Novo filme de Wes Anderson aposta no exagero e no elenco de primeira linha

'O Grande Hotel Budapeste' estreia nesta quinta-feira nos cinemas de BH

por Carolina Braga 03/07/2014 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Fox Filmes/Divulgação
Há certo exagero no todo e nos detalhes de O Grande Hotel Budapeste, filme de Wes Anderson (foto: Fox Filmes/Divulgação)
Os filmes do diretor americano Wes Anderson costumam ter uma atmosfera onírica, vide 'Moonrise kingdom' (2012), para citar o mais recente. 'O Grande Hotel Budapeste' não foge dessa regra. O longa sobre a história do edifício em decadência assim como as aventuras dos antigos funcionários tem na estética um dos pontos fortes. Mas não fica só nisso. O equilibrado elenco de primeira linha, com Ralph Fiennes, Jude Law, Adrien Brody, Willem Dafoe, Mathieu Amalric, Tilda Swinton e Owen Wilson, entre outros, também chama a atenção.

 

Confira os horários das sessões

 

Esse parece ser o tipo de projeto em que as estrelas embarcam pela oportunidade de fazer algo diferente daquilo que as consagrou. É aposta no risco. Há certo exagero no todo e nos detalhes de 'O Grande Hotel Budapeste'. A narrativa é toda em flashback. A história começa quando um jovem escritor (Jude Law) se reúne com o dono do estabelecimento (F. Murray Abraham) para saber mais sobre o passado de glória do lugar. A medida em que ele vasculha a memória, o público embarca em uma aventura tão absurda quanto bem-humorada sobre a origem da herança que o fez milionário.

A trama se passa no período entre guerras. Foi quando o famoso gerente do hotel, Mr. Gustave H (Ralph Fiennes) herdou de uma das hóspedes um quadro valioso, obviamente a contragosto de toda a família. No plano de fuga, conta com a ajuda do fiel escudeiro, Zero (Tony Revolori). A dobradinha deles é outro aspecto valioso do filme.

O roteiro de 'O Grande Hotel Budapeste' é inspirado em textos de Stefan Zweig. As interpretações, em geral, são caricatas, escolha que, curiosamente, não entra em atrito com os outros elementos do filme. As cores são fortes, a trilha sonora de Alexandre Desplat pontua cada cena e a fotografia colabora para fazer das imagens quadros de época.

Assista ao trailer do filme:


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA