Mostra de Arte dos Jornalistas Mineiros chega à terceira edição

O evento abre nesta terça-feira com o lançamento de livro em homenagem a Celius Aulicus, mais lembrado como General

por Carlos Herculano Lopes 09/09/2013 08:14

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Arquivo EM/1991
'Meu pseudônimo é General, mas no fundo eu sou um boa-praça", Celius Aulicus (foto: Arquivo EM/1991)
Será aberta amanhã, no Sindicato dos Jornalistas, a 3ª Mostra de Arte dos Jornalistas Mineiros, com lançamento coletivo de livros, exposição de pinturas, esculturas, fotos, artesanato, culinária, exibição de filmes e muita música, entre outras atrações culturais. Na ocasião será lançado também o livro Celius Aulicus, o muito amado general (Editora Legraphar, 150 páginas,), que reúne depoimentos de colegas sobre o jornalista, e a reprodução do livro de crônicas 'Podem dizer que eu não falei das flores', de 1991, além de outros textos escritos ao longo da carreira e publicados em jornais, como o Estado de Minas.

Celius Aulicus trabalhou durante muitos anos no EM, assinando uma coluna de grande sucesso, 'O homem que ri', e outra, 'Ajantarado de domingo', no Jornal do Shopping, também dos Diários Associados, com receitas culinárias e sob o pseudônimo de Rossini. Um dos grandes nomes do jornalismo mineiro, até hoje cultuado pelos que o conheceram, Celius Aulicos Gomes Jardim nasceu em Diamantina, no Vale do Jequitinhonha, em outubro de 1918. Chegou a Belo Horizonte com 12 anos, e aos 14 já estava trabalhando como gráfico no jornal comunista União, onde assinou sua primeira matéria e se lançou na profissão.

O apelido de General, com o qual ficou conhecido, ele ganhou no extinto jornal Binômio, onde assinava, com o pseudônimo de General da Banda, uma coluna de humor que deu o que falar na época pela sua irreverência e os temas abordados. Dono de um estilo elegante, muito culto e ferino, o General publicou outros livros além de Podem dizer que não falei das flores, como os infantis O astronauta comilão, Tisuca e Laurinha no país das águas doces e Tisuca e Laurinha no país do índio Peri, esses dois últimos escritos em parceria com o jornalista André Carvalho.

Apaixonado por filmes de faroeste, lançou também vários livretos do gênero, que assinava com os pseudônimos de Peter Garden e Cassius G. Gardem, “para ajudar a criar dois filhos”, como dizia. Amigo dos amigos, militante do Partido Comunista e opositor dos regimes militares, chegou a ser preso algumas vezes. Quadrinista e frasista de primeira, Celius Aulicos morreu em Belo Horizonte, em 5 de julho de 1994.
 

3ª Mostra de Arte dos Jornalistas Mineiros
Terça-feira, às 19h, lançamento do livro Celius Aulicos, o muito amado general, vários autores
Local: Sindicato dos Jornalistas
Endereço: Av. Álvares Cabral, 400, Centro
A mostra poderá ser vista até dia 20, de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h; sábado e domingo, as 10 às 16h
Entrada franca
Informações: (31) 3224-5011

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS