Mostra de cinema e exposição trazem cultura iraniana a BH

Seleção do país enfrenta a Argentina no Mineirão, sábado, pela Copa do Mundo

por Fernanda Machado 20/06/2014 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Luiza Serrano/Divulgação
Objetos de arte e tapeçaria estarão expostos na galeria do BDMG Cultura (foto: Luiza Serrano/Divulgação)
Enquanto a Seleção do Irã entra em camp no Mineirão, sábado às 13h, para o jogo contra a Argentina (em disputa pelo grupo F da Copa do Mundo), a cultura iraniana bate bola em outros gramados da cidade. A exposição 'A beleza da cultura iraniana' reúne, até dia 29, cerca de 60 peças, entre quadros, artesanatos e objetos do país asiático na Galeria de Arte do BDMG Cultural. A mostra está dividida em três partes: imagens dos monumentos e locais tombados pelo patrimônio histórico; objetos de madeira e peças cravadas em metal; e os conhecidos tapetes persas.

“Colocamos na mostra vários tapetes, de várias regiões, com cores diversas. O Irã é um país onde cada estado e província têm culturas diferentes, cada região tem características próprias”, explica Mehdi Zanjaei, conselheiro da embaixada da República Islâmica do Irã. Também com o objetivo de divulgar a cultura iraniana na cidade, a embaixada, com o apoio da prefeitura municipal, promove a Mostra de cinema Iraniano, no auditório do Museu Histórico Abílio Barreto (MHAB).

De 24 a 27 deste mês serão exibidos filmes da cinematografia iraniana que fizeram sucesso em várias cidades do mundo. Na abertura, dia 24, às 17h, será apresentado 'O filho de Maryam' (2007), de Hamid Jebelli, sobre a história de Rahman, menino muçulmano entregador de leite que perde a mãe quando nasce. Por não tê-la conhecido, nem mesmo em foto, ele se sente atraído pela beleza do ícone da Virgem Santíssima, em quem descobre semelhança com a imagem que faz de sua mãe, também chamada de Maryam. Assim é que nasce forte amizade entre o menino e o padre idoso da igreja local.

No mesmo dia será exibido, às 19h, 'M de mãe' (2010), de Rasoul Mollaghholipour, um dos filmes mais bem-sucedidos na trajetória do cinema iraniano. O longa conta a história de Sepideh, jovem que desiste do sonho de promissora carreira musical para se casar com Soheil, integrante do governo. O que parecia uma linda história de amor transforma-se em drama familiar, quando o casal descobre que o seu primeiro filho provavelmente nascerá com problemas congênitos, porque a mãe fora exposta a gás tóxico durante a guerra Irã-Iraque.

'Um tempo para amar' (2012), de Ebrahim Forouzeeh, será mostrado às 17h do dia 25. Em cena, a história de próspero funcionário de uma companhia petrolífera do Irã. Os problemas começam quando o casal protagonista tem dois filhos, um com limitações físicas, o outro saudável. Os dois não conseguem viver em harmonia.

Outro destaque da programação, no mesmo dia, às 19h é Procurando Elly (2009), de Asghar Farhadi. Depois de passar anos na Alemanha, Ahmad volta ao Irã e seus amigos organizam três dias de comemoração. Sem que o resto do grupo saiba, Sepideh convida para a festa a jovem Elly, professora de sua filha. Ahmad, que acabou de se separar da esposa alemã e gostaria de começar uma nova vida com uma iraniana, vê em Elly a mulher perfeita. No dia seguinte, no entanto, ela desaparece misteriosamente.

Documentário

Também na programação (dia 26, às 17h), documentário fascinante, Maria – A mãe de Jesus (2002), de Shahryar Bahrani. A história começa no ano 16 a.C., quando o povo de Jerusalém espera impacientemente pelo nascimento do filho de Emran, o “Messias”. O problema é que nasce uma menina, que ganha o nome de Maria (que significa serva de Deus). Às 19h, será a vez de José (2011), de Farajallah Selhashoori, sobre a história do profeta José, escravo nascido na Mesopotâmia, que, por meio da dádiva da interpretação dos sonhos e da submissão total a Deus, tornou-se um dos homens mais respeitados do Egito antigo.

O encerramento, no dia 27, terá dois filmes: às 17h, O balão branco (1995), do diretor Jafar Panahi, sobre uma criança que não desiste de seu propósito, apesar de todas as dificuldades que encontra pelo caminho; e, às 19h, A separação (2011), de Asghar Farhadi. Depois de ser largado pela esposa, Nader contrata uma jovem para cuidar de seu pai doente. O que ele não sabe é que essa jovem está grávida e aceitou o trabalho sem o consentimento do marido, um homem psicologicamente instável.

O que ver

>> A beleza da cultura iraniana
Mostra de objetos de arte e tapeçaria, até dia 29. Galeria do BDMG Cultural, Rua Bernardo Guimarães, 1.600, Lourdes. Aberto diariamente, das 10h às 18h. Entrada franca.
Informações: (31) 3219-8486.

>> Mostra de Cinema Iraniano
De 24 a 27 deste mês, exibição de filmes a partir das 17h. Auditório do Museu Histórico Abílio Barreto, Av. Prudente de Morais, 202, Cidade Jardim, (31) 3277-8573.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS