Biel deixa Twitter após resgate de posts racistas, homofóbicos e misóginos

O cantor acusou a jornalista autora da denúncia de prejudicar sua carreira

por Diário de Pernambuco 02/08/2016 10:40

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Reprodução/Instagram
O cantor limitou o acesso dos internautas à conta do Twitter e perdeu o selo de verificação da rede social (foto: Reprodução/Instagram)

Após a denúncia de assédio contra uma jornalista, o nome do cantor Biel voltou a repercutir nas redes sociais. Dessa vez, os internautas resolveram vasculhar as postagens antigas no Twitter do artista e encontraram conteúdos racistas, machistas, homofóbico e misógino. O nome do MC ficou entre os assuntos mais comentados da web, na noite de segunda-feira (1º). Em entrevista, ele acusou a jornalista autora da denúncia de prejudicar sua carreira.

"Eu queria primeiro deixá-la ciente do quanto ela prejudicou minha carreira. É um trabalho de anos, não só meu, mas de um grupo empresarial, de uma gravadora", disse.

Os tuítes resgatados são datados dos anos de 2011 e 2012, e trazem mensagens preconceituosas para anônimos e até para artistas. Em uma das postagens ele fala sobre a atriz Taís Araújo: "Única morena, negra, sei lá, que eu acho bonita". Em outra a saudação de é: "Bom dia negros fedidos".

O cantor também fez vários comentários de teor sexual e xingamentos, como à cantora Amy Lee, do Evanescence. "Quem odeia Evanescence e acha que ela devia cair do palco e ser estuprada por fans psicóticos dá retweet".

Após a repercussão, o cantor protegeu a conta da rede social e limitou o acesso dos internautas. Por isso, ele perdeu o selo de verificação do Twitter.

Confira as postagens de Biel:



 

Polêmica


Biel foi acusado de assédio sexual por Giulia Pereira em reportagem publicada pelo Portal IG no dia 4 de junho. Além do texto, foram divulgados áudios gravados durante entrevista com o cantor, nos quais ele a chama de "gostosinha" e diz que "quebraria no meio" a repórter e a "estupraria rapidinho".

Poucos dias depois, Giulia e a editora-executiva responsável pela publicação da matéria, Patrícia Moraes, foram desligadas do Portal IG. A empresa alegou intenção de contratar jornalistas formados em vez de estagiários quando demitiu Giulia e redução de custos a Patrícia. De acordo com depoimento da repórter ao Programa do Gugu, entretanto, apenas elas saíram.

A repercussão negativa do fato, que gerou campanhas contra o assédio sexual e motivou depoimentos de mulheres e jornalistas sobre situações parecidas, Biel perdeu um contrato de R$ 400 mil com uma empresa e foi cortado do revezamento da tocha olímpica. Ele chegou a ser anunciado como atração dos shows realizados no Rio de Janeiro durante a Olimpíada, mas a prefeitura cancelou a apresentação.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MEXERICO