Angelo Machado lança o livro Borboletas eróticas em BH

Em seu novo livro, o professor conta histórias sobre crianças, relembra viagens à Amazônia e até vende pipocas em Belém do Pará

por Ângela Faria 12/09/2015 10:52

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Maria Tereza Correia/EM/DA PRESS
Angelo Machado lança livro na Scriptum neste sábado (foto: Maria Tereza Correia/EM/DA PRESS)
Ele é um dos contadores de causos mais divertidos de Minas Gerais. Que o diga Jô Soares: ao entrevistá-lo em seu programa, o falante apresentador simplesmente não conseguiu falar. Frouxo de rir, acompanhou deliciado as peripécias de Angelo Machado, que lançou 37 livros infantojuvenis, é autor de peças de teatro (O casamento da ararinha-azul e Como sobreviver em festas e recepções com buffet escasso), fez fama como cientista e é professor emérito da Universidade Federal de Minas Gerais.

Especializado em neuroanatomia e zoologia, apaixonado por libélulas, Machado transforma vida e ciência em literatura. O livro Borboletas eróticas (Editora Scriptum), aliás, é prova disso. A começar da crônica-título: o emérito cientista se vê promovido a consultor de uma fábrica de lingerie interessada em estampar lindos insetos em sua linha ecológica. Em certo momento, o ph.D. avisa à estilista: “Não vai dar certo. Se alguém apaixonado por borboleta como eu vir uma mulher com uma Morpho menelaus na calcinha, pode arrancar a calcinha, ficar com a borboleta e perder a mulher”.

De outra feita, nosso autor-personagem usa a ciência para demover um amigo “suicida”, doido para dar um tiro no ouvido. “Não dá certo. Acerta o rochedo do temporal, o osso mais duro do corpo. A bala fica encravada, você não morre e ainda fica surdo. Vai por mim, que sou professor de anatomia”, aconselha, antes de convidar o moço para uma caipirinha no botequim da esquina.

Com um Prêmio Jabuti na estante – aliás, troféu bem apropriado a esse pioneiro da luta ecológica no país –, Angelo Machado, aos 81 anos, distribui sabedoria com sua verve. Quando vai a livrarias na Savassi, logo se forma a rodinha em torno dele: admiradores, ex-alunos e fãs conquistados ali naquele momento pelo irresistível dedo de prosa. Em seu novo livro, o professor conta histórias sobre crianças, relembra viagens à Amazônia e até vende pipocas em Belém do Pará. Autogozador, confessa que durante um safári deu palpites sobre a fauna local, errou todas e foi zoadíssimo pela mulher, Conceição: “Zoólogo brasileiro está aprendendo zoologia com motorista africano”.

Bem, os “spoilers” acabam aqui, mas quem quiser conhecer esse figuraça tem encontro marcado com ele hoje, a partir das 11h, na Livraria Scriptum (Rua Fernandes Tourinho, 99, Savassi), onde o velho mestre vai nos apresentar suas borboletas eróticas. Quer saber? Faça como o Jô: não vá pra cama sem ele...

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS