Mostra fotográfica no CCBB ajuda a compreender a trajetória sociopolítica do país

Imagens de 'Um olhar sobre o Brasil' explicitam os contrastes que marcam o país desde o período do Império

por Walter Sebastião 26/02/2014 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Tuca Vieira/divulgação
Tuca Vieira registrou o contraste entre opulência e a miséria em São Paulo, a maior metrópole brasileira (foto: Tuca Vieira/divulgação)
Trezentas imagens, cobrindo período que vai de 1883 a 2003, pontuam momentos de transformação de nosso país. Em cartaz no CCBB de Belo Horizonte, a exposição 'Um olhar sobre o Brasil' tem curadoria assinada pelo fotógrafo Boris Kossoy em parceria com a historiadora Lilia Moritz Schwarcz. “Está nessas fotos o caldeamento de etnias, culturas, conjunturas políticas e acontecimentos cuja mescla vai determinar o nosso desenvolvimento cultural, econômico e social. O espectador verá diante de si a transformação do Brasil acontecendo”, explica Kossoy.

O conjunto reúne ícones, documentos e descobertas, cujas interpretações podem ser múltiplas. Kossoy evita tratar a mostra como panorama da história da fotografia brasileira. “É um olhar sobre o Brasil”, afirma, informando que não foi tarefa simples tratar arco tão extenso de tempo. A seleção de fotos não se deu a partir de critérios exclusivamente estéticos. O curador explica que se valorizaram conteúdos, em especial o registro de transformações históricas, pontuando a formação política do país desde o Império. A partir do distanciamento possível de acontecimentos antigos ou recentes pode-se ver uma história de rupturas e persistências, reforça Kossoy.

“Construímos uma nação, mas ainda falta muito para chegar à situação digna para todos. Temos vitoriosos, mas individualmente”, pondera o fotógrafo. O “nó” do país continua sendo saúde, educação e segurança: a foto do edifício de luxo vizinho da favela paulistana é a imagem emblemática do Brasil. “Somos o país dos contrastes”, constata Boris Kossoy. Há maior conscientização política atualmente, mas ela ainda se mostra incapaz de tirar o Brasil de “situação nebulosa”, acredita ele.

O farto material reunido na mostra traz boas-novas. “Temos acervos fotográficos fantásticos. Há grande avanço do poder público e também de instituições privadas no sentido de compreender a enorme importância dos acervos documentais do Brasil”, comemora o curador. “Estamos mostrando cerca de 300 fotos, mas poderiam ser três mil”, brinca. Kossoy sonha em ver ainda mais aprofundado o processo de localização, recuperação e disponibilização de acervos. “Cada estado, cada município precisa buscar as origens da sua história também considerando o momento em que um fotógrafo carregando sua máquina passou por ali e registrou as situações que encontrou”, defende.

Vale a pena ver de novo

Um olhar sobre o Brasil tem como subtítulo “A fotografia na construção da imagem da nação”. São sete seções: Luzes sobre o império (1883-1889); Urbanidade, conflitos, modernidade (1889-1930); Ideologias, revoluções, nacionalismos (1930-1937); Autoritarismo, repressão, resistência (1937-1945); Industrialização, desenvolvimento, anos dourados (1945-1964); Tempos sombrios (1964-1985); e O reacender das luzes (1985-2003). Kossoy recomenda visitar a mostra mais de uma vez. “Embaixo de cada imagem há texto com micro-história que vale a pena ser lido, pois multiplica os significados da imagem”, justifica. Ele recomenda atenção às imagens de outras épocas, pois isso traz distanciamento para perceber conexões entre o econômico, o político e o social.

UM OLHAR SOBRE O BRASIL. A FOTOGRAFIA NA CONSTRUÇÃO DA IMAGEM DA NAÇÃO
Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), Praça da Liberdade, 450, Funcionários, (31) 3431-9400. De quarta a segunda-feira, das 9h às 21h. Entrada franca. Até 28 de abril.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS