Performance de Beth Moysés lembra o Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher

Artista e mais 60 companheiras vão apresentar a performance vestidas de noiva, em torno da fonte da Savassi

por Walter Sebastião 25/11/2014 07:40

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Beth Moysés/Divulgação
(foto: Beth Moysés/Divulgação)
“Lavo roupa suja em público”, afirma a artista plástica Beth Moysés. Nesta terça-feira, Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher, ela e 60 companheiras vestidas de noiva se postarão em torno da fonte da Savassi, em BH. A Bandeira do Brasil feita de munição usada e dedais que transbordam sangue faz parte da mostra que ela abre na quarta, na Murilo Castro Galeria de Arte.


“São trabalhos fortes, mas poéticos, que mostram a violência contra a mulher de forma sutil e profunda”, explica Beth Moysés, fazendo questão de diferenciar arte e panfleto. Arte faz as pessoas refletirem, observa. “No momento em que refletimos, algo muda”, diz.

O tema está em todos os trabalhos de Beth Moysés. Em 1993, ela deixou a pintura para se dedicar à experimentação de materiais e mídias. Fez instalações com vestidos – a primeira, de 2000, chamava-se Memória do afeto. Vieram caminhadas de noivas na Avenida Paulista, em São Paulo, e o trabalho de 2010, apresentado em Dublin (Irlanda), em que Beth maquiava parte do corpo de vítimas da violência recriando hematomas e cortes.

“Se uma performance conseguir ajudar uma pessoa, para mim já está bom”, afirma Beth Moysés. “Cresci neste mundo”, conta, recordando que viu conflitos entre o pai e a mãe, e trabalhou por uma década na Delegacia de Mulheres.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS