Jacques Fux lança 'Brochadas', sobre homem que procura as ex para entender por que falhou

Para o mineiro, a grande questão no livro é tratar um tema tabu de forma mais lúdica. "Quero mostrar que ninguém está sozinho", diz o escritor

por Mariana Peixoto 26/08/2015 08:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Gladyston Rodrigues/EM/D.A.Press
O escritor mineiro Jacques Fux, que lança 'Brochadas'. Ele pesquisou sobre o tema em Harvard (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A.Press)

Quem nunca? Esta é a pergunta que muitos leitores – homens e mulheres – vão se fazer por causa do segundo livro do escritor mineiro Jacques Fux. O título não deixa dúvidas: 'Brochadas' (editora Rocco, 240 páginas), que tem lançamento nesta quarta-feira, a partir das 19h, na Leitura do Pátio Savassi.


Com maestria, Fux, de 38 anos, faz a chamada autoficção. Escrito na primeira pessoa, o livro narra as aventuras sexuais e amorosas de um escritor, também de nome Jacques, nascido em Belo Horizonte, de ascendência judaica, com extensa carreira universitária. E que vai colecionando, desde o final da década de 1990, aventuras, muitas delas malsucedidas, no campo amoroso.

 

Doutor em Literatura Comparada pela UFMG, Fux estreou na literatura em 2012, com 'Antiterapias'. O romance, também na primeira pessoa, lhe valeu o Prêmio São Paulo de autor estreante no ano seguinte. Na época, era pesquisador visitante na Universidade de Harvard. A biblioteca da prestigiosa instituição foi o lugar onde ele começou a pesquisar para seu segundo livro.

 

“Sempre achei um assunto interessante para conversa de rodas de amigos. As mulheres, quando ficam mais próximas, também falam disto, mas de uma forma mais literária, metafísica. Então decidi começar a investigar sobre o tema profundamente. E em Harvard, você acha tudo”, fiz Fux.

 

Tudo mesmo. Há registros sobre o tema antes de Cristo. E a literatura não se farta do assunto: Santo Agostinho, Rousseau, Platão, Hilda Hilst, a lista é enorme. Ainda que a prosa de Fux também não economize nas referências, ele a faz em doses homeopáticas.


O que norteia 'Brochadas' são suas reflexões sobre os namoros, casos e relacionamentos que teve. Cada nova namorada dá título a um capítulo. Ele destrincha a relação (e o que o levou a brochar em determinado momento), envia um e-mail para a dita cuja pedindo um retorno sobre o relacionamento.

 

E recebe, invariavelmente, uma resposta indignada. Este tom autodepreciativo, já presente em 'Antiterapias', faz parte da graça da literatura de Fux. “Ao longo da História, todas as pessoas vêm brochando. O que tento no livro é resgatar a voz da mulher, tanto que as respostas das mulheres são mais sofisticadas do que a do personagem”, afirma ele.

Para Fux, a grande questão no livro é tratar um tema tabu de forma mais lúdica. “Quero mostrar que ninguém está sozinho”, diz o escritor. Ou seja, mais uma vez: quem nunca?

 

'BROCHADAS'
Lançamento do livro de Jacques Fux. Nesta quarta-feira, às 19h, na Livraria Leitura do Pátio Savassi, Avenida do Contorno, 6.061, 3º andar, São Pedro.

 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS