Versão para cinema de 'Os dez mandamentos' promete aquecer filão

O folhetim exibido na TV terá megalançamento para a telona. Longa-metragem reforça potência dos filmes de temática religiosa

por Ana Clara Brant 28/01/2016 09:03

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Munir Chatak/Divulgação
Versão condensada da novela exibida em 2015, 'Os dez mandamentos' estreia em aproximadamente mil salas do circuito brasileiro (foto: Munir Chatak/Divulgação)
Não é de hoje que filmes que focam na fé e na religiosidade conquistam espectadores nos quatro cantos do planeta. O cinema internacional registra clássicos (Ben- Hur, O velho testamento, Irmão Sol, irmã Lua) e exemplos recentes com essa temática (Noé, Êxodo: Deuses e reis) que alcançaram sucesso nas bilheterias.

Recentemente, a indústria nacional também começou a investir nesse filão. Inicialmente, com os filmes espíritas. A produção que abriu o caminho foi Bezerra de Menezes – O diário de um espírito (2008), cinebiografia do “médico dos pobres” e um dos principais expoentes do espiritismo que levou cerca de 500 mil pessoas às salas de projeção.

Dois anos depois veio o fenômeno Chico Xavier, sobre a vida do médium mineiro, dirigido por um papa do audiovisual, Daniel Filho. O longa-metragem teve aproximadamente 3, 4 milhões de espectadores. “Chico Xavier preparou o terreno para o grande sucesso Nosso lar, que teve público de mais de 4 milhões de pessoas e, depois, para outros filmes espíritas que tiveram uma carreira decente”, afirma o distribuidor Bruno Wainer, da Downtown Filmes.

Tem o selo da Downtown, em conjunto com a Paris Filmes, o lançamento, hoje, de Os dez mandamentos. Resumo da novela homônima da TV Record que foi ao ar no ano passado, a produção entra em cartaz em aproximadamente mil salas do circuito nacional, com 3 milhões de ingressos vendidos antecipadamente.


MOBILIZAÇÃO “São números impressionantes. Além do fato de a telenovela ter tido grande audiência (o folhetim chegou a ultrapassar a Globo em vários momentos), a própria Record está fazendo um trabalho de divulgação muito forte, que eu nunca tinha visto. Sem contar a própria mobilização da Igreja Universal. É difícil a gente prever, mas acho que esse filme vai, pelo menos, fazer o dobro do que já foi vendido e alcançar o top 5 dos mais vistos da história do cinema brasileiro”, afirma Wainer.

Em relação à versão exibida na TV, o longa terá algumas cenas inéditas e um final alternativo, que antecipará a segunda temporada da novela, prevista para estrear em março.



O diretor do portal Filme B, especializado em cinema, Paulo Sérgio Almeida, vê com bons olhos a entrada de mais uma emissora na indústria cinematográfica e acredita que Os dez mandamentos tem potencial para atrair não só os evangélicos, como seguidores de outras religiões. “Há um aspecto interessante: o Brasil passou a investir num filão que os norte-americanos fazem muito bem, que são os filmes épicos, religiosos. Isso demanda dinheiro e, com a parceria de uma TV, facilita muito. O brasileiro gosta desse tipo de filme. É um povo que tem fé e, independentemente de sua crença, assiste a esse tipo de produção, seja ela espírita, cristã. O importante é ter qualidade”, opina.

Bruno Wainer avalia que, assim como Chico Xavier impulsionou a carreira de outros filmes espíritas, o mesmo pode ocorrer com Os dez mandamentos em relação ao gênero evangélico. “Até por que é um mercado promissor, é um público enorme”, diz. A Downtown, aliás, está distribuindo outra produção com essa temática, – A palavra – que deve ser lançada em abril .

Com direção de Guilherme de Almeida Prado (A dama do cine Shangai, Perfume de gardênia), o filme é baseado na passagem bíblica dos profetas Elias e Eliseu adaptada ao cotidiano do sertão nordestino nos dias de hoje. A produtora de A palavra, Zitah Oliveira, aposta que os Os dez mandamentos pode expandir o filão cristão. “Acho que vai incentivar os evangélicos a irem ao cinema, porque muitos têm um certo preconceito”, diz.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA