Ator e diretor Emílio Di Biasi morre em São Paulo

Destaque das artes cênicas paulistanas e ex-integrante do Teatro Oficina, ele foi codiretor das novelas Renascer e O rei do gado. Artista, de 81 anos, enfrentava o Mal de Alzheimer

Agência Estado 27/09/2020 21:36

Embrafilme/divulgação
Emílio Di Biasi e Ênio Gonçalves no filme Demência, de 1987, dirigido por Carlos Reichenbach (foto: Embrafilme/divulgação)

Morreu, neste domingo (27), o ator e diretor paulistano Emílio Di Biasi, de 81 anos. Segundo informações divulgadas por amigos nas redes sociais, ele lutava contra o Mal de Alzheimer.


Nascido em 1939, Biasi estreou nos palcos oficialmente em 1961, com o Teatro Oficina, em montagem do texto 'José, do parto à sepultura', de Augusto Boal, sob direção de Antônio Abujamra.


Dois anos depois, ele fundou o Grupo Decisão, ao lado de Abujamra, Antônio Ghigonetto, Berta Zemel, Wolney de Assis e Lauro César Muniz. Dessa época, peças como 'O inoportuno', de Harold Pinter, estiveram entre suas atuações mais marcantes.


Nos anos seguintes, Biasi teve contato, como estagiário, com grupos como Piccolo Teatro di Milano e Berliner Ensemble. O encenador e dramaturgo americano Bob Wilson foi uma de suas principais referências.


Entre os anos 1980 e 1990, Emílio fez participações no cinema, incluindo três filmes de Carlos Reichenbach. Ao longo da carreira, comandou oficinas de atores da Rede Globo, codirigindo, na mesma emissora, as novelas 'Renascer' e 'O rei do gado'.
Por sua atuação na peça 'Um passeio no bosque', de Lee Blessing, em 1999, Emílio ganhou o Prêmio Shell de melhor ator.


REPERCUSSÃO Nas redes sociais, artistas lamentaram a morte do colega. “Emílio me dirigiu na série 'Os Maias'. Um grande sujeito. Um astral magnífico”, postou o ator Matheus Nachtergaele.  “O corpo do Emílio Di Biasi morreu hoje. Mas aquele Emílio criativo, divertido, parceiro, já foi há tempos... doença terrível esse Alzheimer”, publicou o ator Cacá Carvalho.

MAIS SOBRE TEATRO