Comédia 'Tal mãe, tal filha' traz Juliete Binoche como uma mulher irresponsável

por Mariana Peixoto 16/06/2017 10:54

California Filmes/Divulgação
Camille Cotting e Juliette Binoche interpretam a filha certinha e a mãe porra-louca que engravidam ao mesmo tempo (foto: California Filmes/Divulgação)

Uma Juliette Binoche solar, como há muito não se via. É este o chamariz de Tal mãe, tal filha, filme de Noémie Saglio. A história já foi explorada de diferentes maneiras pelo cinema e pela televisão. Uma mãe porra-louca e sua filha certinha vivem papéis invertidos. Aqui, a filha é quem toma conta da mãe. Só que na comédia francesa, a relação se complica quando mãe e filha engravidam na mesma época.



“Eu precisava de uma atriz de 50 anos que ainda pudesse engravidar. Tinha pelo menos cinco atrizes com este perfil. Enviei o roteiro para o agente da Juliette. Todos os meus amigos perguntaram como eu poderia achar que ela participaria da minha comédia. Eu pensei: ‘Por que não?’”, comenta a diretora.

Pois Noémie ainda a colocou loira. “Queria quebrar aquela imagem que se tem dela de filmes difíceis, sombrios”, acrescenta. Em Tal mãe, tal filha – que chega ao circuito comercial em 20 de julho – Juliette Binoche é Mado. Chegando próximo dos 50, ela, que não tem emprego, vive com a filha Avril (Camille Cottin) e o genro Louis (Michaël Dichter).

Como engravidou jovem – 17 anos separam mãe e filha – e sempre foi irresponsável, Avril teve que amadurecer muito rápido. Tem um emprego fixo e tenta manter o cotidiano organizado, a despeito de sua “companheira” de casa, que, além de passar os dias passeando por Paris em sua scooter, adora uma noitada. As duas, apesar das diferenças, se dão bem. E a filha é geralmente confundida com a irmã mais nova da mãe. A dupla gravidez vai mudar a relação.

“Normalmente, faço personagens fortes, que não têm medo de falar o que pensam. Avril é o meu primeiro personagem no cinema em que vivo quase que uma vítima. E foi muito bom ver Juliette atuar. É interessante a maneira como ela trabalha. Mesmo que tenha se preparado antes, é no set que ela constrói, aos poucos, a personagem”, comenta Camille Cotin.

Camille está no elenco dos longas de Noémie, Beijei uma garota (2015) o mais conhecido deles. A atriz também é muito presente na televisão francesa. Popularizou-se em Connasse, programa de humor do Canal+ em que interpreta uma mulher mal-educada, franca e sem escrúpulos. A personagem acabou chegando ao cinema, como o protagonista de Connasse, princesse des coeurs (2015), também dirigido por Noémie.

“Cada vez mais atores querem fazer comédia e drama. Meu agente costuma dizer que tenho que fazer de tudo, pois um público só não é mais suficiente”, comenta a atriz. Para a diretora, fazer comédia tem sempre dois lados. “É mais fácil para conseguir dinheiro (para realizar a produção). Por outro lado, você é julgado por fazer comédia, especialmente no cinema francês.”

TAL MÃE, TAL FILHA

Sessões hoje, às 20h40, e domingo, às 16h, no Cine Ponteio; e segunda, às 19h, no Cine Belas Artes

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SÉRIES E TV