UAI

TV Globo corta cena que menciona Jesus Cristo como 'comunista' em Pantanal

Texto teve a maior parte das sequências sobre política suprimidas para evitar polêmicas

Reprodução/TV Globo Reprodução/TV Globo
Douglas Lima - Especial para o Uai clock 26/07/2022 20:03
compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp SIGA NO google-news

Em Pantanal (2022), José Leôncio (Marcos Palmeira) e sua turma já mostraram que adoram uma prosa sobre política. Em cenas previstas para o capítulo 106 do último sábado (23/07), o fazendeiro iria iniciar uma conversa sobre o assunto e iria detonar políticos de direita, como o presidente Jair Bolsonaro (PL).

Em uma de suas frases, o patriarca falaria que se Jesus Cristo fosse candidato nessas eleições, seria tratado como "comunista". A sequência, no entanto, não foi ao ar na emissora, que também cortou o beijo supostamente incestuoso entre Guta (Julia Dalavia) e Marcelo (Lucas Leto), que na verdade não são irmãos, pois ele não é filho de Tenório (Murilo Benício).

 

De acordo com as informações exclusivas do site Notícias da TV, que revela ter tido acesso ao roteiro original, a sequência envolvia ainda Jove (Jesuíta Barbosa), Mariana (Selma Egrei), Tadeu (José Loreto), José Lucas (Irandhir Santos), Érica (Marcela Fetter), Filó (Dira Paes) e Irma (Camila Morgado).

 

Na trama, o assunto viria à tona após José Leôncio se recusar a assistir na televisão o horário eleitoral gratuito, mesmo sob tentativa de Jove (Jesuíta Barbosa). Cenas que estavam previstas para entrarem depois do momento de críticas aos políticos foram ao ar, como estavam programadas no roteiro - entre elas estão as sequências de Juma (Alanis Guillen) e Jove na cama, assim como as que encerrar o capítulo entre José Lucas com Érica (Marcela Fetter).

Confira como era a sequência escrita pelo autor Bruno Luperi:

"Mêma lenga-lenga", diria o fazendeiro, referindo-se ao espaço veiculado pela TV. "Quanto mais baixaria, maior a audiência", completaria Mariana. Logo, José Lucas iria botar mais lenha na fogueira, o peão iria dizer que a população tem a memória "curta demais" e chega cogitar um cenário onde Jesus Cristo seria um dos candidatos. "Agora, se fosse Jesus que saísse candidato, eu duvido muito que recebesse um só voto", iria opinar o filho do rei do gado, que terá o apoio do patriarca. "De jeito manêra! Era capaiz de crucificarem ele ôtra veiz! Ia ser acusado de comunista", iria analisar o boiadeiro.

 

"É só chegá época de eleição, e eles descobre que tem criança abandonada, que o salário mínimo é uma porcaria, os aposentado tão passâno fome, que tem muita violência na cidade...", acrescentaria o dono dos bois. Diante do discurso do pai, Jove daria um apelido ao pecuarista. "Robin Hood à pantaneira", dispararia o rapaz após José Leôncio prometer que se fosse candidato, o dinheiro do povo voltaria a mão do povo.

compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp