Primeiro dia de carnaval em BH tem folia da madrugada até o fim da noite

Blocos atraíram milhares de pessoas que seguiram trios elétricos e esbanjaram criatividade na hora de montar as fantasias

Sidney Lopes/EM/D.A.Press
(foto: Sidney Lopes/EM/D.A.Press)

Ainda era madrugada quando os primeiros foliões belo-horizontinos saíram de casa para se unir às dezenas de blocos de carnaval que ocuparam as ruas e avenidas da capital mineira ao longo deste sábado. Entre as principais atrações do dia, destacaram-se o Então, brilha!, Quando Come se Lambuza e Bloco da Calixto, que atraíram milhares atrás das baterias e trios elétricos. Mas também sobraram opções de bloquinhos menores, que percorreram a capital seguidos por foliões animados e cheios de criatividade na hora de escolher as fantasias.


Os relógios ainda não haviam marcado 7h, mas a Rua Guaicurus, na região boêmia da cidade, já estava pintada de rosa e dourado com a presença do Então, brilha!, que apostou também nas cores do arco-íris em homenagem à diversidade. Uma bateria de 250 músicos, vestidos com roupas brilhante e coloridas, embalou uma multidão ao som de clássicos do axé dos anos 90, músicas de filmes e desenhos animados e outros ritmos carnavalescos.

De acordo com os organizadores do bloco, foram mais de 100 mil foliões dançando e cantando pelo hipercentro da capital debaixo de muito brilho, confete e serpentina. Durante o cortejo, que terminou na Praça da Estação, um helicóptero sobrevoou os foliões jogando pedacinhos de papel brilhante e purpurina levando o público à loucura. Uma bandeira gigante LGBT também foi aberta ao longo do desfile.

Também no Centro da capital, o desfile do Bloco Quando Come Se Lambuza tomou conta da Avenida Afonso Pena. Foliões curtiram o misto de axé, sertanejo, funk, pop, samba e MPB e mantiveram a animação durante todo o desfile, mesmo com a ameaça da chuva, que já se aproximava da Região Central.


À tarde, foi a cantora Aline Calixto levou o público ao delírio ao comandar um dos blocos mais aguardados do dia. O trio percorreu a Avenida Bernardo Monteiro e a Rua Professor Moraes, no Bairro Funcionários, Região Centro-Sul da capital. Em cima do palco, Calixto se animava ao ver a multidão que a acompanhava. "Ano passado tinham 70 mil pessoas. Este ano, não consigo ver o fim do bloco. Tem muito mais gente", comemorou.


À noite, a Praça da Estação ficou lotada com a apresentação dos três shows programados para o espaço pela Belotur. Dudú Nicácio e a Banda “A Fase Rosa”, abriram a noitada, às 18h30, mas já pegaram o público quente, pois desde as 17h DJ's com músicas de carnaval, esquentaram o povão. Logo em seguida, “Gilmar do Cavaco” e fechando a noite, o grupo Mandacar.

Para que todos pudessem a aproveitar a “Folia de Momo”, a Belotur montou três palcos, uma na rua Guaicurus, que começa cedo; depois na Avenida Brasil, e na Praça da Estação. E foi, sem dúvida, nesse último que o povão pegou fogo, pois foi uma diversão gratuita, com o povo se esbaldando.

Mapa da Folia


Para quem ainda está em dúvida sobre quais blocos acompanhar nos próximos dias, o Portal Uai preparou o Mapa da Folia, com datas, horários e locais das principais atrações do carnaval em BH. Para ter acesso, basta clicar na imagem abaixo ou acessar o mapa aqui.


Mudanças no trânsito


Quem não participa da festa e precisa do transporte público enfrentou dificuldades ao longo do dia. Muitos usuários não sabiam das mudanças nos pontos de embarque e desembarque dos ônibus no Centro da capital e foram pegos de surpresa.

A BHTrans começou a anunciar as mudanças nos itinerários e pontos ainda na sexta-feira, nas redes sociais. Uma região da área central, que está sendo chamada de mancha, está com desvios fixos para o transporte coletivo. As alterações e horários dos blocos estão no site da empresa de trânsito.

No entanto, vários passageiros foram surpreendidos com a mudança. Um grupo de foliões que seguia para a Região da Savassi em um coletivo da linha 62 (Estação Venda Nova/Savassi) se assustou quando o cobrador informou que o ponto final agora é na Avenida Alfredo Balena.

Pessoas que trabalham no trecho da Afonso Pena após a Avenida Brasil tiveram que subir a avenida a pé, atravessando um bloco. Muitos passageiros também foram vistos nos pontos de ônibus do trecho interditado, sem saber das alterações. Não há cartazes nos pontos comunicando a mudança.

Caos em Confins


Passageiros que estiveram no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, neste sábado, enfrentaram longas filas, atrasos e cancelamentos de voos. Dados divulgados às 17h pela BH Airport, concessionária responsável pelo terminal, mostram que cinco voos foram cancelados e outros 31 sofreram atrasos. Desses, 14 aconteceram com aeronaves que chegavam ao aeroporto e 17 que deixavam o local.

O problema começou a ser sentido desde cedo pelos passageiros. Clientes da Latam lotavam o saguão do terminal tentando embarcar desde a noite anterior. Quem tinha viagem prevista para o período da manhã, também ficou em terra firme. O motivo, segundo a companhia aérea, seria o temporal que caiu em São Paulo de madrugada, deixando o Aeroporto de Congonhas inoperante.

Ocorrências policiais

O aumento do público no carnaval de Belo Horizonte não impactou no número de ocorrências. Foram registrados furtos de celulares, desentendimentos e crimes corriqueiros durante a passagem dos blocos pela capital mineira. Dados da Polícia Militar (PM) divulgados na noite deste sábado indicam que quatro pessoas já foram detidas, com drogas e armas brancas. Para o major Flávio Santiago, chefe da assessoria de imprensa da corporação, houve redução 'significativa no índice de criminalidade'.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CARNAVAL