Nem quadrilha, nem fogueira. A gastronomia rouba a cena nas festas juninas em várias partes do Brasil

Para comemorar os festejos do meio do ano, não vão faltar animação, gente bonita, canjica e quentão. São João, Santo Antônio e São Pedro convidam para um grande encontro gastronômico em todo o país. Nesta edição do Turismo, roteiros de pura tradição. Venha dançar, comer e brincar

por Carlos Altman 19/06/2018 07:12

 

Sanderson Pereira/Divulgação
A Julifest de Itabirito virou tradição nas festividades de São-joão em Minas Gerais (foto: Sanderson Pereira/Divulgação)

Noites de são-joão rimam com quentão. Rimam com paixão, que rima com emoção. Festa junina é festa caipira, é festa de quadrilha, é festa de família. Tem meninas bonitas, com vestidos bordados, e moços apessoados, com chapéus de palha, a bailar. Tem bandeirinhas a tremular nas noites de luar. Tem comida de montão, pastel, pipoca e caldo de feijão! Tem banca de beijo, tem pescaria e até biscoito de queijo. Tem cachaça para esquentar até o sol raiar. Tem um pouco de tudo: barraquinhas, rezaria, forró e sertanejo. É festa genuinamente mineira para celebrar o jeito mineiro de se “mineirar”.

Roberto Castro/Divulgação
Vencedora em diversas edições em BH, a quadrilha São Gererê é exemplo de excelência na dança (foto: Roberto Castro/Divulgação)

Este ano, o Arraial de Belo Horizonte comemora a sua 40ª edição. A festa, que começou na sexta-feira passada e vai até 15 julho, promete trazer para a capital mineira uma experiência junina completa, cheia de novidades. Além do tradicional concurso de quadrilhas juninas, a edição deste ano vai contar com shows de artistas sertanejos, como as duplas Bruno e Marrone e Edson e Hudson. E para temperar ainda mais a festa, a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio da Belotur, dará destaque à gastronomia durante toda a programação.

Richard Producao/Divulgação
Bruno e Marrone se apresentam em 1º de julho, na Praça da Estação (foto: Richard Producao/Divulgação)

“Tenho certeza de que estamos lançando mais um grande sucesso da Prefeitura de Belo Horizonte. Essa que será a maior festa junina da cidade de todos os tempos, com quase 200 eventos em um mês e com o festival gastronômico. O que mostra que a cidade vem crescendo a cada ano, a cada evento, e se tornando uma cidade alegre e mais participativa. E é isso que nos interessa: é gente trabalhando com seriedade para uma cidade bonita e gostosa de se viver”, afirmou o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil.


“Nosso Arraial já tem excelência na dança, representada pelos grupos de quadrilhas, e na música, com os grandes shows que levamos para a Praça da Estação. Agora, a ideia é colocar a gastronomia sob os holofotes e valorizar essa riqueza que temos na cidade. A nossa culinária é um dos principais atrativos turísticos de Belo Horizonte. Vamos mostrar o potencial que ela tem também dentro das tradições juninas”, comentou Aluizer Malab, presidente da Belotur.


Nesta edição do Arraial de Belo Horizonte, 37 quadrilhas se inscreveram para competir no tablado da Praça da Estação. Nos dias 22, 23 e 24, 24 quadrilhas do Grupo de Acesso entram em cena. As 13 quadrilhas do Grupo Especial competem no fim de semana seguinte, em 30 de junho e 1º de julho. A apuração do Grupo de Acesso será realizada às 14h do dia 26, e a do Grupo Especial em 3 de julho, no mesmo horário. Ambas serão realizadas no coreto do parque municipal.

 

Gastronomia em destaque 

Belotur/Divulgação
Belôcaldo, dos estudantes da UNA (foto: Belotur/Divulgação)

E a disputa junina também chega à mesa. Entre as tantas novidades este ano, o arraial na capital mineira vai promover uma mistura de MasterChef junino com o tradicional comida de boteco. No fim de semana, um evento do Mercado Central apresentou os pratos vencedores do concurso de gatronomia que teve a participação de estudadntes de quatro faculdades de BH. A disputa do “Prato Junino” tem como objetivo requalificar a área gastronômica do Arraial de Belo Horizonte. Da Faculdade Senac, o prato camadas de junho foi o grande vencedor. Já a seletiva da Faculdade de Gastronomia Promove elegeu o escondidinho de canjiquinha com creme de queijo. Da Estácio Sá venceu o prato porquinho no milharal. E o belôcaldo, feito com batata baroa com ora-prô-nobis, frango e farofa de bacon, servido em panhoca de milho foi o vencedor na UNA.


Outro projeto de gastronomia dentro dos festejos será o Circuito Gastronômico Arraial de Belo Horizonte, em que 23 bares e restaurantes da cidade disponibilizarão em seu cardápio uma opção junina. A ideia é fortalecer a culinária da época, oferecendo aos moradores e turistas receitas com ingredientes típicos, como o milho, a carne seca e o amendoim, entre outros. O circuito é feito em parceria com a Abrasel.

Escondidinho de canjiquinha venceu a seletiva no Promove
(foto: Escondidinho de canjiquinha venceu a seletiva no Promove)
 

E para completar a comilança, uma Vila Gastronômica Junina estará presente nos dias de festa na Praça da Estação. Com decoração típica, o local será ambientado para receber, com conforto, o público do arraial. Destaque para tenda Saberes Alimentares. Nela, expositores de projetos como Direto da Roça e Territórios Sustentáveis comercializarão quitutes juninos com base em milho, amendoim, coco e mandioca. O objetivo é resgatar métodos tradicionais de produção e uso de ingredientes como, por exemplo, a rapadura de cana-de-açúcar, usada para adoçar mingaus e quitandas. Na tenda também serão apresentadas, por meio de parceria com o programa Primórdios da Cozinha Mineira, do Senac, as rotas gastronômicas mundiais que trouxeram a festa junina a Minas Gerais.


Em 30 deste mês e 1º de julho, a Vila Gastronômica do Arraial recebe a Carreta Escola do Senac, onde serão ministrados cursos e palestras sobre gastronomia de origem, com professores e alunos do curso de gastronomia da Faculdade Senac. 

 

SERVIÇO

 

» Programação Praça da Estação
Concurso Municipal de Quadrilhas 
Juninas Grupos de Acesso: 
dias 22, a partir das 19h; 
23, a partir das 17h; e 24, a partir das 16h Grupo Especial: dia 30, a partir das 19h; e 1º de julho, a partir das 17h

» Shows
Edson e Hudson: dia 24, às 21h
Bruno e Marrone: 1º de julho, às 21h

» Circuito gastronômico

De 15 de junho a 15 de julho, 
em 23 restaurantes da cidade
Confira lista dos participantes  
https://goo.gl/Hm89oB

»  APP Arraial de Belo Horizonte
O arraial contará com aplicativo com todos os detalhes da programação dos festejos juninos da capital. As informações estarão disponíveis no app Arraial de Belo Horizonte, que, em breve, poderá ser baixado gratuitamente para Android, na Play Store, e para iOS, na Apple Store. O app vai informar datas, horários e localização (georreferenciada) dos eventos, tanto os oficiais quanto os da programação associada.

 

Maior do mundo

Prefeitura de Campina Grande/divulgação
Cerca de 2 milhões de pessoas devem visitar a festa junina em Campina Grande, na Paraíba (foto: Prefeitura de Campina Grande/divulgação)

Encravada numa região montanhosa, no agreste da Paraíba, Campina Grande atrai a atenção do Brasil e do mundo nesta época do ano. Até 8 de julho, a cidade recebe mais de 2 milhões de pessoas em uma das maiores festas populares do país. Considerado o maior são-joão do mundo – título reivindicado também por Caruaru, em Pernambuco –, o evento é um dos mais esperados por aqueles que curtem danças e comidas típicas juninas.


O palco da festa é o Parque do Povo, área de 43 mil metros quadrados. Não é preciso pagar para entrar. Bastam disposição e alegria para curtir as diversas atrações, entre elas, apresentações de quadrilha e shows com estrelas regionais e badaladas no Brasil, como Elba Ramalho, Gusttavo Lima e, o sempre presente, Wesley Safadão, que faz show no dia 29.Este ano, será a 10ª vez consecutiva que ele se apresenta.

 

Quem for com tempo pode aproveitar para conhecer um pouco de Campina Grande. A cidade, de 400 mil habitantes, de médio porte, tem seu charme. A começar pela localização: fica longe do mar, mas perto das montanhas. Está a 500 metros de altitude. Portanto, o clima é bem mais ameno do que na capital, João Pessoa, por exemplo. Mais informações, acesse: www.saojoaodecampinagrande.com.br

 

Na toada de Luiz Gonzaga

 

Roberto Franca/Agência Enfoco
Elba Ramalho é a grande anfitriâ dos festejos juninos em Caruaru, cidade natal do Rei do Baião, Luiz Gonzaga (foto: Roberto Franca/Agência Enfoco)

Marque no seu calendário: até 30 de junho é o período programado para a alegria explodir em Caruaru. O palco central das atrações é o Pátio de Eventos Luiz Gonzaga, ou Pátio do Forró. Entre os artistas convidados para se apresentar este ano estão Maiara e Maraísa, Michel Teló e Alceu Valença.


Entre os diferenciais da festa junina, um calendário de comidas gigantes produzidas em vários bairros, com direito a desfile pelas ruas. Pensa que é só se fartar com essa delícia? Quem acompanhar o cortejo pode se divertir com shows musicais e trios elétricos de forró pé de serra. A multidão que segue o cuscuz gigante chega a quase 100 mil pessoas.


Imortalizada na voz de Gonzagão, a Feira de Caruaru é visita obrigatória para quem for se divertir no São-João da cidade do agreste pernambucano. Surgiu com o município e está instalada no Parque 18 de Maio. São 40 mil metros quadrados, onde a feira é dividida em três espaços distintos. O que mais chama a atenção é o espaço de artesanato. Lá, o visitante vai encontrar peças artesanais produzidas por artistas locais, com barro, madeira, metal, palha, coco, cordas, couro, rede, bordados, lã e latas, entre outros. Não se esqueça: o horário de funcionamento é das 8h às 17h.


“A Feira de Caruaru faz gosto a gente vê. De tudo que há no mundo/Nela tem pra vendê. Na feira de Caruaru/Tem massa de mandioca, batata assada, tem ovo cru, banana, laranja, manga, batata, doce, queijo e caju, cenoura, jabuticaba, guiné, galinha, pato e peru/Tem bode, carneiro, porco/Se duvidá... inté cururu...”, cantou o rei do baião. Duvida? É só ir lá para ver.
Não deixe também de conhecer o Bairro Alto do Moura. Fica a sete quilômetros do Centro de Caruaru e concentra diversos ateliês de ceramistas, museus, bares, restaurantes, pousadas, grupos musicais e de danças regionais. Tudo começou com Mestre Vitalino (1909-1963), que, ainda criança, numa brincadeira pueril, criou peças como boizinhos e cavalinhos de argila.


FESTAS PELO PAÍS

Mário Oliveira/Divulgação
Disputa dos bois Garantido e Caprichoso, em Parintins (foto: Mário Oliveira/Divulgação)

 O Ministério do Turismo (MTur) pretende fazer do São-João um produto turístico nacional e agitar a baixa temporada, que não tem um fluxo de turistas tão expressivo quanto no verão. A meta é atrair estrangeiros e estimular brasileiros a participar da festa em junho e julho. Fogueiras, mastros, quadrilhas, decoração com bandeirinhas e música – embalada pelo ritmo do forró – compõem o quadro de uma autêntica festa junina, mas há diferenças. O modelo tradicional, herdeiro do Nordeste, recebe boas doses de tempero local – referências folclóricas, inclusive. Na Região Nordeste, o São-João é celebrado em sítios, paróquias, nos arraiais e nos espaços públicos das cidades.


As festas do Sul proporcionam um tour pela cultura regional. Alguns participantes usam trajes caipiras, outros investem em roupas tradicionais gaúchas. Os homens usam trajes de peão; as mulheres, roupas de prenda (vestidos volumosos). Em Santa Catarina e no Paraná há apresentações de quadrilhas com o tradicional casamento na roça e grandes fogueiras. A dança das fitas, ao redor de um mastro, faz sucesso na região.


Na Região Norte, a criação de bovinos, introduzida por Portugal nas cidades de Belém, Parintins (AM) e Manaus, resultou no boi-bumbá, também conhecido como bumba meu boi, dançado em homenagem aos santos em junho e outras datas do ano. Os dois grupos famosos, Caprichoso e Garantido, disputam o título de campeão no Bumbódromo de Parintins, entre os dias 28 e 30.

 

E, na Região Central, a polca paraguaia é dança famosa em cidades da fronteira. Em Mato Grosso, o Festival de Quadrilha do Araguaia ocorre há 15 anos. A competição é uma das mais esperadas na cidade. Os trajes são bem elaborados e os grupos capricham na sincronia. No estado de Goiás, a música sertaneja embala os participantes. 

  

Bonito "demais da conta" 

Sanderson Pereira/Divulgação
No ano passado, o evento em Itabirito atraiu 140 mil turistas para a cidade histórica (foto: Sanderson Pereira/Divulgação)
 

A maior festa de São-joão de Minas Gerais, a Julifest, está chegando para esquentar os corações e embalar as tardes e noites em Itabirito. De 12 a 15 de julho, o público poderá viver o melhor da tradição mineira que, este ano, completa 27 anos. Organizada pela Prefeitura Municipal de Itabirito, a festa vai contar com grandes nomes do cenário musical. A 27ª edição da Julifest será marcada pelo resgate das tradições da cultura popular brasileira. A diversidade dos ritmos, cores e formas promete ser a grande aposta desta edição. As danças folclóricas serão a principal motivação para os elementos da decoração da grande praça do evento, com muitas bandeirinhas e estandartes religiosos.


E, para esquentar os dias frios de julho, foi divulgada a programação oficial, que contará com atrações regionais e grandes shows como de Michel Teló (12/7), Sidney Magal (13/07), Diogo Nogueira e grupo Beco do Rato(na tarde do dia 14/7), Bel Marques (na noite de 14/7) e Matheus e Kauan (15/07). Algumas atrações especiais trarão também tom diferenciado para essa edição, com a presença das quadrilhas juninas locais e visitantes, além de atrações culturais, como a Guarda de Moçambique do Divino Espírito Santo, tributo de violas que homenagearão Tião Carreiro e Pardinho, e passeio pelas danças folclóricas brasileiras, com a participação da Cia. De Danças Folclóricas Aruanda, que estará também no elenco de atrações culturais.

ARRAIAL CENOGRÁFICO Criada em 1991, a festa tem dois objetivos principais: resgatar as tradições culturais do município e promover a integração da comunidade, por meio da participação efetiva das associações de bairro. A imensa Praça dos Inconfidentes (com mais de 39 mil metros), foi o local escolhido para a criação de cidade cenográfica, com igrejinha, casas temáticas (que são os pontos de venda das associações comunitárias), dois grandes palcos, palco menor, casa do turista, sanitários, estacionamento para mais de 500 carros e completa infraestrutura de atendimento. O local também recebe iluminação especial e decoração desenvolvida pelo Atelier de Artes Integradas da prefeitura, formado por artistas plásticos, escultores, cenógrafos profissionais e amadores. (CA)

 

SERVIÇO

27º JULIFEST
Município: Itabirito
Local: Praça dos Inconfidentes
Data: 12 a 15/7

www.itabirito.mg.gov.br 

 

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']