Academia muda regras internas para garantir diversidade no Oscar

Criticada pela ausência de negros entre últimos indicados, entidade pretende modificar sistema de adesão para novos membros

por Agência Estado 22/01/2016 19:58

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Em uma votação unânime, o Conselho de Governadores da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas aprovou uma série de alterações substanciais destinadas a tornar a adesão ao órgão mais diversificada. O compromisso anunciado é de duplicar o número de mulheres e aumentar a presença dos membros "diversos" na Academia até 2020.

AFP / MARK RALSTON
Cheryl Boone Isaacs, presidente da Academia, garante mudanças a partir deste ano (foto: AFP / MARK RALSTON )
"A Academia vai conduzir e não esperar pela indústria na recuperação do atraso", disse a presidente da entidade, Cheryl Boone Isaacs. "Estas novas medidas em matéria de governação e votação terão um impacto imediato e mudanças na composição de nossa associação."

As medidas começam a valer no final deste ano. Os novos membros agora vão poder votar por 10 anos e terão sua condição renovada se permanecerem atuando na indústria durante a década em questão. Além disso, os integrantes passam a ter voto vitalício depois de 30 anos de Academia, ou se forem indicados ao Oscar.

"Estas novas medidas terão um impacto imediato para iniciar o processo e mudar significativamente a composição", disse a  presidente da Academia.

A Academia pretende reforçar o processo tradicional no qual integrantes atuais indicam novos, promovendo uma campanha ambiciosa e global que identifique e recrute integrantes qualificados que representem mais diversidade.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA