Candidatas a Musa do Brasil afirmam: ''A musa é preferência nacional''

Comparadas à Miss Brasil, concorrentes ao título de mais bela do país revelam as diferenças dos concursos e das modelos

20/11/2015 15:15

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
Para Theila Sabrina, do Pará, até o desfile das categorias são diferentes (foto: Divulgação)
A escolha da gaúcha Marthina Brandt como Miss Brasil 2015 fez as candidatas ao concurso Musa do Brasil discutirem as diferenças entre os dois concursos. Isso porque, segundo as modelos, as categorias e padrões são bem diferentes e elas são a "preferência nacional".

As diferenças começam nas medidas: uma missa precisa ser alta e magra, com atributos mais naturais, enquanto uma musa precisa ter mais volume. "A musa tem mais carne, mas não é gorda. É aquela mulher cavala como dizem por aí", afirma Rô Fraga, canditada paulista.
 
 
Já as candidatas Thais Eid, de Sergipe, e Theila Sabrina, do Pará, acreditam que a técnica de desfile também é um fator que diferencia as duas categorias. "Uma musa entra na passarela pra se divertir e pra mostrar o seu corpo. Se ela tropeçar, ninguém vai notar. Tem coisas mais interessantes para se olhar”, brinca Theila.

“Também não acho que o modo de desfilar de uma Miss Brasil seja elegante. Acho muito mecânico e ensaiado. Precisa ser mais natural pra não soar tão falso”, destaca Thais.

A baiana Francie Scomação, no entanto, acredita que as diferenças vão bem além das medidas. "Uma miss sobe na passarela e fala qualquer bobagem. Elas querem fazer tipinho. Aceita que é um concurso de beleza e que o mais importante é o corpo", completa. Representante de Alagoas, Thais Pazeto completa: “Não acho que a Miss Brasil 2015 represente o biótipo da mulher brasileira”.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MEXERICO