Ator e diretor Nate Parker, julgado por estupro, arrisca chance de filme no Oscar

Os votantes do prêmio discutem se assistirão a 'Birth of a nation'

por Estado de Minas 25/08/2016 09:16

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Em janeiro, o filme Birth of a nation foi ovacionado no Festival de Sundance, importante festival de cinema que acontece nos Estados Unidos. O filme, dirigido e estrelado por Nate Parker, foi vendido por quase U$ 20 milhões para a distribuidora Fox Searchlight, um preço recorde que veio acompanhado pela promessa de uma forte campanha pelo Oscar 2017. O elenco majoritariamente negro do filme, que conta a história de uma rebelião de escravos, vinha sendo considerado por muita gente como uma boa resposta à falta de atores negros no Oscar 2016, que rendeu a hashtag #OscarSoWhite ("Oscar tão branco").

As chances do filme de sequer aparecer na disputa, porém, parecem ter dimuído bastante. Em 2001, Nate Parker e o co-roteirista do filme, Jean McGianni Celestin, foram acusados de estuprar uma mulher quando estavam na universidade. Parker foi considerado inocente, enquanto Celestin foi julgado culpado, mas a pena foi anulada. Em 2012, a vítima cometeu suicídio.
 
Mario Anzuoni
Diretor Nate Parker (foto: Mario Anzuoni)

 
Agora, votantes do Oscar estão ameaçando boicotar Birth of a nation. Em entrevista ao site The Hollywood Reporter, Marcia Nasatir, uma delas, disse: "Pessoalmente, eu acho muito difícil separar o homem do filme quando ele o escreveu, dirigiu e estrelou (...). Eu quero ver um filme de alguém que estuprou uma mulher e que não reconhece a própria culpa? Hoje, baseado no que eu li, eu não veria o filme". O site aponta que muitos votantes não estão familiarizados com os trabalhos anteriores de Parker, e que, portanto, estão formando uma opinião sobre ele baseados no que aparece na imprensa sobre o caso.
 
Em um post no Facebook na semana passada, Parker lamentou o suicídio da vítima, de que até então ele diz não ter estado ciente. Ele alega que a relação sexual entre ele e a mulher foi consensual, mas diz: "Eu olho para aquele tempo, para minha atitute indigna e minha missão empenhada em provar minha inocência, com olhos que estão mais sábios com o tempo. Eu vejo agora que eu posso não ter mostrado empatia o bastante enquanto eu lutava para limpar o meu nome. Empatia pela jovem e empatia pela situação em que eu coloquei a mim e a outros". 
 
A Fox mantém os planos de divulgação do filme e pretende exibi-lo no Festival de Toronto, outra grande festa do cinema. Uma estreia importante fo filme já foi cancelada na última setx-afeira, dia 19, quando ele seria apresentado no The American Film Institute com a presença de Parker. Em Los Angeles, um artista de rua californiano espalhou cartazes com imagem do pôster de Birth of a nation com o título trocado para "Estuprador?".
 
O filme tem previsão de estreia no Brasil para janeiro de 2017. Assista ao trailer, ainda sem legendas em português:   
 
 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA