UAI

Ronaldo Esper relata terror ao ter casa invadida por criminosos em SP

Bandidos fugiram sem levar nada e o estilista de alta costura foi socorrido por vizinhos

Com cabeça enfaixada, Ronaldo Esper relata terror ao ter casa invadida por criminosos Reprodução/RedeTV!
Douglas Lima - Especial para o Uai clock 10/03/2024 23:34
compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp SIGA NO google-news

Ronaldo Esper, de 79 anos, apareceu todo machucado neste domingo (10/03), no Geral do Povo, na Rede TV!, para contar detalhes após ter sua casa invadida por um criminoso na noite da última sexta-feira (08/03). O estilista de alta costuma foi espancado e precisou receber atendimento médico.  

Leia Mais

Em entrevista ao Geraldo Luís, ele disse disse que não tem ideia sobre o que motivou o ataque e reforçou que não conhece o homem que entrou na residência. No entanto, acredita que o agressor era de seu meio. "Eu acho que é uma pessoa que trabalha com artes", afirmou, descrevendo o homem. "Uma pessoa comum, branco, moreno claro, uma altura comum. A pessoa estava muito bem vestida realmente", frisou.

 

"Estou muito abalado ainda, mas muito feliz por você ter me convidado. Está um pavor. Eu quero contar a minha versão. Eu moro atrás do shopping Frei Caneca, eu moro em uma casa de três andares, enorme. Eu saí, fechei a casa, o jardim, fechei tudo, e fui ao shopping encontrar com amigos. Alguma coisa me dizia que eu devia voltar", iniciou.

 

"Voltei, mais ou menos, às 22h. Quando eu encostei a mão na porta principal, ela estava aberta. Alguém tinha uma cópia da chave, não teve arrombamento. Na hora que eu entrei, eu vi um homem que eu nunca tinha visto na minha vida. Eu falei: 'O que você está fazendo aqui?'. Eu tive a impressão que o propósito dele era que eu não estivesse ali", explicou.

 

"Ele começou a me agredir, ele já estava quase para entrar no salão, tudo aconteceu na escada. Ele me bateu muito. Depois que ele me bateu, ele simplesmente foi embora. Eu acho que, quando eu entrei, eu vi mais dois homens. Eu acho que sim", destacou.

 

Esper, então, contou que nenhum objeto foi roubado do imóvel, já que o bandido não teve a chance de continuar circulando pelo local.

"Eu fiquei lá naquele desmaia não desmaia, eu estou com quase 80 anos. Ele meteu o braço, me fez um rasgo aqui na cabeça. Ele só usou a mão, mas ele usou um objeto cortante. Não sei o que era. Nunca vi essa pessoa. O homem estava vestido com uma elegância que você não pode imaginar, de terno, gravata".

Ronaldo Esper

"Ele me bateu muito na cabeça, eu tentava lembrar das coisas, mas eu tenho certeza que eu não conheço esse homem. Não sei qual era o intuito dele. Não foi roubado [nada] porque como eu entrei, e ele estava no meio da escada, ele não foi para dentro. Não houve roubo", finalizou.

 

O caso foi registrado no 14º Distrito Policia (DP), "que atua para identificar os autores e esclarecer os fatos", informou a Secretaria de Estado dos Negócios da Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP).

 

Confira, abaixo, um trecho da entrevista:

 

compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp