, respectivamente diretor e produtor do Filme do desassossego, Dario Oliveira (produtor de oito filmes, entre eles O milagre de Santo Antônio), João Figueiras (produtor de A última vez que vi Macau), Luís Urbano e Ivo Müller, respectivamente, produtor e ator de Tabu, Maria João Mayer (produtora de República de Mininus) e Ilda Santiago (diretora do Festival do Rio). A crise na Europa, especialmente em Portugal, e a importância das coproduções foram os assuntos mais comentados no encontro. Luis Urbano destacou a parceria entre Portugal/Alemanha/Brasil como um dos motivos para o sucesso de Tabu, longa que ganhou o prêmio da Federação Internacional da Crítica (Fipresci) no Festival de Berlim 2012. O filme integra programação do FestRio. Maria João Mayer revelou que já fez oito coproduções com o Brasil e antecipou que lançará filme com Irene Ravache no elenco. A expectativa da chegada da nova Lei do Cinema e do Audiovisual aprovada pelo governo português, que entra em vigor segunda-feira, foi tema de debate: “Essa lei é boa, mas não perfeita. Representa uma luta muito grande. Esperamos que o ano que vem não seja como este. Não houve apoio nem produção cinematográfica. Precisamos ter estabilidade social e econômica no país”, destacou Urbano. “Nosso cinema não tem uma pátria, falta orgulho nacional. Fazemos filmes porque temos orgulho do nosso país e queremos mostrá-lo ao mundo”, completou João Botelho.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA