UAI

Wesley Safadão é denunciado por deputada após vídeo com a filha

A deputada federal Eliza Virginia (PP) fez a denúncia na Ouvidoria do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH)

Reprodução/Instagram/Montagem Reprodução/Instagram/Montagem
Douglas Lima - Especial para o Uai clock 28/07/2022 15:10
compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp SIGA NO google-news

cantor Wesley Safadão está sendo acusado de "erotização infantil" no Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). A denúncia foi feita pela deputada federal Eliza Virginia (PP), ela acusa o artista de erotizar a filha, Ysis, de 8 anos de idade, em vídeo publicado nas redes sociais no dia 17 de julho, em que ela aparece dançando e cantando o novo single do pai, Macetando.

Um dos trechos da canção diz: "Ai, vida, ai, vida, ai vida, bota de red de melancia, pra novinha, com gin que tu vai [sic] ver p*tar*a. Chama as 'amiguinha' [sic], o baile vai ferver! Só quem é gostosa levanta a mão. Sentando, sentando, sentando, sentando, novinha sentando, sentando, sentando / Ma-macetando".

 

Nas redes, a parlamentar postou um vídeo dizendo que o forrozeiro expôs a criança em uma música que considera "absurda, obscena e com conotação explícita sexual". Na denúncia, Eliza alegou que "há evidente erotização infantil", que fere o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e induz à pornografia e à prostituição.

 

A deputada que é uma apoiadora do presidente Jair Bolsonaro (PL), divulgou um print de um e-mail que indica que o Ministério Público (MP) aceitou a solicitação. "No uso das minhas atribuições como mãe, como mulher, como cidadã cristã e deputada federal, coloquei agora no Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos uma denúncia que apresento em relação ao vídeo que tem circulado na rede de Safadão", destacou a parlamentar.

 

"Há evidente erotização infantil que fere o Estatuto da Criança e do Adolescente em seu artigo terceiro, que estabelece que a criança e o adolescente gozem de todos os direitos fundamentais e inerentes à pessoa humana sem prejuízo da proteção integral, o que você, Wesley, não está fazendo", acrescentou Eliza Virginia.

 

Confira, abaixo, o post:

compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp