Heloisa Faissol, d'A Fazenda, é encontrada morta em casa

Socialite e funkeira foi encontrada na tarde da última quinta-feira (2) no apartamento em que morava, em Copacabana. Polícia descarta homicídio

por Estado de Minas 03/02/2017 09:25
Record/Divulgação
Socialite tinha 46 anos. (foto: Record/Divulgação)
A socialite Heloísa Worms Pinto, de 46 anos, conhecida como Heloisa Faissol, foi encontrada morta na tarde da última quinta-feira (2) no apartamento em que morava, em Copacabana, no Rio de Janeiro. Amigos de Heloísa informaram sobre a morte, que foi confirmada pela Polícia Civil. O caso está sendo investigado pela 13ª DP do Rio. O corpo foi recolhido para o Instituto Médico Legal (IML). 
 
De acordo com o site EGO, a delegada assistente da 13ª Delegacia de Polícia do Rio, Vanessa Martins, afirmou que a família procurou a delegacia, em Copacabana, na tarde de quinta (2), e afirmou que Heloísa tinha um quadro de depressão. Segundo a polícia, não é possível afirmar a causa da morte até que saiam os resultados técnicos da perícia, mas a hipótese de homicídio já foi descartada. 
 
Heloísa foi encontrada na cozinha pelo seu único filho, José Artur, de 19 anos, fruto de seu relacionamento com o destista René Guedes. Peritos fizeram uma análise inicial no local. 
 
Segundo o colunista Leo Dias, a delegada Cristiana Bento, que investiga o caso, disse que ela deixou uma carta de despedida no apartamento. 
 
Heloísa Faissol ficou conhecida ao virar cantora de funk e organizar festas no Morro da Babilônia, no Rio de Janeiro. Seu nome artístico, ''Helô Quebra Mansão'', foi criado em homenagem a também funkeira Tati Quebra-Barraco. Sob esta alcunha, ela lançou músicas como o funk Dou pra cachorro. A carreira na música, no entanto, não durou muito. Ao perceber que teria de abrir mão de certos valores e trocar o dia pela noite, ela decidiu desistir da carreira de funkeira. Além disso, os cachês não condiziam com o que ela esperava. 
 
 
 
Em 2012 ela lançou o livro O lixo do luxo, contando as memórias de sua infância e como lidou com as expectativas de sua família, que sempre questionou suas escolhas profissionais. Ela é filha do renomado dentista Olympio Faissol, cuja lista de pacientes inclui o ex-presidente Fernando Collor e Reynaldo Gianichini.  
 
Na autobiografia, a socialite se define como hiperativa, sensível, incansável, criativa e polêmica. Com humor e emoção, ela conta passagens marcantes de sua vida, que vão desde a infância e adolescência de classe alta, até as badalações e festas que frequentou na vida adulta. Em uma das passagens, Heloísa fala sobre a vez em que sofreu abuso sexual, fato que, segundo ela, a traumatizou pelo resto da vida. 
 
Um dos momentos mais marcantes da socialite foi sua passagem pela 7ª edição do reality show A Fazenda, da Record, em 2014. A socialite chegou até a última semana do jogo e ficou em 3º lugar, perdendo para Babi Rossi e DH, da banda Cine. 

Depois de deixar o mundo da moda e das artes plásticas, Helô se distanciou da família. A única parente que ainda falava com ela era Claudia, sua irmã, que ficou conhecida por ter uma filha fora do casamento com o cantor João Gilberto, em 2004. À época, ela era casada com o empresário Eduardo Zaide, que só descobriu a infidelidade e que não era pai da criança ao pedir um exame de DNA. 
 
Com seu jeito irreverante, Heloísa falava o que pensava e conquistou muitos fãs na internet, que ficaram chocados com a morte inesperada da socialite. Os internautas prestaram homenagens e relembraram momentos de sua carreira. ''Descanse em paz, Helô, que sua alma esteja em um bom lugar'', escreveu um internauta. ''Heloísa Faissol nos deixou, mas estaremos aqui eternizando seus memes e bom humor'', afirmou outro.  
 
O corpo de Heloísa Faissol será cremado neste sábado (4), às 11h, na capela 9 do Memorial do Carmo, Zona Portuária do Rio. A família optou por não realizar velório e fará apenas uma cerimônia íntima de despedida 30 minutos antes da cremação. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS