Conheça as vantagens de viajar na baixa temporada

Ao optar por viajar de março a junho ou de agosto a novembro, o turista conta com uma série de benefícios

por Carlos Altman 07/03/2017 08:00
Eduardo Tristão Girão/EM/D.A Press  21/7/11
Lagoa Bonita e os Lençóis Maranhenses são de beleza imensurável (foto: Eduardo Tristão Girão/EM/D.A Press 21/7/11)

Na lei da oferta e da procura, quem sai ganhando é o consumidor. Quem planeja as viagens fora da loucura de férias de dezembro e janeiro ou nos meses de junho e julho sempre sai no lucro: pacotes turísticos e aéreos com até 50% de desconto, praias vazias e preços em bares e restaurantes muito, mas muito mais em conta. Nesta edição, vamos indicar alguns roteiros no Brasil que têm custos mais atrativos.

Sossego e pagando menos

Flavia Ayer/EM/D.A Press 21/10/15
Praia de Ipioca, em Maceió, é um dos refúgios de quem quer se esbaldar na natureza (foto: Flavia Ayer/EM/D.A Press 21/10/15)

Uma pesquisa divulgada pelo Ministério do Turismo aponta o período menos concorrido do ano como preferência de 30% dos brasileiros. Em tempos de grana curta, preços altos dos pacotes nas férias de verão pesam na escolha dos viajantes ao planejar uma viagem. Com isso, a escolha por outras datas ao longo do ano tem aumentado. Para se ter uma ideia, um pacote de viagem com aéreo, hospedagem e alimentação incluídos, em um resort cinco estrelas em Maceió, pode custar quase R$ 2 mil a menos que na alta temporada. E as vantagens não param por aí: os aeroportos estão mais vazios, o trânsito mais tranquilo e o atendimento no comércio local mais agradável.


Ao optar por viajar de março a junho ou de agosto a novembro, o turista conta com uma série de benefícios. Nos meses menos concorridos, as passagens aéreas costumam ser mais baratas. Hospedar em hotéis ou resort na baixa temporada é bem mais em conta. É possível encontrar descontos em restaurantes, parques, shows, serviços de operadoras de turismo local, como passeios extras de barcos e escunas, além da gratuidade de transfers do aeroporto até o hotel e, até mesmo, promoção no aluguel de carros.

Arquivo pessoal
A farmacêutica Claudineia Faustino com o marido, Robson, e os filhos Júlia e Augusto, economizou na viagem a Natal (foto: Arquivo pessoal)


BUSCA POR PROMOÇÕES
É por isso que a família da farmacêutica Claudineia Faustino sempre viaja na chamada baixa temporada. Ela e o marido, Robson Faustino, planejam sempre as férias de família longe do tumulto de fim de ano ou do mês de julho. “Os roteiros são planejados em meses em que os pacotes são mais em conta, próximos aos feriados menos badalados, para não atrapalhar também o período escolar dos meus filhos, Júlia e Augusto.” Claudineia acrescenta que “conhecemos praticamente todas as capitais e praias paradisíacas do Nordeste brasileiro. Fazemos questão de viajar todos os anos em família para poder descansar e conhecer um lugar novo”.

Ao optar por viajar fora da confusão de dezembro e janeiro, eles conseguem frequentar praias mais vazias e atendimento personalizado em bares e hotéis. “Sem contar que conseguimos bons descontos em passagens aéreas. Para nós, que viajamos em quatro pessoas, é uma economia e tanto. Com isso, podemos nos dar ao luxo de curtir passeios extras nas cidades que visitamos”, completa Robson Faustino.

 

A agente de viagens Suzana Dias, da Get It Intercâmbio, de Belo Horizonte, selecionou alguns roteiros para quem quer gastar menos sem abrir mão do conforto e do prazer de fazer uma viagem dos sonhos. “Quem pode viajar
em datas fora do período tradicional de férias consegue preços melhores, upgrades em acomodações e algumas vantagens extras, como transfers e passeios grátis”, orienta Suzana.


Confira os destinos:


Serra Gaúcha (RS)
(fevereiro a maio; e agosto a outubro)

A economia nessa época pode chegar a 40%. Só para se ter uma ideia, um pacote para Gramado (RS), entre os dias 20 e 27 de março, com aéreo saindo de BH, com direito a traslado, passeios e hospedagem no hotel quatro estrelas Prodigy Alpenhaus, custa R$ 1.480 por pessoa. Se o viajante optar por viajar entre 20 e 27 de julho, o mesmo roteiro custará R$ 3.705 por pessoa. Sem contar que, na baixa temporada, o movimento nas cidades é tranquilo e é possível conseguir descontos nos ingressos dos parques. Eventos: Festa da Colônia, em Gramado (agosto); Festa da Uva, em Caxias do Sul (fevereiro e março); Festa da Vindima, em Bento Gonçalves e Garibaldi (janeiro a março); Semana do Bebê, em Canela (maio); e Festa Nacional da Música de Gramado (outubro).

Litoral catarinense (SC)
(março a junho)

Uma das melhores estações para aproveitar as praias de Santa Catarina é no outono, com dias claros e ensolarados, temperatura amena, menos chuva e praias vazias em relação ao verão, além de preços baixos. Florianópolis, Balneário Camboriú e Laguna são as cidades preferidas dos turistas nessa época. Aos amantes de turismo de aventura, a Serra Catarinense é muito convidativa nesse período.

Bonito (MS)
(março a junho)

Os descontos chegam a até 30%. A observação da fauna marinha com snorkel no Rio da Prata,
incluindo o almoço, custa R$ 184 por pessoa. Já na alta, o mesmo
passeio custa R$ 254.

Foz do Iguaçu (PR)
(março a junho)

Os preços das diárias são até 40% mais baixos, além de os principais atrativos serem menos concorridos, como a queda d’água das Cataratas do Iguaçu, a Trilha do Poço Preto e a visita à Ilha dos Papagaios, onde é possível admirar tanto o nascer quanto o pôr do sol.

Canindé de São Francisco (SE)
(março a junho)

O outono é uma estação excelente para quem visita a região, por conta da tonalidade verde-esmeralda do Rio São Francisco. O período de chuvas rápidas ocorre no verão e entre os meses de maio a agosto. Entre os principais atrativos no município sergipano estão o passeio na Rota do Cangaço, que relembra a história de Lampião e Maria Bonita, a trilha que dá acesso à Gruta de Anjico, local onde Lampião foi morto, e mergulhos em praias fluviais.


Pantanal (MT)
(abril a setembro)

É o melhor período para se conhecer a região, quando as águas começam a baixar, aumentando a visibilidade dos animais e vegetação local.O período de seca muda completamente a paisagem pantaneira. Contudo, o visitante poderá conhecer a fauna e a flora locais, observar pássaros, ter uma temperatura mais amena e noites mais estreladas.

Lençóis Maranhenses (MA)
(maio a setembro)

O maior campo de dunas do Brasil é também um dos destinos preferidos para quem gosta de turismo de aventura e contato com a natureza. Nessa época, depois da estação chuvosa, as lagoas entre as dunas estão cheias. Para conseguir descontos, a dica é planejar com pelo menos 60 dias de antecedência. O parque está inserido nos municípios de Barreirinhas, Santo Amaro e Primeira Cruz.

Litoral nordestino
(agosto a novembro)

Francelle Marzano/EM/D.A Press
Passeio de jangada nas piscinas naturais de Porto de Galinhas é uma boa pedida (foto: Francelle Marzano/EM/D.A Press )

Os pacotes mais procurados pelos mineiros são Porto Seguro (BA), Maceió, Porto de Galinhas (PE), Fortaleza (CE) e Natal (RN). Além do clima quente praticamente o ano todo, o preço é atraente: na baixa temporada, os pacotes de viagem ficam, em média, de 30% a 50% mais baratos do que na alta. Um resort em Ilhéus cobra R$ 2.370 por duas diárias na alta temporada. A mesma hospedagem custa R$ 659 na baixa.

 

 

Serviço

 

 

Get It Turismo
Rua Sergipe, 1449 - Savassi, Belo Horizonte, MG

 

31 99221-1255 WhatsApp e cel 

 

 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TURISMO