Multi-instrumentista Lan Lan mostra novo repertório no Na Mata Café

Depois de mostrar a que veio na bateria e na percussão, a compositora prova que canta bem

por Sérgio Rodrigo Reis 04/10/2013 09:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
ILYA YAMASAKI / DICULGAÇÃO
(foto: ILYA YAMASAKI / DICULGAÇÃO)
A multi-instrumentista e compositora Lan Lan, desde que começou nos anos 1990, tornou-se conhecida pelas participações em bandas de artistas como Marisa Monte, Cássia Eller e até de nomes internacionais como Cyndi Lauper e David Byrne. O que para muitos ainda é novidade é que ela também canta. E muito bem. É esse outro lado que Lan Lan mostra hoje, a partir das 22h, no Na Mata Café. Ela aproveita para apresentar o repertório do novo CD, 'Mi', que acaba de lançar.


No palco, Lan Lan estará ao lado do DJ Deeplick e dos músicos Robson Nonato (teclados) e André Valle (guitarra). Mi é resultado de uma aventura pela imersão eletrônica, com melodias doces e letras ilustrando a visão dela do mundo, além de sua história de amor pela música. “É um momento maduro. Já estou com 40 anos e esse é meu segundo disco autoral. Mas é bom que todos saibam que comecei compondo e cantando. Depois é que fui tocar bateria e percussão e não parei mais”, explica.

Elaborado nos últimos dois anos, no intervalo entre um projeto e outro, Mi chega disposto a revelar uma coleção de influências reunidas nos últimos dois anos em andanças mundo afora e pelo Brasil. Ao lado dos DJs Carolina Monte (no Rio) e Fernando Deeplick (em São Paulo), Lan Lan compôs as canções de forma diferente. Criou as levadas de cajón, bongo e pandeiro a partir de bases eletrônicas programadas pelos DJs, para depois pensar nas melodias e letras. É o resultado dessa mistura sonora que o público de BH poderá conferir.     

Lan Lan tem na ponta da língua a explicação para a sonoridade atual. “Mi sou eu criando sons para os meus pensamentos, me chacoalhando. Bem viva, amadurecendo no Rio, despertando em São Paulo, mas com raiz profunda fincada em solo baiano, com mil átomos de energia circulando pelo mundo.” O nome do disco é inspirado na nota musical homônima. Outro motivo é mais empírico. “Sempre quando faço meus discos busco captar meu momento. Ao folhear um livro africano, encontrei na palavra mi o sentido do disco. Em iorubá quer dizer mim, respirar ou balançar. Isso sou eu.” Quando Lan Lan viu os significados, não procurou mais: havia achado a síntese do momento atual.

Lan Lan

Show hoje, às 22h. Na Mata Café, Rua Marilia de Dirceu, 56, Lourdes. Ingressos/inteira: de R$ 40 a 70. Informações: (31) 3654-1733 e no site do local.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA