Natalie Portman fala sobre como foi interpretar Jackie Kennedy

A atriz israelense, na carreira cinematográfica desde os 12 anos, conta que foi 'assustador' tratar de elementos de outra pessoa no cinema

por Deborah Novais* Diário de Pernambuco 23/02/2017 12:05
Diamond Films/Reprodução
'Jackie' concorre na categoria de Melhor Atriz no Oscar 2017. (foto: Diamond Films/Reprodução)
Na carreira de atriz desde a infância, Natalie Portman já recebeu um Oscar de Melhor Atriz - por Cisne negro (2010) - e está na corrida por mais um, desta vez por Jackie. Este acompanha a então primeira-dama estadunidense, Jacqueline Kennedy, após o assassinato do marido, John (JFK), em uma trajetória para manter o legado familiar. A atuação no longa-metragem, dirigido pelo chileno Pablo Larraín, tem sido elogiada pela crítica.

A atriz passou por um intenso período de preparação para interpretar a ex-primeira dama. ''Nunca me vi como alguém particularmente habilitada, quando se fala em sotaques, vozes alheias e gestual, ou algo do gênero. É assustador difundir isso em um filme, quando não se trata de elementos seus'', contou ao The Washington post.  ''Frequentemente, você busca um acabamento que conecte, cena a cena, em torno de um arco. Mas o caminho é bem mais dentado. Jackie é tranquila, em um momento, e confusa, perturbada, raivosa ou em crise espiritual, no outro. Era qualquer coisa, a qualquer momento'', declarou.

A israelense ganhou os holofotes pelo papel da garota Mathilda, em O profissional (1994), primeiro longa do qual participou, quando tinha apenas 12 anos. Mas o reconhecimento mundial veio com o papel da rainha Amidala, nos três primeiros episódios de Star Wars - A ameaça fantasma (1999), Ataque dos clones (2002) e A vingança dos sith (2005), respectivamente. O primeiro Globo de Ouro conquistado por ela foi por Closer: Perto demais (2004), em que interpreta Alice. Outro papel que concedeu grande destaque à Portman foi o de Evey, em V de vingança (2005).

Natalie Portman foi influenciada para seguir a carreira de modelo, mas ser atriz era um sonho ainda maior, e ela o perseguiu. Contudo, não parou por aí: ela também trabalha como produtora, diretora e roteirista.  No longa-metragem De amor e trevas (2015), ela é responsável pelas três funções, além de atuar como protagonista. Também é ativista pelos direitos das mulheres e foi escolhida como embaixadora da ONG Finca International. ''Todos os anos, com a temporada de prêmios, são filmes exclusivamente escritos, filmados e dirigidos por homens que ganham relevância. Não que os homens não devam fazer filmes. Mas é muito louco isso de apenas uma minoria de vozes femininas serem ouvidas. Quando se percebe que apenas uma mulher está no grupo, é necessário que se faça uma mudança. Ou, se perceberem que não há minorias conquistando papéis importantes em filmes, é preciso mudar", criticou a intérprete de Jackie Kennedy ao The guardian.

Curiosidades:
 
  • Dos 76 prêmios conquistados, a atuação em Cisne negro foi responsável por mais de 40.
  • Natalie Portman é casada com o coreógrafo Benjamin Millepied, que conheceu no set de Cisne negro, com quem tem um filho e está à espera do segundo.
  • O próximo filme com a atriz, Song to song, de Terrence Malick, estreia em março nos Estados Unidos.

Assista ao trailer de Jackie:
 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA