Em show no Mineirão, Beyoncé equilibra vocais poderosos e coreografias pesadas para 30 mil pessoas

Com estrutura gigantesca de som e vídeo, popstar encantou fãs em repertório de duas horas

por Bossuet Alvim 12/09/2013 00:27

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Robin Harper
Grande estrutura e apresentação da cantora encantaram o público (foto: Robin Harper)

Certa da admiração dos fãs, Beyoncé parou a música e reservou um espaço de sua apresentação no Mineirão para receber aplausos dos cerca de 30 mil espectadores que estiveram no estádio na noite desta quarta-feira, 11. Não se decepcionou: por mais de um minuto, a banda fez silêncio e o Gigante da Pampulha vibrou intensamente apenas com os gritos da multidão em homenagem à popstar. Em outros momentos da noite, enquanto o espetáculo se desenrolava em meio aos equipamentos gigantescos de som, os gritos da multidão ainda soavam contínuos. Antes mesmo de a estrela cumprimentar o público pela primeira vez, com um simpático "hello Belo Horizonte" ao fim da primeira canção, os mineiros já haviam sido conquistados.

Veja mais imagens do show em BH


De cima do palco iluminado talvez não fosse possível notar, mas espaços vazios eram perceptíveis em quase todos os setores do público. Quando o show começou por volta das 21h40, com mais de uma hora de atraso, a única área ocupada por completo era a pista premium, reservada aos apaixonados que pagaram até R$ 600 para ficar bem próximos à diva. O público presente, no entanto, acompanhou a viagem musical ruidosa e intensa com tanta dedicação que as ausências não tiveram peso.

Construído como um espetáculo pop de primeira categoria, com execução maestral de luzes, vídeos e fogos de artifício, 'The Mrs. Carter Show' dá uma roupagem grandiosa às faixas intimistas de '4', último álbum de inéditas da cantora, lançado em 2011. Disco de muitas baladas, o trabalho é origem dos ápices vocais de Beyoncé durante o show, como em '1+1', acompanhada por piano, ou do hit 'Love on top', que teve o tempero do R&B setentista mantido na performance ao vivo.

Em outras canções, contudo, os recursos de voz pareceram indispensáveis para garantir a performance da estrela como dançarina. Três cantoras de apoio mantinham os vocais de faixas dançantes, enquanto Beyoncé repetia no palco as coreografias elaboradas que a consagraram em clipes. Desde os movimentos provocantes de 'Naughty girl', inspirada na sensualidade da faixa 'Love to love you' de Donna Summer, até as sequências frenéticas de 'Diva', o público do Mineirão pôde assistir os gestos que inspiram as imitações de fãs.

Assim como acontecia na turnê 'I am...', que passou pelo Brasil em 2010, a faixa 'Irreplaceable' foi catártica: o violão do hit de 2007 foi acompanhado por milhares de vozes, que ganhavam mais espaço quando a cantora oferecia o microfone à multidão. Em meio às releituras de diversos momentos da carreira, 'Crazy in love', primeira canção solo de Beyoncé, foi mantida sem retoques no repertório e arrancou as reações mais efervescentes do público.

Robin Harper
Aproximadamente 30 mil pessoas foram ao show para ver Beyoncé (foto: Robin Harper)
A faixa 'Single ladies', que conquistou públicos diversos e apresentou a artista a novos ouvintes, também teve elementos originais preservados, mas ganhou toques que remetem ao funk norte-americano. A coreografia, que tornou-se marca registrada de Beyoncé, foi reproduzida com fidelidade no palco e repetida com paixão pelos fãs espalhados no estádio.

Um dos carinhos mais esperados pelo público veio ao fim do show, quando a cantora conseguiu pegar uma das inúmeras bandeiras verde-e-amarelas atiradas ao palco. Após quase duas horas de espetáculo, os fãs ainda cuidaram de cantar a letra de 'Halo' enquanto Beyoncé agradecia a hospitalidade dos brasileiros. Ao perceber que um rapaz segurava um cartaz que dizia "hoje é meu aniversário", a cantora ofereceu ao admirador um presente inesquecível, e cantou "happy birthday" para ele. Prometeu um retorno - certamente já esperado pelos milhares que estiveram na Pampulha - e se despediu, rodeada pelo som dos metais de sua Suga Mama Band, toda formada por mulheres.

A turnê de Beyoncé pelo Brasil continua com show no Rio de Janeiro, durante o Rock in Rio, na próxima sexta-feira, 13, seguido por São Paulo no dia 15 e Brasília no dia 17.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA