Cineasta mineiro Daniel Florêncio vence prêmio de melhor filme em festival no Japão

Estrelado por ator brasileiro de 'Game of thrones', filme 'Awfully deep' recebeu troféu na maior mostra de curta-metragens da Ásia, uma referência nas indicações ao Oscar

por Bossuet Alvim 13/06/2014 17:38

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Facebook/awfullydeep/reprodução
Daniel Florêncio e Lino Facioli nos bastidores de 'Awfully deep', curta premiado em Tóquio (foto: Facebook/awfullydeep/reprodução)
Nascido em Belo Horizonte e enraizado em Londres, o cineasta Daniel Florêncio fez mais uma travessia oceânica para receber o prêmio de melhor filme segundo audiência no festival ShortShorts Film Festival & Asia, em Tóquio, na última quinta-feira, 12. A maior mostra de curtas da Ásia incluiu o filme 'Awfully deep' na categoria 'Save the Earth', dedicada às obras de temática ambiental. A distinção no evento japonês é um dos fatores levados em conta na seleção de indicados ao Oscar.

 

Estrelada pelo brasileiro Lino Facioli, de 13 anos — conhecido pelo papel de Robin Arryn na série 'Game of thrones' —, a produção retrata a convivência de uma família da classe média com um fenômeno bizarro: o surgimento de uma lama fétida do lado de fora da casa. "O filme retrata nossa tendência em ignorar determinados problemas que nos tocam, e devido ao momento crítico em que o planeta se encontra, essa leitura ambiental do filme não é apenas bem vinda. É necessária", observou o diretor.

 

Veja o trailer de 'Awfully deep':

 

Cineasta ambicioso

Nascido em Belo Horizonte, Daniel Florêncio fixou-se na capital inglesa em 2005. onde conduziu produções indie como o curta documental 'A Brazlian immigrant' (2005) e os documentários para TV 'Gagged in Brazil' (2008) e 'Tracking William' (2007) sobre o trabalho de um paparazzo no rastro do príncipe britânico e sua então namorada, Kate Middleton.

 

Foi através deste trabalho — retrato da realidade de um fotógrafo especializado em celebridades — que o cineasta inspirou-se para o desenvolvimento de seu primeiro longa-metragem, 'Chasing Robert Barker'. "Eu sabia que há mais desse universo para ser mostrado do que coube em meu documentário de oito minutos", afirma o mineiro. Com estreia prevista ainda para este ano, o longa teve a produção possibilitada por crowdfunding, sistema coletivo de financiamento pela internet.

 

Ao longo de 2013, mais de R$ 190 mil foram arrecadados em contribuições para a produção independente, que tem elenco encabeçado por Patrick Baladi (de 'Rush: no limite a emoção' e da série 'The office') e Hilda Péter (de 'Katalin Varga', vencedor do Urso de Prata em Berlim).



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA