Novo CD do Nx Zero representa amadurecimento da banda

Com pegada mais rock e maturidade nas composições, novo disco revela uma fase diferente na carreira da banda

por Correio Braziliense 15/08/2015 11:56

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
César Ovalli/Divulgação
(foto: César Ovalli/Divulgação)
Depois de três anos sem lançar CD, a banda Nx Zero passou por momentos difíceis na produção de música. Segundo o vocalista, a mesmice e a frustração se abateram nos amigos e acabou tornando a vida de cantores e compositores complicada. Depois de uma reinvenção, novo produtor e novos rumos, a banda retoma no caminho com o disco 'Norte', uma produção mais madura e com um estilo novo de produzir e compor músicas.

Confira entrevista com o vocalista Di Ferrero:


Com 15 anos de carreira, o que você acha que amadureceu mais na banda?
A banda passou por várias coisas. É difícil pontuar esse amadurecimento, mas a medida que vamos envelhecendo a gente começa a perceber o que de fato quer da vida. Eu sei que no futuro vou continuar pensando assim, vou olhar para o hoje e pensar como eu era moleque nessa época.

Qual a diferença desse disco para os outros?

Esse CD representa todo um amadurecimento. Nós mudamos de produtor, de escritório, o estilo está diferente e agora temos uma atitude que faz total diferença. A banda estava em uma mesmice que nos frustrou muito. Nós estávamos inclusive um pouco separados e passamos por momentos tensos. Foi aí que surgiu o 'Meu bem'. Primeira música nova e nós piramos no som e no estilo. Nós tomamos uma atitude maior que refletiu muito no trabalho. Estamos passando por um momento muito bom de satisfação.

Como foi trabalhar com Rafael Ramos, o novo produtor?
Foi natural. Quando nós criamos a música 'Meu bem', mostramos para algumas pessoas, produtores e cantores. Foi aí que chegou ao Rafael, que adorou o som! Nesse momento ele meio que virou um coach nosso. Passava tarefa de casa. Mandava a gente assistir algum documentário, algum clipe, palestra... enfim. Ele foi nos motivando muito. Uma relação que só fortaleceu. A partir desse momento as coisas mudaram um pouco. Eu tinha o hábito de escrever em momentos de introspecção, mais fechado... Agora não. As músicas saem em momentos felizes e de descontração.

O Lulu Santos tem um solo de guitarra na música 'Fração de segundo'. Como foi a participação dele no disco?

A banda já tinha feito cover do Lulu e tocado músicas dele em shows, sempre tivemos esse pequeno contato porque ele curtia o que nós fazíamos. Aí quando eu trabalhei com ele no The voice, essa amizade se fortaleceu e ele acabou acompanhando a criação do CD novo. Acabou virando um mentor nosso que temos muita admiração. Aí nós tivemos a ideia de convidar ele para tocar em uma das músicas, o que foi inusitado. Ele nem cantou, só arrebentou em um solo de guitarra incrível.

Vocês têm uma música favorita?
Eu não tenho uma música favorita. Para esse CD nós não pensamos em um singles. Nada foi programado para ser hit, para tocar em tal lugar ou atingir tais pessoas. A coisa foi fluida, nós produzimos música por produzir música mesmo. Todos os dias eu acordo com uma na cabeça e ela é a favorita do dia.

A música 'Meu bem' foi em homenagem à sua esposa Isabelli Fontana?
Não foi em homenagem, mas foi inspirada. A letra da música é exatamente sobre inspiração e eu escrevi na época em que me apaixonei pela minha mulher. Nós até convidamos ela para participar do clipe e tudo. Então, de certa forma sim, a música é inspirada nela.


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA