Passar o réveillon no exterior vale mesmo a pena?

Londres, Paris, Nova York ou Berlim. Quem nunca sonhou em passar a virada de ano nessas cidades famosas no hemisfério Norte? Abrir mão do clima tropical para congelar na grande noite de fim de ano seria uma boa ideia?

por Carlos Altman Cecília Emiliana 30/11/2017 20:30

Daniel LEAL-OLIVAS
Espetáculo dos fogos na roda-gigante de Londres - um dos destinos mais lindos na noite de réveillon (foto: Daniel LEAL-OLIVAS )

Feliz ano-novo, joyeux nouvel an, happy new year, felice anno nuovo, ein glückliches neues jahr, feliz año nuevo. Não importa o idioma ou o país, no primeiro segundo de 1º de janeiro de 2018, os desejos na chegada do novo ano serão os mesmos – paz, amor, dinheiro e esperança para todos. Ao redor do mundo, bilhões de pessoas, em diferentes regiões, crenças e línguas, vão comemorar a chegada do ano-novo com a expectativa de dias melhores. Como uma bomba do bem carregada de esperança, bondade e desejo de recomeço, que será detonada ao fim da contagem regressiva sobre diferentes povos do globo. O início se dará nas ilhas do pacífico, como Bora-Bora e Taiti, passando pelos países da Ásia, da Oceania, da Europa e da África até chegar nas Américas. Que venha 2018! Vale ressaltar que o frio no hemisfério Norte é desanimador para muita gente. Em Paris, Londres, Nova York ou Berlim a festa da virada dura somente até a hora dos fogos. Passou a celebração, em poucas horas, as ruas dessas cidades ficam desertas. Diferente das comemorações nas cidades brasileiras que não tem hora para acabar. 

 

 

 

Christopher Gregory/Getty Images/AFP
O frio cortante de Nova York é um desafio para quem deseja celebrar a chegada no Ano-novo (foto: Christopher Gregory/Getty Images/AFP)

 

 

 
Porto de Sidney. Austrália 

 SAEED KHAN/AFP
Sydney (foto: SAEED KHAN/AFP )

Sydney, uma das primeiras cidades do mundo a receber o ano-novo, começa a celebrar às 13h de 31 de janeiro, e a diversão vai até a madrugada. Fogos de artifício, muita animação – e bebida nos bares – e o tradicional desfile 'Harbour of Light' marcam o evento, que deve receber este ano mais de 1 milhão de pessoas.

Central World ou Sanam Luang, Bangcoc

CHRISTOPHE ARCHAMBAULT/AFP
Bancoc (foto: CHRISTOPHE ARCHAMBAULT/AFP )

Bangcoc se destaca por celebrar o réveillon três vezes por ano – seguindo os calendários ocidental, o chinês e o tailandês. O Central World explode com shows, barracas de comida e cervejarias, enquanto o Sanam Luang, em frente ao Grande Palácio, tem programação mais tradicional, com comidas, músicas e dançarinas tailandesas.


Shibuya, Tóquio

BEHROUZ MEHRI/AFP
Tokio (foto: BEHROUZ MEHRI/AFP )

Esse é, inquestionavelmente, o centro de toda a diversão em Tóquio. Acompanhe a tradicional contagem regressiva em frente à estação de trens e rume em seguida para alguns dos muitos bares e boates da área – procure em especial o Center Gai, berço de muitas modas seguidas pelos jovens japoneses. Para um réveillon mais tradicionalmente nipônico, vá ao templo Meiji Jingu, onde milhares de japoneses recebem o ano-novo. Também fica perto de Shibuya.


Champs-Elysées, Paris

 LIONEL BONAVENTURE/AFP
Paris (foto: LIONEL BONAVENTURE/AFP )

A partir das 21h locais, esse é o lugar para estar em Paris. Pessoas chegam de toda a França trazendo suas bebidas. De lá, é possível ver a Torre Eiffel se transformando em um grande espetáculo pirotécnico. Não existe maneira mais romântica e refinada de celebrar o ano-novo com milhares de outras pessoas.

London Eye, Londres

 

JUSTIN TALLIS/AFP
Londres (foto: JUSTIN TALLIS/AFP)

Quase 1 milhão de pessoas viram a queima de fogos ali no ano passado. Como o meridiano de Greenwitch – longitude 0 – passa por Londres, a cidade é o epicentro da hora mundial. Há centenas de festas na capital, mas a mais significativa talvez seja a da London Eye, a grande roda-gigante à margem do Tâmisa.



Portão de Brandemburgo, Berlim

Odd ANDERSEN/AFP
Berlim (foto: Odd ANDERSEN/AFP )

Se Londres e Paris são os pais refinados das festas de réveillon, Berlim deve ser o tio beberrão. Mais de 1 milhão de pessoas se reúnem nesse marco da capital alemã, com shows de fogos e luzes, apresentações de música, barracas de comida internacional e muita cerveja. Logo atrás do portão, mais de um quilômetro da Rua 17 de Junho se transforma em discoteca ao ar livre. Não tem hora para acabar.



Times Square, Nova York

Andrew Burton/Getty Images/AFP
Nova York (foto: Andrew Burton/Getty Images/AFP )

É a mais famosa festa de réveillon do mundo. A grande bola colorida que cai exatamente à meia-noite é vista por 1 milhão de pessoas 'in loco', e por mais de 1 bilhão pela televisão no mundo todo. Shows repletos de estrelas, fogos e muitos bares e boates nos arredores fazem dessa uma das grandes festas do mundo. Está tão arraigada na cultura popular que muita gente acha que é preciso estar presente pelo menos uma vez na vida.

 

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']