Editora Javali publica livros com textos de dramaturgos de BH

Coleção reúne peças de Janaína Leite, Ana Regis, Marcos Coletta, Grace Passô, Grupo Galpão, Zula e Cia. Hiato. 'Lives' de lançamento, a partir desta terça, apresentarão trechos dos espetáculos

Mariana Peixoto 03/11/2020 04:00
Andre Cherri/divulgação
Vencedor do Prêmio Shell, texto da peça Stabat Mater, de Janaína Leite, será lançado em livro nesta terça-feira (foto: Andre Cherri/divulgação)
Se montar teatro autoral é difícil, publicá-lo é tarefa para poucos. Diante disso, é mais do que louvável o trabalho que a editora belo-horizontina Javali vem fazendo nos últimos cinco anos. Dedicada exclusivamente a textos dramatúrgicos, ela chega ao fim de 2020 com a edição de 35 volumes. Sete deles vêm à tona neste mês.

Na impossibilidade de promover encontros presenciais, as transmissões on-line, por meio do canal da Javali no YouTube, vão, a partir desta terça-feira (3), apresentar os livros Conversas com meu pai + Stabat Mater, uma trajetória de Janaína Leite; Moscou para principiantes, de Aline Filócomo, integrante da Cia. Hiato; Outros, do Grupo Galpão; Tropeço, de Anderson Feliciano; Banho de sol, da Zula Cia. de Teatro; Peixes/Peces, de Ana Regis; e Projeto Maravilhas, da Plataforma O Beijo, com dramaturgia de Marcos Coletta.

Os cinco últimos volumes, escritos por autores de Belo Horizonte, foram viabilizados pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura. “Uma coisa interessante de publicar dramaturgia é que o texto é muito vivo com a peça também viva. Ou seja, você tem a possibilidade de ver e ler. Dos anos 2000 para cá, começou a haver uma produção muito intensa de dramaturgia autoral, em que há textos que existem independentemente da montagem”, comenta Assis Benevenuto, fundador da Javali e integrante do grupo Quatroloscinco.

Guto Muniz/divulgação
Outros, espetáculo do Grupo Galpão, discute os impasses do homem contemporâneo (foto: Guto Muniz/divulgação)


Dos livros, há um texto inédito, Moscou para principiantes, tanto que a live de lançamento vai contar com uma leitura dramática. As demais, além de conversas sobre o processo criativo das respectivas montagens, também exibirão trechos dos espetáculos.

A tiragem de cada volume é de 500 exemplares. De acordo com Benevenuto, alguns livros publicados anteriormente já tiveram tiragem superior. Este ano, além dos novos títulos, a Javali lança a segunda edição de Vaga carne, texto da mineira Grace Passô que gerou o espetáculo e o média-metragem homônimos.

Guto Muniz/divulgação
Banho de sol, peça de Talita Braga, fala sobre o cotidiano da mulher no presídio (foto: Guto Muniz/divulgação)


Outro lançamento para 2020 é Nós, de Marcio Abreu e Eduardo Moreira, que deu origem ao espetáculo do Grupo Galpão em 2016.

A Javali publica, de maneira geral, textos contemporâneos de teatro. “Nosso conselho editorial procura projetos que tenham diversidade e sejam importantes para o momento. Tem que haver esses fatores, pois não queremos tornar a editora uma coisa puramente comercial”, explica Benevenuto.

As publicações têm quatro eixos: dramaturgia contemporânea, memória, tradução e teoria do teatro.

Entre os livros já lançados pela editora estão Dramaturgia de Belo Horizonte: Primeira antologia, a Coleção Eid Ribeiro, com a obra completa do diretor e dramaturgo mineiro, e a biografia Teuda Bara: Comunista demais para ser chacrete.

Em agosto, foi lançado Mulheres Míticas em performance, um apanhado da atuação do coletivo teatral com textos já encenados, bem como entrevistas e críticas sobre seu trabalho.

Boa parte dos livros da Javali é de autores de Belo Horizonte. “Quando lançamos a editora, fizemos uma escolha e uma aposta para criar uma memória do teatro que cortasse o eixo Rio/São Paulo, pois a maioria dos textos publicados era sempre de lá. Queremos livros que circulem para o resto do país”, finaliza Benevenuto.

OS LIVROS


Conversas com meu pai Stabat Mater


Fotos: Javali/reprodução
(foto: Fotos: Javali/reprodução)

  • De Janaína Leite e Alexandre Dal Farra
  • 144 páginas
  •  Conversas com meu pai tem concepção de Janaína Leite e texto de Alexandre Dal Farra. O projeto, que consumiu sete anos, mostra a relação da atriz e criadora, que perdeu parte da audição, com seu pai, incapacitado de falar após uma traqueostomia. Stabat Mater, de Janaína (vencedor do Prêmio Shell de 2019 na categoria Melhor Dramaturgia), nasceu do texto teórico homônimo da filósofa e psicanalista Julia Kristeva. A montagem, que aborda o feminino, adotou o formato palestra-performance.

Moscou para principiantes


None

  • De Aline Filócomo
  • 112 páginas
  • Inédito
  • Transitando entre a ficção e a não-ficção, o texto parte dos temas de As três irmãs, de Anton Tchekhov, e de encontros da dramaturga com um grupo de mulheres da terceira idadepara discutir o trabalho sob a ótica feminina.

Outros


None

  • De Marcio Abreu, Eduardo Moreira e Paulo André
  • 128 páginas
  •  O espetáculo mais recente do Grupo Galpão (2018) traduz as inquietações resultantes do encontro do diretor Marcio Abreu (da Cia. Brasileira) com a trupe mineira. No palco, o texto vai além da palavra, expondo nos corpos dos atores as possibilidades e impossibilidades do momento presente. É um contraponto a Nós (2016), em que o grupo olhava para si próprio. Desta vez, fala, olhando para fora, do momento de ruína e da falência do sistema.

Tropeço


None

  •  De Anderson Feliciano
  • 128 páginas
  • O texto resulta da pesquisa realizada pelo autor em seu mestrado em dramaturgia na Universidad Nacional de las Artes (Una), em Buenos Aires, na Argentina. Um conjunto de textos performáticos reflete sobre a complexidade de ser negro no mundo de hoje.


Banho de sol


None

  • De Talita Braga
  • 96 páginas
  • A celebrada montagem da Zula Cia. de Teatro nasceu do encontro semanal de quatro professoras de teatro com presidiárias por um ano, durante as duas horas do banho de sol a que elas tinham direito.

Peixes/Peces


None

  • De Ana Regis
  • 96 páginas
  • Edição bilíngue português/espanhol. Cláudia, personagem ficcional, nasceu da experiência real de várias mulheres. No texto, ela é uma professora de 47 anos que está internada em um manicômio judiciário e, em consultas, revela o que já viveu.

Projeto Maravilhas


None

  • De Marcos Coletta
  • 96 páginas
  • A partir de um crime no Parque Municipal de Belo Horizonte em 1946, o texto faz um recorte dos desejos homoafetivos nos espaços urbanos.

COLEÇÃO TEATRO CONTEMPORÂNEO


Hoje (4)
Conversas com meu pai Stabat Mater, com Janaina Leite
Quinta (5)
Moscou para principiantes, com Aline Filócomo (Cia. Hiato)
Dia 10/11 
Outros, com Márcio Abreu, Eduardo Moreira e Paulo André (Grupo Galpão)
Dia 12/11 
Tropeço, com Anderson Feliciano
Dia 17/11
Banho de sol, com Talita Braga (Zula Cia. de Teatro)
Dia 19/11
Peixes/Peces, com Ana Regis
Dia 24/11
Projeto Maravilhas, com Marcos Coletta

>> Livros da editora Javali. Lançamentos on-line, sempre às 20h. No dia, cada volume será vendido a R$ 20. Após o lançamento, a R$ 30 (www.editorajavali.com). Para as lives, acesse www.youtube.com/javalieditora