Conheça Aracaju, a pequena notável do Nordeste

A capital do menor estado do Brasil capricha quando o assunto é infraestrutura, hospitalidade, variedade de passeios - os de barco pelos rios levam a belos cenários, como a Croa do Goré e a Ilha dos Namorados - que valem uma visita

por Cláudia Eloi 15/02/2019 11:22
Thiago Souza/Rosanetur/Divulgação
Paradisíaca Croa do Goré, pequena ilha de areia branca, no Rop Várzea-Barris, que só é possível desfrutar quando a maré está baixa (foto: Thiago Souza/Rosanetur/Divulgação)
 
Menor estado do Brasil, com área de 21.910 quilômetros quadrados, Sergipe revela aos visitantes surpresas maravilhosas. A capital, Aracaju, não deixa a desejar em relação aos encantos naturais. A cidade também cumpre os requisitos da boa gastronomia, excelentes hospedagens, opções de lazer e potencial histórico, como o Museu da Gente Sergipana, que é interativo.

Se você é daqueles viajantes que não abrem mão de tomar banho em águas calmas e refrescantes e adora o contato com a natureza, não se esqueça de abrir espaço na agenda para conhecer a paradisíaca Croa do Goré, localizada no Rio Vaza-Barris. É uma pequena ilha que só aparece com a maré baixa, ideal para quem busca belas paisagens, sossego, tomar bebida gelada e petiscar.

Saindo da Orla de Atalaia, em Aracaju, são 15 minutos de carro beirando as belas praias da cidade até chegar à Orla do Pôr do Sol, no povoado de Mosqueiro. É o ponto de embarque para um passeio interessante e ao mesmo tempo curioso. Para desfrutar da Croa do Goré, o percurso pode ser feito de catamarã ou lanchas. No caminho, o visitante vai se deparar com belos manguezais. Os barcos saem diariamente. A curiosidade é que a praia só fica disponível seis horas por dia, porque, quando a maré sobe, a croa fica submersa. Por isso, a ordem é aproveitar cada segundo. É o local ideal para relaxar, provar as iguarias da região e conhecer de perto o famoso habitante da região, o goré, crustáceo que dá nome ao lugar.

Na croa, um bar flutuante oferece cardápio variado. O local conta com palhoças rústicas que fazem sombra para tornar o banco de areia um local ainda mais agradável e proporcionar um banho relaxante. Quando a maré está subindo, o visitante pode desfrutar do ambiente com a água em seus pés. A garotada adora! Por ser calmo e raso, as crianças podem tomar banho no rio sem correr riscos. Outra opção de lazer na Croa do Goré é o stand up paddle.

Além da Croa do Goré, o turista pode optar por estender o passeio e conhecer a Ilha dos Namorados e a Ilha do Viral. Na Ilha dos Namorados, o passeio leva cerca de 40 minutos, e os visitantes podem tomar um delicioso banho.Thiago Souza, diretor da agência carioca Rosanetur – especializada em excursões com grupos da terceira idade – descobriu há pouco tempo este paraíso na capital sergipana. “A Croa do Goré é a cereja do bolo de Aracaju. Meu grupo apaixona com a estrutura montada nesta ilha provisória, rodeada de águas mornas. Desde que conheci o lugar, faço questão de incluí-lo no roteiro pelo Nordeste”, observa.

INTERATIVIDADE CULTURAL Para conhecer a fundo a rica história do estado, siga para o Museu da Gente Sergipana, inaugurado em 2012. Ocupando um prédio restaurado de 1926, o espaço celebra a identidade do povo de forma interativa. Festas, praças, personagens ilustres, culinária, ecossistemas: tudo é mostrado com muita tecnologia e criatividade. Diante de um espelho, trajes típicos se moldam perfeitamente ao corpo observador. No espaço dedicado aos repentistas, basta esperar a deixa e cantar a resposta sobre o tema proposto – e a gravação pode ser publicada na internet.
Roberto Castro/Ascom/MTur
Na Passarela do caranguejo, a réplica gigante do crustáceo é ponto de encontro dos turistas (foto: Roberto Castro/Ascom/MTur)

Um roteiro imperdível na capital sergipana é caminhar pela simpática Orla de Atalaia. Lá, a parada obrigatória é a Passarela do Caranguejo, onde uma réplica gigante do animal foi construída como ponto turístico da cidade. Após tirar fotos com o crustáceo gigante, vale a pena dar uma esticada até os bares que ficam na orla e saborear as iguarias. Tem caranguejo de todo jeito. Ensopado, grelhado, gratinado, mas o mais tradicional é o que vem com um martelinho e uma tábua para você quebrar. Não há estresse que resista a esse tipo de terapia.

Como o próprio nome já diz, o caranguejo é o carro-chefe de Aracaju. Mas os restaurantes também oferecem outras boas opções para saborear crustáceos e frutos do mar, a exemplo do peixe ao molho de camarão, no Restaurante Pitu com Pirão, da Eliane. O local ganhou destaque no Guia Quadro Rodas, com o título médio luxo entre os cinco melhores de Aracaju. Quem come lá não se arrepende.
Juarez Rodrigues/EM
Entre tantas paisagens encantadoras, nada se compara o fim de tarde na Orla deAtalaia (foto: Juarez Rodrigues/EM)

É impossível visitar Aracaju sem conhecer o artesanato local e comprar lembranças da cidade. Em Atalaia, há duas opções. Uma delas é a Passarela do Artesão, que fica atrás da pista de skate. Trata-se de uma simpática feirinha com barraquinhas que vendem os mais variados artesanatos. Os vendedores são atenciosos. A mais frequentada, no entanto, é a Feira do Turista. Por estar mais visível e próxima ao Hotel da Orla, os turistas localizam facilmente o centro de compras.

FOTOGRAFIAS Além de contar com atraente calçadão, a capital sergipana oferece ao visitante a oportunidade de passear pelos três lagos espalhados pela orla. É ideal para fazer uma tranquila caminhada, ficar à sombra dos coqueiros, esquecer do tempo sentado em bancos de madeira ou simplesmente contemplar um maravilhoso pôr do sol. Há ainda espaços voltados para diversão da garotada com equipamentos infantis e lanchonetes com comidas típicas da região.
Roberto Castro/Ascom/MTur
Diante dos tradicionais arcos, cartão-postal na Orla da Atalaia, letreiro faz declaração de amor à capital sergipana (foto: Roberto Castro/Ascom/MTur)

Outro ponto turístico que merece um pit stop são os arcos da cidade. Eles foram construídos em concreto revestidos com pastilhas, e têm mais de 10 metros de altura. Atualmente, são quatro, cada um representando uma fase de construção da orla de Atalaia. O cenário é perfeito para fotografias, pois, logo na frente, há uma instalação com o nome da cidade em tons coloridos. E não deixe de conhecer o Oceanário do Projeto Tamar, ver diversas espécies marinhas e ficar pertinho dos tubarões e das tartarugas.

* A repórter viajou a convite da Abrajet/Sergipe e do NB Hotéis

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']