Com história de família que se desintegra, peça 'Agosto' chega a BH

Elenco tem 11 atores e Guida Vianna como protagonista. Atriz foi premiada pelo papel, interpretado por Meryl Streep na versão cinematográfica do texto de Tracy Letts

por Ana Clara Brant 04/10/2019 07:35
Silvana Marques/Divulgação
Agosto conta com 11 atores no elenco e quatro técnicos (foto: Silvana Marques/Divulgação)
Um novelão. É assim que a atriz Guida Vianna define a peça Agosto, que, após dois anos em cartaz, finalmente chega a Belo Horizontepara apresentações desta sexta (4) a domingo (6), no Centro Cultural Minas Tênis Clube. Agosto foi escrita pelo norte-americano Tracy Letts. O drama venceu os prêmios Pulitzer e Tony e inspirou o filme Álbum de família (2013), com Meryl Streep e Julia Roberts.

“É um texto muito forte, denso e muito bem escrito. Ele segue a linha do realismo psicológico norte-americano e tem uma estrutura bem tradicional, mas tem um quê de novela também”, comenta a atriz.
 
A narrativa se desenvolve no molde tradicional de três atos, com apresentação dos personagens, desenvolvimento da trama e  desfecho. “Aqui no Brasil, a gente não está muito acostumada com esse tipo de dramaturgia. Nosso teatro tem caminhado para uma linguagem mais contemporânea, de um recorte de uma cena ou época, mas, mesmo assim, por onde a gente passou, ao longo desses meses, tem sido um sucesso”, comenta Guida.

Com adaptação e direção de André Paes Leme, a peça aborda a história de uma família que se esforçou para se manter unida, mas foi vencida pelas dificuldades. O desaparecimento do patriarca é o gatilho para o surgimento de diversos conflitos.

Guida é Violet (papel que foi de Meryl Streep no cinema), uma mulher que enfrenta simultaneamente o sumiço do marido, um penoso tratamento quimioterápico para um câncer na boca e a desagregação de sua família. “Violet é uma figura politicamente incorreta, que diz barbaridades e está cada vez mais raivosa e amargurada por tudo o que está enfrentando”, diz a intérprete, premiada pelo papel (Cesgranrio e APTR – Associação dos Produtores de Teatro).
 
A atriz aponta que um dos motivos do sucesso do espetáculo é a identificação que ele inspira no público, por se tratar de um drama familiar. “Família todo mundo tem. Querendo ou não, independentemente de lugar, de condição social e de época, é tudo igual”, avalia.

No caso de Agosto, a família é numerosa. “Tem a mãe, o pai, as três filhas, cunhado, neto, sobrinho. São 11 personagens e todos eles têm o seu momento, o seu segredo. Quando esse homem some, as filhas voltam para casa, e a família se reencontra. É aí que vem um monte de sentimentos à tona, como raiva, amor, ódio, desprezo, inveja. Sentimentos bem pertinentes ao ser humano. E o teatro é o melhor lugar para se debater isso.”

Identificação

Ainda que Tracy Letts tenha construído todos os personagens da peça com complexidade e relevância para a trama, Violet (Guida Vianna) e a primogênita Bárbara (Letícia Isnard) acabam sendo as figuras centrais. “Bárbara é a filha com quem a minha personagem tem mais identificação, mas é também aquela com quem ela tem mais embates, porque são muito parecidas”, diz Guida. Mesmo em se tratando de um drama, o texto reserva também algum espaço para a comédia.

“A gente ouve o público dando gargalhadas em vários momentos. Principalmente quem é de fora acha algumas daquelas situações bizarras. Tem ironias e há um clima de descontração, sim”, acrescenta.
 
Segundo a atriz, nas montagens que teve em diversos países, Agosto contou com um cenário bem parecido e realista: uma casa com três andares para mostrar os acontecimentos em seus vários ambientes. “Mas, infelizmente, a gente não tem condições de fazer algo assim aqui no Brasil, e o André (Paes Leme) optou por uma solução muito interessante. Ele dividiu o palco nos cômodos da casa e, dessa forma, a ação passeia por todos os espaços. A ideia é que o espectador possa ver simultaneamente todos os ambientes”, explica.

Guida Vianna ressalta o fato de a produção conseguir rodar o país, mesmo com uma equipe de 11 atores (o elenco ainda conta Alexandre Dantas, Claudia Ventura, Cláudio Mendes, Eliane Costa, Guilherme Siman, Isaac Bernat, Julia Schaeffer, Isabella Dionísio e Marianna Mac Niven) e quatro técnicos.
 
“A gente só conseguiu porque teve patrocínio. Não sou uma pessoa que leva pessoas ao teatro só com o meu nome. Não sou uma pessoa famosa, de televisão, apesar de já ter feito vários trabalhos. Não censuro quem abre mão de leis de incentivo, mas, infelizmente, não posso fazer isso. Depois de BH, vamos voltar para o Rio e, apesar do sucesso da peça, a gente só continua se realmente tiver condições de bancar.”

Agosto
De Tracy Letts. Direção: André Paes Leme. Com Guida Vianna, Leticia Isnard e grande elenco. Hoje (4), às 21h; sábado (5) e domingo (6) às 20h, no Centro Cultural Minas Tênis Clube – Rua da Bahia 2.244, Lourdes. (31) 3516-1360. Ingressos: R$ 70 (inteira) e R$ 35 (meia), à venda na bilheteria do teatro e no site eventim.

MAIS SOBRE TEATRO