Tiradentes te espera neste fim de semana para desfrutar história com boa gastronomia

Ao visitar a cidade no Campo das Vertentes, o turista que se propõe apenas a fazer um bate e volta corre o risco de nunca mais sair de lá. Uma cidade que respira, inspira e transpira todas as manifestações das artes - do artesanato à gastronomia

por Carlos Altman 15/08/2017 07:12

Marcos Michelin/EM
A Igreja de Santo Antônio guarda os tesouros da arte barroca do mestre Aleijadinho (foto: Marcos Michelin/EM)
Existem cidades em que o prazer de conhecê-las se restringe a apenas uma viagem. Outras, a vontade de largar tudo e ir morar nelas fala mais alto. Em Minas, as cidades históricas são assim. Geram encantamento. Seduzem seus visitantes por conta de suas histórias, sua cultura e sua arquitetura. Nelas, deixamos de lado o olhar de visitante e almejamos um dia poder morar e viver, em toda a sua plenitude, o seu dia a dia. 
Beto Magalhaes/EM
O Festival e Gastronomia de Tiiradentes completa 20 anos (foto: Beto Magalhaes/EM)

Localizada a 200 quilômetros de Belo Horizonte, a cidade histórica, fundada no século 18, é considerada a mais charmosa do período colonial brasileiro. O turista que a visita faz uma viagem no tempo ao se deparar com o casario bem preservado, com as igrejas barrocas centenárias, com a peculiaridades de suas ruas com calçamento em pedra, com seus chafarizes coloridos com fontes de águas cristalinas. Diferentemente de outras cidades coloniais, como Ouro Preto e Diamantina, Tiradentes é mais plana, sem morros ou aclives fortes. Sua localização estratégica, ao pé da Serra de São José, lhe confere um clima agradável o ano todo.

BARROCO

Alvaro Duarte/EM
(foto: Alvaro Duarte/EM)
O sino da Matriz de Santo Antônio nos lembra que o catolicismo se faz presente naquele lugar. A imponente igreja amarela no alto do morro pode ser avistada de toda a cidade. Dentro dela, céu e terra se fundem em um sentimento de admiração diante do altar majestoso, onde ouro reluz com o brilho dos castiçais barrocos e pela luminosidade que entra pelas suas largas janelas superiores. Boquiabertos, os turistas se calam diante das imagens sacras e do afresco que adorna o teto da nave central. São trabalhos atribuídos a Aleijadinho – o mestre gênio da arte barroca mineira.

Em nenhuma outra cidade de Minas um passeio de charrete é tão encantador. Estacionadas no Largo das Forras, elas são um convite a circular pela cidade, com direito a paradas nas principais atrações, como o Chafariz de São José, o Museu Padre Toledo, as igrejas de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, de Nossa Senhora das Mercês e, claro, a Matriz de Santo Antônio. É possível, ao longo do caminho, ter uma aula de história e cultura ao conhecer os ateliês de artistas que se espalham pelas ruas Direita e da Câmara. Sem limites para a criatividade, os artesãos confeccionam suas obras com materiais que vão da madeira ao estanho, passando pelo papel machê e o ferro. O artesanato variado e de bom gosto é encontrado também no distrito de Bichinho, a oito quilômetros do Centro e repleto de oficinas.
Beto Novaes/EM
Pelas ruas de pedras, as charretes levam os turistas de volta ao passado (foto: Beto Novaes/EM)

É uma cidade efervescente, com mostras anuais de cinema, fotografia, artes e gastronomia. E, durante os feriados, como o carnaval, a semana santa e o Corpus Christi, a população do lugar triplica. E, nem assim, a cidade perde seu status de cidadezinha do interior mineiro, que sabe acolher carinhosamente os turistas mineiros, paulistas, cariocas, gaúchos e outros tantos do exterior. Tiradentes promove o encontro de gente bonita em busca de contentamento, paz e sossego, sem deixar de lado a diversão e a boa gastronomia.

EXPLOSÃO DE SABORES

Leandro Couri/EM
Festival Cultura e Gastronomia é um convite à boa comida assinada por chefs renomados (foto: Leandro Couri/EM)

Beto Magalhaes/EM
Os turistas encontram na cidade boa gastronomia - pratos refinados com sabor diferenciado (foto: Beto Magalhaes/EM)
]Descolada e multicultural, Tiradentes vem, nos últimos anos, deixando de ser um destino meramente histórico para se tornar um polo cultural. Tanto que a tradição e o sabor vão invadir a mesa durante o Festival Cultura e Gastronomia, que celebra 20 anos na cidade histórica. Para a edição deste ano, o chef Felipe Oliveira, do Tragaluz Restaurante Casa, um dos restaurantes oficiais do festival, vai participar da Cozinha ao Vivo, compartilhando, na Praça da Rodoviária, uma das receitas de maiores sucesso do restaurante – o arroz de angola. “Vamos apresentar um menu aberto, com os sucessos do último cardápio. As pessoas terão uma experiência exclusiva com os nossos pratos”, ressalta Patrícia Navarro, proprietária do local. O festival gastronômico começa na sexta-feira e vai até o dia 27.

VÍDEOS RECOMENDADOS