Sequência de 'O tigre e o dragão' traz fantasia do wuxia de volta à tela

O gênero chinês é a grande essência do segundo filme da franquia, que tem o retorno de Michelle Yeoh no papel da protagonista

por Correio Braziliense 22/03/2016 09:35

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Rico Torres/Divulgação
Ator Harry Shum Jr. estreou no gênero wuxia em O tigre e o dragão 2 (foto: Rico Torres/Divulgação)

Buenos Aires — Nos anos 2000, o mundo conheceu o gênero wuxia, um estilo cinematográfico e literário chinês que mistura fantasia, artes marciais e histórias que se passam em um universo medieval, por meio do filme O tigre e o dragão, dirigido por Ang Lee (As aventuras de Pi). Dezesseis anos depois do lançamento do longa-metragem, vencedor de quatro Oscars (incluindo o de melhor filme estrangeiro), a história ganhou uma sequência, intitulada O tigre e o dragão: A espada do destino (em tradução livre) produzida pela Netflix. “O primeiro (filme) foi incrível e acho que mudou o jeito que as pessoas viam o gênero wuxia. O público estava ansioso para ver outro longa do estilo e especialmente pelo retorno de Michelle (Yeoh), que representa uma forte heroína”, conta Harry Shum Jr., que estreia no gênero wuxia na sequência da franquia.

Disponível no serviço de streaming desde 26 de fevereiro, a produção se passa 18 anos após a morte do personagem Li Mu Bai (papel que no primeiro filme foi vivido por Chow Yun-Fat), quando Yu Shu Lien (Michelle Yeoh) é chamada para ajudar a proteger a espada do destino. No entanto, o artefato é alvo de Hades Dai (Jason Scott Lee), que envia o jovem Tie-Fang (Harry Shum Jr.) com a missão de roubar a espada.

O segundo filme da franquia tem como base dois livros relacionados a história. Segundo Harry Shum Jr., esse era um dos motivos que os fãs do primeiro longa tinham expectativa em relação a uma sequência. “Eles sabiam que os livros existiam e que a história continuava. Acho que O tigre e o dragão 2 traz o sentimento do wuxia de volta e ainda apresenta novos elementos, que mudaram com o passar dos anos”, explica o ator.

Sobre o retorno de Michelle Yeoh, grande estrela da franquia e que esteve em filmes como 007: O amanhã nunca morre, Shum Jr. diz que era algo importante para a sequência. “Ela é tão fácil de trabalhar. É extremamente profissional e sempre traz algo que você pode aprender. Fora das cenas, ela dá os melhores conselhos. Ela sabe, por exemplo, que um movimento errado pode acabar com você por vários meses”, completa. A atriz estará na segunda temporada de Marco Polo, que estreia ainda neste ano na Netflix.

*A repórter viajou a convite da Netflix

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA