TEATRO

Pluft! O Fantasminha

O Portal Uai libera pares de cortesias para "Pluft! O Fantasminha".

Vigência:

27/06/2022 à 30/06/2022

Resultado:

30/06/2022

PROMOÇÃO ENCERRADA

Leia mais

GANHADORES

Caudenice Silva

Danielle Alquimim

INFORMAÇÕES

RESULTADO


O resultado da promoção será divulgado dia 30 de Junho de 2022, até as 18h. Os participantes devem acompanhar o site www.uai.com.br/promocao para confirmar o resultado da promoção.


RETIRADA DO PRÊMIO

A retirada do prêmio seguirá as regras previstas no regulamento. Os ganhadores devem ficar atentos ao e-mail com as instruções para retirada das cortesias.

 

PRÊMIO 

- Par de cortesia para a apresentação do dia 03/07 às 17h.

 

“Pluft! O Fantasminha”

Em comemoração aos 10 anos do espetáculo, a Copas Produções apresenta esse clássico de Maria Clara Machado no dia 03
de julho, pelo Projeto Diversão em Cena.


A estreia do espetáculo em Belo Horizonte ocorreu no dia 
05 de julho de 2012 e surpreendeu público e crítica. No ano seguinte, a peça teve 10 indicações ao prêmio Usiminas Sinparc e vencedor nas categorias de melhor
atriz coadjuvante, melhor figurino, melhor trilha sonora e melhor espetáculo infantil do ano. Para o diretor do musical e proprietário da Copas Produções, Diego Benicá, falar do espetáculo é voltar na linha do tempo e rever toda a história da produtora e do primeiro espetáculo de sucesso. “Foi com a montagem do Pluft que eu descobri o quanto poderíamos contribuir com a cultura mineira. O espetáculo foi sucesso de público durante toda temporada e acredito que desta vez não será diferente porque a
história é linda e não fica ultrapassada”, enfatizou. Benicá acrescenta:
“Convido toda a família para aproveitar essa oportunidade que vamos nos apresentar pelo Projeto Diversão em Cena, com preços bem acessíveis, e vir prestigiar esse clássico”. Os valores dos ingressos são R$20 e R$10.


A trilha original dessa nova montagem mineira do clássico de Maria Clara Machado foi composta pelo músico, dramaturgo e ator Leo Mendonza. Ela tem influências que remetem ao clima de inocência das músicas da Jovem Guarda e as sonoridades de grupos da *soul music* da década de 1960 como The Supremes, Temptations e Four Tops da lendária gravadora Motown Records. As letras descrevem temas do universo infantil como o confrontar dos medos, os encontros de amizade, a valorização das ligações familiares e as descobertas do processo de crescimento da criança.

O mesmo clima da década de 1960 colore também o figurino do espetáculo criado por Kalluh Araújo. A direção e cenografia ficam a cargo de Diego Benicá, produtor em Belo Horizonte e proprietário da Copas Produções Artísticas. Com elenco de oito atores cantores, uma produção exímia da Copas Produções Artísticas, coreografias de Cristiano Reis e direção vocal de Beto Sorolli, o musical encanta crianças e adultos.

SINOPSE

Em um sótão de uma casa vive uma divertida família de fantasmas: o
fantasminha Pluft, que tem muito medo de gente; a Mãe, que faz deliciosos pastéis de vento; e Tio Gerúndio, que passa todo o tempo dormindo dentro de um baú. A tranquilidade do lugar termina quando o pirata Perna-de-Pau aparece trazendo a linda menina Maribel que fora raptada por ele. O vilão está em busca do tesouro do avô da garotinha, o capitão Bonança, que morreu no mar e – ao que tudo indica – deixou sua herança escondida naquele sótão.
O que não se esperava é que uma bela amizade iria se formar entre Pluft e Maribel dando um novo rumo à história. Os risos ficam por conta dos amigos da menina, o trio de marinheiros João, Julião e Sebastião, que vai à sua procura para salvá-la.

A peça teatral “Pluft, o fantasminha” foi escrita pela dramaturga
brasileira Maria Clara Machado em 1955 e se tornou um clássico do teatro infantil traduzida para dez diferentes línguas e representada em mais de trinta países. Ela foi encenada pela primeira vez no Tablado, no Rio de Janeiro, em setembro de 1955, com direção da própria autora. “Pluft, o fantasminha” é uma carta de poesia, bom humor e maliciosa inocência, impregnada de um tocante calor humano.

A autora

Maria Clara Machado nasceu em Belo Horizonte em 1921 e faleceu em 2001. Foi fundadora de uma importante escola de teatro e companhia brasileira: o Tablado. É uma personalidade do teatro para crianças, reconhecida internacionalmente. Já escreveu peças como “A Bruxinha que era boa”, “O rapto das cebolinhas”, “O Aprendiz de feiticeiro”, “A gata borralheira”, entre outros clássicos.

Sua primeira grande peça, “O boi e o burro a caminho de Belém”, de 1953, era um auto de Natal que rendeu ótimas críticas. A peça foi originalmente escrita para teatro de bonecos, mas, no fim, acabou sendo montada com atores. De qualquer forma, foi em 1955 que surgiu o maior sucesso do Tablado e o texto mais montado de Maria Clara Machado: “Pluft, o fantasminha”. Essa peça, que conta com humor, poesia e diversas situações, foi considerada pela própria autora como sua obra mais completa.

Sobre a Copas Produções

A Copas Produções Artísticas foi criada em maio de 2010 pelo empresário e jornalista, Diego Benicá, para atender, exclusivamente, ao segmento
artístico e suas demandas no que diz respeito a trabalhos de assessoria de imprensa e produção, com ênfase no teatro para crianças. Com o talento artístico desde a infância, Benicá descobre a necessidade de expansão da
empresa para produções teatrais, quando surgiu a ideia de montar o
espetáculo “Pluft! O fantasminha”, o primeiro dos 14 espetáculos de sucesso da produtora. Após dois anos sem estreia devido à pandemia, a Copas Produções propõe estrear cinco espetáculos até o final do ano. Destes, três já saíram do projeto e foram para o palco encantar os amantes de teatro:
“Chapeuzinho Vermelho”, “Let It Go – O Musical” e “Encanto”.

Entre outros títulos estão: “A Bruxinha que era Boa”, “ A Bela e a Fera” (vencedor no prêmio Copas Sinparc nas categorias Maior Público e Melhor Iluminação), “ O Rei Leão”, “ O Pequeno Príncipe” (vencedor no prêmio Copas Sinparc na categoria melhor Ator Coadjuvante), “Os Saltimbancos”, “As Histórias das Princesas e seus Príncipes”, “Alice no País das Maravilhas” e "O Sítio do Picapau Amarelo".

Ficha Técnica

Produção: Copas Produções Artísticas | Texto: Maria Clara Machado
| Direção: Diego Benicá | Elenco: Bernardo Rocha, Bernard Bravo, Bruno Alexsander, Diego D´leon, Luana Costa, Guto D'Ângelo, Luana Costa e Arthur Passos | Cenário e luz: Diego Benicá | Trilha Sonora e direção musical: Leo Mendonza | Direção Vocal: Beto Sorolli | Figurino: Kalluh Araújo | Preparação corporal e coreografias: Cristiano Reis | Adereços: Serge Weick | Perucas: Freddy Mozart | Maquiagem: Tiago Colombini | Cenotécnica: Artes Cênica | Trilha – gravação, mixagem e masterização: Audioartte | Fotografia: Guto Muniz | Imagens: Selft Produções | Programação visual: Daniel Augusto.

SERVIÇO

Data: 03 de julho (Domingo)
Horário: 17h

Local: Teatro Francisco Nunes
Duração: 60 minutos
Classificação: Livre
Ingressos: R$20 (inteira) | R$10 (meia)

Ingressos à venda no site DiskIngressos e na bilheteria (a bilheteria abre 1 hora antes do evento)