Lily Allen demonstra outra perspectiva sobre Tidal: ''me dá medo de mandar as pessoas de volta para a pirataria'', diz

Diferente de outros artistas, que apoiam e assinam conteúdo exclusivo para plataforma de streaming, a britânica soltou o verbo

por Fernanda Machado 01/04/2015 16:08

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
(foto: Divulgação)
Enquanto Madonna, Beyoncé e Rihanna defendem o Tidal, serviço de streaming de Jay Z lançado essa semana, outros artistas começaram a ter outras opiniões sobre o modo de funcionamento da plataforma. A sempre polêmica Lily allen deu uma entrevista à uTV e usou o Twitter para expressar seu ponto de vista. Segunda ela, há um risco de que o serviço faça com que ainda mais pessoas recorram à pirataria virtual. 

 O Tidal, não é um serviço barato – em torno de R$ 30 e R$ 60, tem contratos com as maiores estrelas da cena pop atual. Se são contratos exclusivos, suas músicas só estarão disponíveis ali, e isso permite que ponha o preço que queiram. E pensando por esse lado, as pessoas recorreriam a outros meios.  “Hospedar conteúdo exclusivo das maiores estrelas do planeta em uma plataforma paga (eu concordo com a intenção), me dá medo de mandar as pessoas de volta para a pirataria e os sites de torrent”, escreveu Lily. 

Segundo o Tidal, 75% do dinheiro arrecadado com as assinaturas será repassado para as gravadoras, que redistribuem o montante entre artistas e compositores. Sobre isso Lily Allen diz, “se você é um artista co-proprietário, você vê 25% dos lucros, e, vamos encarar os fatos, e provavelmente uma parte maior do que 75% que os outros artistas. Vamos dizer que Jay Z botou 60 mil no site, ele provavelmente tem boas intenções, e é um homem de negócios. Ele conseguiu encontrar algumas pessoas importantes e desiludidas o suficiente para esse blábláblá de ‘pelos artistas’ enquanto tira um dinheiro”, twittou.
 
 
 
 


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA