No país da Copa, os ovos Fabergé são objetos de fascínio e de um trabalho artístico excepcional

A mística que paira sobre os ovos imperiais teve início em 1885, quando o Czar Alexander III encomendou ao joalheiro da Casa Real um ovo de páscoa luxuoso para presentear a esposa, a Imperatriz Maria Feodorovna. Hoje, eles são avaliados em milhões de dólares

por Carlos Altman 10/07/2018 07:12

 

Fabergé Museum/Divulgação
Ovos imperiais que se encontram no Museu Fabergé, em São Petersburgo (foto: Fabergé Museum/Divulgação)

Entre 1885 e 1916, Peter Carl Fabergé criou 50 ovos imperiais altamente artísticos e criativos para a família real russa. Disputados por colecionadores em todo o mundo, os famosos ovos de Páscoa criados pelo joalheiro russo são admirados pela perfeição e considerados expoentes da arte joalheira. Cuidadosamente elaborados com uma combinação de esmalte, metais e pedras preciosas, escondiam surpresas e miniaturas. Muito mais do que apenas símbolos de claro luxo e opulência, são obras-primas de valor inestimável e são disputados em leilões da Christies e da Sotheby’s. Alguns pertencem a colecionadores privados e outros podem ser admirados por turistas em museus na Rússia, nos Estados Unidos e na Alemanha.

Fabergé Museum/Divulgação
Dos 50 ovos imperiais produzidos por Fabergé, sete estão desaparecidos (foto: Fabergé Museum/Divulgação)

 


Presente de amor

Stan HONDA/AFP
Este é o primeiro ovo encomendo pelo czar Alexandre III ao joalheiro Carl Fabergé (foto: Stan HONDA/AFP)
 

A história começou em 1885 como uma prova de amor do czar Alexandre III à sua jovem esposa, Maria Feodorovna. A imperatriz nasceu na Dinamarca, mas foi enviada para a Rússia para um casamento combinado com o czar. Longe de casa, Maria sofria de depressão. Ao ver a sua tristeza, Alexandre III encomendou uma joia em forma de ovo para oferecer à sua esposa como presente de Páscoa. Coberto por esmalte branco por fora, imitando uma casca comum, que se abre revelando uma “gema” toda coberta de ouro. Essa gema, por sua vez, tem outra surpresa dentro: uma galinha também de ouro. Assim surgiu o primeiro ovo Fabergé, denominado o “Ovo de Galinha”. A partir de então, o joalheiro criou ao menos um ovo por ano, usado para presentear as esposas e as mães dos czares. A tradição na corte foi mantida por mais de 30 anos até a Revolução Bolchevique que, culminou no fim da monarquia na Rússia, em 1917. O trabalho de Fabergé era tão minucioso que ele gastava até um ano para produzir os ovos imperiais. Tudo era feito em segredo.

 

Curiosidades

ANDREW COWIE/AFP
Em 2012, por pouco esta joia não foi derretida (foto: ANDREW COWIE/AFP )

»  Em  2012, por pouco o ovo imperial “Relógio da serpente azul” não foi fundido. Um homem não identificado nos EUA avistou o ovo enquanto procurava objetos de ouro e o comprou por  US$ 14 mil, esperando conseguir um dinheiro fácil vendendo-o a um derretedor de metais. Mas não  houve compradores, porque ele tinha superestimado o valor do relógio e das joias dentro do ovo. Desesperado, o homem pesquisou na internet e se deu conta de que podia estar com um ovo Fabergé. Quando o vendedor de sucata procurou o antiquário londrino Wartski, ficou chocado. Os registros apontaram que o ovo de oito centímetros de altura era a terceira joia imperial  encomendada pelo czar, na Páscoa de 1887. E que a obra-prima foi retirada de São Petersburgo após a Revolução Bolchevique de 1917 e ficou desaparecida por décadas nos Estados Unidos e estava avaliada em US$20 milhões ou R$ 78 milhões.

»  A rainha de Inglaterra tem três. O rei Jorge V e a rainha Maria de Inglaterra eram verdadeiros fãs de objetos Fabergé e por isso, em 1933, adquiriram três requintados ovos imperiais – o “Colunas”, o “Cesto de Flores” e o “Mosaico”. Atualmente, os ovos pertencem à rainha Elizabeth II, que tem também diversos outros artigos Fabergé colecionáveis, tais como ornamentos, caixas e molduras para fotografias.


Fabergé Museum/Divulgação
Poder e luxo. Materiais nobres na produção das obras-primas da joalheria (foto: Fabergé Museum/Divulgação)

»  O  ovo imperial “Nécessaire”, criado em 1889,  sobreviveu à Revolução e foi vendido, em 1952,  por uma família de negociantes de antiguidades a um comprador misterioso. Depois disso, desconhece-se o seu paradeiro. Este ovo estava adornado por diamantes, rubis e esmeraldas e servia para guardar acessórios de beleza.


Sotheby's/AFP
Todos os ovos imperiais vinham com uma 'surpresinha' dentro (foto: Sotheby's/AFP)

»   O ovo mais caro produzido por Peter Carl Fabergé foi o de 1913.  Feito de cristal finíssimo adornado com gravuras, platina e  3.246 diamantes, ele foi apelidado de “Ovo de inverno” e ficava em uma base que parecia gelo derretido. Sua surpresa era uma cesta de platina com flores feitas de quartzo branco, ouro, jade e outros materiais preciosos. Na época, ele foi avaliado em 24.600 rublos, em torno de R$ 4.400.

»  Em 2015, a Polícia Federal fez uma batida na casa do empresário Eike Batista onde foi      
     encontrado um ovo supostamente Fabergé. Peritos descobriram, uma semana
     depois, que a joia não passava de uma réplica comprada por U$ 69.

A marca foi relançada em 2009 e tem a participação de Tatiana e Sarah Fabergé, bisnetas do joalheiro. Joias inspiradas no trabalho de Peter Carl – muitas delas com detalhes em forma de ovos – são vendidas em lojas de Londres, Nova York, Dubai e Hong Kong.

 

Confira os museus onde é possível ver alguns dos ovos Fabergé:

 

Museus do Kremlin/Moscou (Rússia)

www. kreml.ru/en/museums/armoury/

 

Museu Fabergé/Baden Baden (Alemanha)

www.faberge-museum.de

 

Virginia Museum of Fine Arts

Richmond (EUA)

www.vmfa.state.va.us

 

The Walters Art Museum

Baltimore (EUA)

www.thewalters.org

 

The New Orleans Museum of Art

Nova Orleans (EUA)

www.noma.org

 

The Cleveland Museum or Art

Cleveland (EUA)

 www.clevelandart.org

 

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']