Cauã Reymond e Sophie Charlotte divulgam filme nacional no Rio e em São Paulo

Reza a lenda, primeiro longa do diretor paulista Homero Olivetto, chega aos cinemas no fim de janeiro

por Ana Clara Brant 09/12/2015 15:17

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

SÃO PAULO - Cauã Reymond deu uma escapulida das gravações da novela das 21h, A regra do jogo; Já Sophie Charlotte nem teve lua de mel após se casar domingo com o ator mineiro Daniel de Oliveira em Niterói; enquanto que Luísa Arraes deu uma pausa nos ensaios da peça A santa Joana dos Matadouros, de Bertolt Brecht, em cartaz no Rio de Janeiro. Tudo para que o trio estivesse presente no lançamento do filme Reza a lenda, primeiro longa-metragem do diretor e roteirista Homero Olivetto.

Marcelo Moscardi/Divulgação
Elenco e direção do filme Reza a lenda, que estreia em janeiro, promovem a produção em São Paulo (foto: Marcelo Moscardi/Divulgação)

O longa, que estreia apenas no dia 21 de janeiro, conta a história de um   

bando de motoqueiros armados do sertão nordestino que acredita em uma antiga lenda e arrisca suas vidas em busca de justiça e liberdade. A produçao foi apresentada nesta terça, dia 8, para convidados e imprensa em um shopping de São Paulo, e hoje, será exibida no Rio.

Após quase 20 anos envolvido no projeto, Homero disse ter o sentimento de dever cumprido e que Reza a lenda traz uma carga afetiva já que seu avô era sergipano. "Ele sempre me contou histórias do cangaço, sobre Lampião, o sertão e eu ficava fascinado. Acabei escrevendo contos que anos depois resultaram nesse trabalho", destaca o diretor que é filho do publicitário Washington Olivetto.

Elenco

O protagonista da trama é Cauã Reymond, que faz Ara, líder de um bando de motociclistas armados que buscam devolver a paz e a justiça para uma terra sem lei. O ator declarou que esse é o personagem mais silencioso de sua carreira e também um dos mais significativos. Até tirar carteira de moto, o galão tirou, mas não sabe se vai seguir guiando. "Eu levei um tombaço e até hoje sinto um pouco o pé. Foi muito legal percorrer aquela caatinga de moto, mas acho que ela só serviu mesmo pro filme", brincou.

Marcelo Moscardi/Divulgação
Cauã Reymond faz Ara, um cangaceiro moderno e que é disputado por duas mulheres (foto: Marcelo Moscardi/Divulgação)

Na história, seu personagem se vê em um triângulo amoroso formado por Severina, papel de Sophie Charlotte, e Laura, vivida por Luísa Arraes. Com um visual bem diferente de boa parte de seus papeis da TV, Sophie está até masculinizada em Reza a lenda. "A Severina é uma mulher forte, dura, guerreira, que faz parte desse bando de cangaceiros modernos, mas quando vê que seu relacionamento está ameaçado, ela percebe que não é tão forte assim", revela.

Laura é a única personagem do longa-metragem que não é nordestina e que não precisou trabalhar o sotaque. Uma curiosidade e ironia já que a atriz, revelada em Babilônia como Laís, nasceu no Rio, mas é filha dos pernambucanos, a também atriz Virgínia Cavendish e o diretor Guel Arraes. "Eu sou muito pernambucana, apesar de ter nascido no Rio. Passo as férias e festas de fim de ano lá. Durante as gravações em Petrolina (PE), consegui uma brecha para visitar a família no Recife", celebra.

O elenco também conta com Humberto Martins, Júlio Andrade, Jesuíta Barbosa e Sílvia Buarque.  

 

A REPÓRTER VIAJOU A CONVITE DA IMAGEM FILMES 



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA