Hamilton de Holanda grava clássicos de Bituca com participação de Alcione

Bandolinista assume o lado cantor em música dedicada ao drama dos sírios

por Ana Clara Brant 28/05/2017 07:00

A admiração de Hamilton de Holanda por Milton Nascimento começou quando o bandolinista era criança. Provavelmente, a primeira vez em que ele ouviu algo ligado ao artista de Três Pontas (MG) foi em meados dos anos 1980, quando Coração de estudante, parceria com Wagner Tiso, estava no auge. “A partir de então, sempre o escutei muito. Adorava o disco Encontros e despedidas, o Angelus também é lindo. Ficava com aquelas trilhas na cabeça, por isso sempre tive vontade de fazer uma homenagem ao Milton”, revela.

Rafael Silva/divulgação
Rafael Silva/divulgação (foto: Rafael Silva/divulgação)

O tributo, que finalmente se concretizou, celebra duas efemérides: os 10 anos do primeiro disco do Hamilton de Holanda Quinteto e os 75 de Bituca, que serão completados em outubro. Com arranjos fiéis à obra do homenageado, o CD e DVD Casa de Bituca (Biscoito Fino) traz toda aquela ideia de aconchego, de humanidade e de esperança que marcam a trajetória do autor de Travessia, Morro velho e Canção do sal.

“Esse projeto reforça o lado compositor dele, a coisa do Clube da Esquina e tudo o que o Bituca representa. É um desafio enorme criar algo e manter as harmonias do Milton. Sem contar que a gente queria passar o sentimento que a música dele tem, a coisa da amizade, do humano”, comenta Hamilton, que forma o quinteto com André Vasconcellos (baixo elétrico), Gabriel Grossi (harmônica), Marcio Bahia (bateria) e Daniel Santiago (violão).

ALCIONE
O repertório contempla clássicos de Bituca em parceria com Fernando Brant (Canção da América, Ponta de areia e Bicho homem, que abre o disco e traz a participação do próprio homenageado), com Lô e Márcio Borges (Clube da Esquina nº 2) e com Márcio (Vera Cruz). Alcione faz participação pessoal em Travessia.

O bandolinista assina a faixa bônus Guerra e paz e Mar da indiferença (com Marcos Portinari). Nessa última, Hamilton assume pela primeira vez os vocais. “Foi um momento muito triste que me inspirou. Depois de ver a foto daquele garotinho sírio que fugiu da guerra, o Aylan Kurdi, morto na beira da praia, me senti muito mal e fiz a canção. Mandei imediatamente pro Marcos Portinari, que achou o sentimento nas notas e revelou a poesia. A gravação contou com a participação dos filhos e das mulheres dos integrantes do quinteto. Apesar de o sentimento ser de tristeza, essa coisa da união da família, que é tão mineira, se fez presente”, destaca.

Os shows de Casa de Bituca estão previstos para o segundo semestre. “Como tenho outros projetos e os outros músicos também, a gente vai fazer a turnê só a partir do meio do ano. Ficamos muito satisfeitos com o resultado. Esbarrei com o Milton num avião, ele acabou assistindo ao DVD durante o voo e adorou. Eu não poderia estar mais feliz em ver o nosso mestre contente”, conclui.

CASA DE BITUCA
. Hamilton de Holanda Quinteto
. Biscoito Fino
. Preço sugerido: R$ 42,90

FAIXAS
BICHO HOMEM
Milton Nascimento e Fernando Brant

BOLA DE MEIA, BOLA DE GUDE
Milton Nascimento e Fernando Brant

CLUBE DA ESQUINA Nº 2
Milton Nascimento, Lô Borges e Márcio Borges

MARIA TRÊS FILHOS
Milton Nascimento e Fernando Brant

MAR DA INDIFERENÇA
Hamilton de Holanda e Marcos Portinari

PONTA DE AREIA
Milton Nascimento e Fernando Brant

CONVERSANDO NO BAR
(SAUDADES DOS AVIÕES DA PANAIR)
Milton Nascimento e Fernando Brant

CANÇÃO DA AMÉRICA
Milton Nascimento e Fernando Brant

VERA CRUZ
Milton Nascimento e Márcio Borges

TRAVESSIA
Milton Nascimento e Fernando Brant

GUERRA E PAZ
Hamilton de Holanda

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA