CASA FIAT DE CULTURA REALIZA BATE-PAPO COM ZEROCALCARE, PREMIADO QUADRINISTA ITALIANO

DATA

  • 01/06/2018 à 01/06/2018

LOCAL / INFO

PREÇOS

  • Entrada Franca

CASA FIAT DE CULTURA REALIZA BATE-PAPO COM
PREMIADO QUADRINISTA ITALIANO

 

Zerocalcare relata sua experiência na guerra da Síria, que virou HQ. Sucesso editorial na Itália, o livro já foi traduzido para cinco idiomas

 

 

No dia 1º de junho, a Casa Fiat de Cultura realiza um bate-papo com o premiado quadrinista italiano Zerocalcare, que abordará o tema &ldquoHistória de uma resistência. Impressões sobre a Guerra na Síria&rdquo. O assunto faz referência à HQ &ldquoKobane Calling &ndash Ou como fui parar no meio da guerra na Síria&rdquo, lançada em 2016 pela Editora Nemo. Sucesso de vendas e crítica na Itália, a publicação foi traduzida para inglês, francês, espanhol, alemão e português e venceu o prêmio Micheluzzi na Napoli Comicon 2017 na categoria &ldquoMelhor História em Quadrinhos&rdquo. O bate-papo, que terá tradução simultânea, acontece das 18h às 19h30, com entrada gratuita e espaço sujeito à lotação (100 lugares).

 

 

A história que deu origem à HQ começa com uma viagem de Zerocalcare, em novembro de 2014, à fronteira entre Turquia e Síria, região que atualmente enfrenta um grande conflito político-social. Enviado por um jornal italiano, o quadrinista visita a região com o objetivo de chegar à cidade de Kobane, onde o povo curdo luta para conter o avanço do Estado Islâmico. O relato da viagem é publicado na revista &ldquoInternazionale&rdquo por meio de uma reportagem em quadrinhos em janeiro de 2015 e, com o retorno de Zerocalcare à Síria em julho do mesmo ano, uma série de relatos são publicados e posteriormente compilados na HQ &ldquoKobane Calling &ndash Ou como fui parar no meio da guerra na Síria&rdquo.

 

 

Neste livro, Zerocalcare produz uma reportagem de sinceridade pungente, um testemunho perturbador que transmite a complexidade e as contradições de uma guerra muitas vezes simplificada pela mídia internacional e pelos discursos políticos. Tudo isso com um tom extremamente bem-humorado e ao mesmo tempo tocante &ndash a linguagem e o universo de um autor que sabe como ninguém representar as pessoas, o cotidiano, os medos e as aspirações de sua geração. &ldquoNo começo, em minha partida para a fronteira turco-síria, não havia a intenção de fazer um livro. Eu viajei com a intenção de ajudar de alguma forma, levando medicamentos etc, para a resistência curda. Ao longo do tempo, transformei minhas impressões em um diário de viagem em quadrinhos, e depois em um livro. Estamos falando de uma experiência que aconteceu há mais de dois anos, mas é muito importante que continuemos a falar sobre o que está acontecendo ali e o que tem feito a resistência curda para derrotar o Estado Islâmico&rdquo, comenta o quadrinista.

 

 

O evento é uma realização do Ministério da Cultura, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, e da Casa Fiat de Cultura, com o patrocínio da Fiat Chrysler Automóveis (FCA), Banco Fidis, Fiat Chrysler Finanças, Fiat Chrysler Participações e Banco Safra, conta com o apoio do Consulado da Itália em Belo Horizonte, Fundação Torino Escola Internacional e Editora Nemo e tem o apoio institucional do Circuito Liberdade, Instituto Estadual do Patrimônio Histórico (Iepha), Governo de Minas e Governo Federal.

 

 

Contexto histórico

Os curdos são um povo dividido em quatro países: Turquia, Síria, Iraque e Irã, e, em cada um desses países, sua identidade tem sido reprimida. Em 2011, durante a guerra civil síria, os curdos sírios proclamaram a autonomia de uma faixa de terra &ndash Rojava ou Curdistão Sírio, dividida em três cantões: Afrîn, Kobane e Cizreuma &ndash, uma confederação democrática regida por um contrato social baseado na pluralidade étnica e religiosa, na democracia participativa, na emancipação feminina, na redistribuição da riqueza e na ecologia.

Porém, o avanço do Estado Islâmico na Síria chegou até Rojava. Muitos vilarejos foram ocupados e milhares de pessoas fugiram para evitar os massacres e raptos provocados pelo grupo radical. Enquanto isso, em Kobane, as Unidades de Proteção do Povo Curdo &ndash as YPJ, formada por mulheres, e as YPG, mistas &ndash resistem ao cerco do Estado Islâmico, apesar de terem menos armas e suprimentos.

 

Zerocalcare

Michele Rech, conhecido como Zerocalcare, nasceu em Arezzo (Itália), em 1983. Depois de viver algum tempo na França, mudou-se para Rebibbia, um bairro popular de Roma, com o qual estabeleceu uma ligação muito forte &ndash talvez inextricável. Sempre ativo nos movimentos e redes sociais, participa de várias edições do importante festival &ldquoCrack! Fumetti Dirompenti&rdquo e começa a fazer cartazes, capas de discos e fanzines.

Em 2011, lança sua primeira HQ, &ldquoLa profezia dell&rsquoArmadillo&rdquo [A profecia do tatu], e a partir daí inicia uma longa parceria com a editora BAO. Seu blog, zerocalcare.it, torna-se em pouco tempo um site muito visitado, a ponto de, em 2012, ser indicado ao Prêmio Attilio Micheluzzi na categoria Melhor Webcomic da Napoli Comicon, e ao Macchianera Award como Melhor Desenhista &ndash Cartunista.

Ainda em 2012, &ldquoLa profezia dell&rsquoArmadillo&rdquo ganha o prêmio Gran Guingi da Lucca Comics & Games como Melhor História Curta. No mesmo ano, publica seu segundo livro, &ldquoUm polpo alla gola&rdquo. Em 2013 publica &ldquoOgni maledetto lunedì su due&rdquo, uma coletânea das histórias do blog. Também nesse ano, faz &ldquoDodici&rdquo, história do gênero zumbi-apocalíptico e uma declaração de amor por seu bairro, Rebibbia.

Em 2015, publica na revista &ldquoInternazionale&rdquo uma reportagem em quadrinhos sobre sua visita à fronteira turco-síria em apoio ao movimento de resistência curdo contra o Estado Islâmico, que deu origem à HQ &ldquoKobane Calling&rdquo. O premiado livro vendeu mais de 400 mil exemplares na Itália e já foi traduzido para cinco idiomas.

 

Casa Fiat de Cultura

Há 12 anos, a Casa Fiat de Cultura cumpre importante papel na transformação do cenário cultural mineiro, ao apresentar, em Belo Horizonte, algumas das mais relevantes e prestigiadas exposições já realizadas no Brasil. Foram mais de 40 exposições de consagrados artistas brasileiros e internacionais, além de mostras de artistas que despontam na cena contemporânea. Sua contribuição à renovação da produção artística e à formação de público se estende por meio de uma programação diversificada de música, palestras e de um Programa Educativo que propõe conceitos e reflexões no diálogo com o público em visitas mediadas e nas práticas promovidas no Ateliê Aberto, um espaço de experimentação artística livre. A Casa Fiat de Cultura integra um dos mais expressivos corredores culturais do país, o Circuito Liberdade, em Belo Horizonte. Em sua sede no histórico edifício do Palácio dos Despachos apresenta, em caráter permanente, o simbólico painel de Portinari, Civilização Mineira, de 1959. Mais de 2 milhões de pessoas já visitaram suas exposições e 350 mil participaram de suas atividades educativas.

 

SERVIÇO

Bate-papo com Zerocalcare: História de uma resistência. Impressões sobre a Guerra na Síria

1º junho de 2018

18h às 19h30

Palestra em italiano com tradução simultânea

Entrada gratuita, com espaço sujeito à lotação (100 lugares)

A HQ &ldquoKobane Calling &ndash Ou como fui parar no meio da guerra na Síria&rdquo estará à venda na Casa Fiat de Cultura por R$ 49,80.

 

Casa Fiat de Cultura

Circuito Liberdade

Praça da Liberdade, 10 &ndash Funcionários &ndash BH/MG

Horário de funcionamento: terça a sexta, das 10h às 21h &ndash Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h

 

Informações

(31) 3289-8900

www.casafiatdecultura.com.br

casafiat@casafiat.com.br

facebook.com.br/casafiatdecultura

Instagram: @casafiatdecultura

Twitter: @casafiat

www.circuitoculturalliberdade.com.br

www.casafiatdecultura.com.br

+EVENTOS

Eventos