Em coletiva de Ben-Hur, Rodrigo Santoro se emociona

Ator fará o papel de Jesus Cristo em remake do clássico que estreia no dia 18

por Mariana Peixoto 02/08/2016 17:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Paramount Pictures / Divulgação
Santoro falou sobre a cena emblemática da crucificação de Cristo (foto: Paramount Pictures / Divulgação )
São Paulo – “Só não vale colocar (na manchete) 'Ator se emociona durante entrevista e faz uma pausa, deixando um silêncio fúnebre na sala'.” Bem, este é Rodrigo Santoro descrevendo, com alguma ironia, a cena que havia acabado de ocorrer durante entrevista coletiva para 200 jornalistas para o lançamento do filme Ben-Hur.

E o próprio Santoro foi o protagonista do momento. O ator se emocionou (e o tal ''silêncio fúnebre'' durou pelo menos 30 segundos) ao descrever a cena de crucificação de Jesus Cristo, que ocorre na parte final da nova adaptação do romance de Ben-Hur: Uma história dos tempos de Cristo, de Lew Wallace (1880). O filme, dirigido por Timur Bekmambetov, estreia em 18 de agosto.

O longa-metragem teve, na noite de ontem, a primeira exibição pública no mundo (em seis salas lotadas de um shopping paulista). Santoro, aqui fazendo o papel que acredita ser ''transformador'' em sua vida, está na capital paulista divulgando o filme. O ator fluminense está fazendo uma batelada de entrevistas junto ao protagonista do longa, o britânico Jack Huston (neto do cineasta John Huston e sobrinho da atriz Anjelica Huston).

O foco da narrativa é uma história de vingança e redenção de dois irmãos – o nobre Judah Ben-Hur, traído e tornado escravo graças a Messala (Toby Kebbell), um oficial do exército romano. Mas a participação de Santoro – pequena, mas determinante – tem um peso grande, ainda mais no Brasil, o maior país católico do mundo.

''Foi um momento absolutamente inesquecível'', começou ele, pouco antes de interromper a fala ao recordar a filmagem, ocorrida numa Quarta-Feira de Cinzas na cidade italiana de Matera. Na noite anterior havia nevado, e Santoro, em meio ao frio, passou seis horas tendo o corpo maquiado para a cena.

''A cena foi fortíssima. Nunca vou me esquecer. Pedi para o diretor fazer um take longo, para cortar uma só vez. Eu via a cidade inteira ao fundo, havia duas gruas. Fui fazendo mas não me lembro como aconteceu. A sensação de estar pregado numa cruz é indescritível, e ter que externar o sentimento do mundo, mais ainda. Li muito sobre Jesus, minha cabeça começou a dar um nó, e dois dias antes que não sabia como fazer. Uma produtora me disse: ‘não adianta entender, você tem que sentir’.''

Visivelmente mais zen – falou vários vezes sobre a prática do ioga e da meditação – Santoro afirmou que não dá comparar Jesus Cristo com outros personagens que já interpretou no cinema. ''A experiência me trouxe a certeza de que tenho que trabalhar muito, preciso ir além das palavras e ir para a prática. Todos os dias tenho me concentrado em trabalhar meus defeitos. E esse trabalho reescreveu coisas na minha vida''.

Confira o trailer de Ben-Hur:



*A repórter viajou a convite da Paramount

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA